terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Xizes...



Dai ao menino a chance,
na tenra idade onde,
ser, é melhor que pensar,
e crer é sinônimo de sonhar...

Fui escravo da jornada,
indo ali, vindo de lá,
tendo em vista o que vivi,
não tenho do que reclamar...

Meu eterno par,
ir lá, naquela memória,
onde uma vez, em meu âmago,
pude rir e dançar...

Pode ser noite ou dia,
negra sem melanina,
que na cadência foi mulher,
e na areia foi menina...

Quem resta só, já foi,
meu tempo se quedou,
no instante em que,
as cordas cortaram e sangrou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário