segunda-feira, 14 de maio de 2012

Poucos São


Há tempos um relato vem à tona,
o pequeno esforço já realizado...
Atitudes que alguém toma,
quando guarda no peito algo apertado...

Recordado às vezes por um sonoro ruído,
outrora por um bilhete mal rabiscado...
Do brilho na foto, mal concluído,
ao sentido, por vez, mal interpretado...

Devaneios carregados por um vento frio,
que muitas vezes já foi seu aliado...
Hoje no calor resguarda o brio,
de poucos sons mal dedilhados...

Mas tal temor espero que seja tenro,
anseio por um destino mais afinado...
Dos poucos amigos que lêem tal escrito,
minha gratidão por sonharem acordados...