quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Enferrujado...



Sob muitas experiências,
lapidei meu existir...
Ia em cada resguardo,
minha vontade insistir...

Assinei várias nuances,
ruins grafias próprias...
Valorizando cada dia,
Singelas memórias...

Busca incessante,
na doce ingenuidade de ser...
Dos simples pudores,
no monte a sorver...

Verei o presente futuro,
melhor do que ninguém,
O benefício de alguma dúvida,
foi a certeza de alguém...

Nenhum comentário:

Postar um comentário