quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Desregrada Lamúria


Nunca havia presenciado tal ira...
O firmamento em agonia, bradejava de tal forma que, os que escutavam, temiam...
O cintilante acima era oriundo de, provavelmente, alguma angústia, que não resolvera...
Quem obervara, fitava acima taciturnamente...
Quem fechava os olhos, contentava-se com o lacrimejar constante que quicava em tudo...
A balbúrdia estava edificada...
Não quedei pra finalizar o veredito...
...mas garanto que a tempestade...
...de nada adiantou...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

R.G.



Acho que você é uma pessoa muito dificil de interpretar...
Você não deixa transparecer...
Começa com essas meias palavras...
Fala as coisas pela metade...
Esperando que eu entenda o todo...
Mas é impossível pra eu entender o todo...
Porque eu não faço a menor idéia do que se passa na sua cabeça...
Não sei se acontece com as outras pessoas também, de não te entenderem ou entenderem errado...
Mas assim, por favor...
Tenta falar o que tu quer dizer... sem rodeios...
...porque eu não entendo...

domingo, 25 de dezembro de 2011

Transcrições de Pedro...


Uma vez fiz parte de um debate entre dois pequenos cérebros..
Assim percebi que:
...nós nascemos sozinhos e morremos sozinhos, muitas pessoas passam pelas nossas vidas...
...mesmo sabendo que não deveríamos confiar tanto nas pessoas e se entregar para as relações sejam elas quais forem, nós sempre nos entregamos...só que no final somos só nós e nós mesmos...independente de qualquer laço...
...pai, mãe, amores, amigos...é como ser só...sempre e pra sempre...
...no final, é tu e tu mesmo...
...com tuas lágrimas, sorrisos, experiências e com a cabeça funcionando no travesseiro quando dormimos...
...é como se não pudéssemos nos entregar tanto para as coisas da vida...como se tivéssemos que ter rédias, sabe!?
...de nós mesmos...

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Meu Pensamento


Acha,
que tá sempre tudo errado,
não dá conta do recado,
então resolve desculpar...

Lembra,
de quando era uma criança,
tinha sempre a esperença,
sem querer se importar...

Nunca,
encontra sempre o quer,
o amor de uma mulher,
algo para cultivar...

Pensa,
estar a busca de um abrigo,
recebe sempre de um amigo,
coisa boa não vai dar...

Mas sempre,
procuro tudo no escuro,
perco naquele segundo,
lembro daquele lugar, que

Vejo,
perdido sempre no silêncio,
que guardo no meu pensamento,
sem querer saber voltar...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Cansei...


Cansei da vida...
Daquela inflada demagogia que nos rodeia dia após dia...
A estafa vem acompanhada de um findar primaveril muito singelo...mas mesmo assim não dá...
As escusas são muitas para motivos ainda mais diversos...não há tolerância suficiente para explicações...
Reclusão é a solução...
Não se gasta...não interrompe...não perturba...não comete injustiças...acrescenta...
Acrescentar soluções não arremata meu possível hábito de monge...
Mas o cotidiano necessita ser modificado...
E não quero empurrar essa questão para ninguém...
...nem para o ano novo que se aproxima...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ia


A asserção dos fatos nem sempre correspondem aos ensejos crônicos da vida...
Muitas vezes acredito que estes, são falhas do nosso cognitivo, verificando o real estado do nosso motor pulsante...
Sim...acredito que ele falhe propositalmente a maioria das vezes...
É uma falha do sistema...o todo trabalha em harmonia...enquanto ele, num ímpeto de querer encurtar o processo, qualquer que seja ele...é taxado de incompreensível por ser mostrar útil...
Infelizmente não há reposição...geralmente sua correção severa...é a reclusão...dependendo do ato impensável...
Quando decido as atitudes, ele sempre segue tais decisões...
Do contrário...quando ele requisitava minha presença...eu ia...juro...
Hoje...tento observar de longe suas tolices...

sábado, 17 de dezembro de 2011

Autobiografia


Meu sumário nada mais é do que meu cabelo despenteado...
Encaracolados com a ajuda do vento...dispersos como determinado...
Os capítulos que tenho posse são diversos...drama, suspense, aventura...
Não contam com muitas ilustrações...tentar descrever essa rés criatura...
A conclusão se define no que sou...pré-conceitos desmedidos...
Provavelmente sorrateiros pensamentos ardilosos...temidos...
Capa e contra-capa...não me têm serventia...
Não posso me definir em livro...quem sabe uma biografia...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Manifesto Da Lua



Se mostre e então te direi quem és,
não se mostre muito...será seu viés...
Afinal mostre sua imagem pra todo resto...esse é seu gesto?
Desrespeito frente aos outros, é pra isso que presto?

Não digo pra que se esconda, cada um tem seu tempo...
Você se mostra imponente...todos lhe anseiam...
Minha hora é serena...a noite...horas adentro,
Minha superfície, mesmo gélida, águas permeiam...

Sua falta de zelo pode machucar as pessoas,
comigo não se preocupe, não nos encontramos mais...
Enquanto eclipse ambos, tivemos tais ensejos,
hoje questiono o que foi esse lampejo?

Eventos como esse tardam a se repetir...
Datas semelhantes ao findar da estação...
Como pôde realizar tal façanha?
Penso desvincilhar-me de vez dessas artimanhas...
Preciso parar de me despir, antes que fique nua...
Atenciosamente: Lua...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Música


O que realmente me move sem intolerâncias é a música...
Não fazendo a distinção do que ela remete...
Músicas pra isso, pra aquilo...ainda mais à quilo...se possível for...
Geralmente vejo as pessoas se identificarem as músicas, revelando quem elas realmente são...
Não tenho como interpretá-las de outro modo, a não ser de ser indivíduos sonâmbulos de forma tão passageira quanto as de suas realizações...
Sonhos remetidos ao inconsciente utópico...maquiando assim a realidade tátil da qual fugimos por instantes...
Sim fugimos...eles fogem, vós, nós, ela, tu...principalmente eu...
Pra poder viver as tais realidades preciso saber o que te embala, consola e anima...
...alguma melodia com letras pra descobrir a tua rima...

domingo, 11 de dezembro de 2011

Quase Perfeição



Me faça um favor?
Pare de buscar a perfeição...
Sério...lhe enxergo como uma pessoa sem graça...muito previsível...
A sua vontade se ser a pessoa certinha...não me traz nenhum agrado...não que tenha a obrigação de...mas muitas vezes me entedia com tal hipocrisia...
Minha idiossincrasia em observar tais comportamentos, me revelam o quão somos suscetíveis...
Ao fim de tudo esquecemos de ser nós mesmos almejando ser uma utopia dentre outras cópias do carbono...
O que me atrai...não é o oposto...a originalidade...mas essa tem grande valia...
A perfeição não me atrai...talvez seja essa minha hipocrisia...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Arde


Um nó na garganta que aperta de forma tão eficaz e que não deixa espaço algum para qualquer outra sensação...
Bem dado...bem feito...bem feito também...
Uma sensação tão desprazerosa quanto arrancar um dente...sabemos que vai doer...mas precisamos passar por isso...
De que outra forma posso deixar minha aparência mais bela perante aos outros?
A idéia sempre foi essa...nem que eu fure minhas bochechas com meus indicadores esticando até orelha...a idéia é essa...
Equilibrar um livro sobre a cabeça não pode ser exclusividade das modelos...de que forma poderei eu manter o rosto levantado...
E um animal de estimação que puxa meu cobertor logo pela amanhã... tem grande estima para mim...mais do que muita gente...ele sabe que eu não posso ficar na cama, no quarto...ou seja...não posso...
Também não posso me dar ao luxo de ler livros no momento...não agora...aquelas palavras completando frases de efeito querendo de alguma maneira, me ensinar como viver...não me servem...
Não gosto de frases de efeito...
...ainda mais quando se mostram verdadeiras...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Pensamento


Pensamento voa...pra nunca mais voltar...
Se agarra nas nuvens, com a esperança que um dia, cinzas, voltem...quando a saudade chamar...
Penamento intriga...gruda mais que goma de mascar em calça nova...
Permanece o tempo necessário...até se livrar do peito, o que realmente lhe incomoda...
Pensamento foge...escapa da vontade de saber...
Aquela sensação que algo lhe falta, sem saber mesmo como e por quê...
Pensamento machuca...irrita mais que corte recém feito...
Se a lástima for sua, paciência...todo mundo um dia, detentor das dores, será eleito...
Pensamento alegra...mesmo porque, não preocupa...
Não há expericência melhor do que viver aforra...
...sem um mínimo pingo de culpa...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Tal


Eu quero a porta aberta,
desvendar tais descobertas...
Aquelas tuas ofertas,
espero escolher a certa...

Por isso digo e repito:
não há tal infinito!
Só mais um grito,
de alguém belo e aflito...

Tal procura é só tua,
como se fosse uma pintura,
aproveito a aventura de,
encarar tua cintura...

Moldar tal loucura,
com dedos sigo a nua,
linhas e misturas,
da curva moldura...

Sinto muito pelos tais,
regido por um intelecto capataz...
Aqueles ditos que uma vez fui capaz,
hoje talvez fiquem para trás...

sábado, 3 de dezembro de 2011

Deixe Estar...


Posso ver tudo o que passou...
Ações lisérgicas alheias...centelhas de amizades verdadeiras...
Verdadeiras correntezas de frio e vento que trazem o som à orelha...
Situações obscuras de presença dúbia e angústia compartilhada por alguns grãos de areia...
Curvas tendenciosas sinuosas que nos levam ao oásis de interpretações noturnas errôneas...
Guiadas por um desejo de peripécias incessante frente à indagações descabidas...
Vestimentas à parte, considerando a ocasião...apenas gargalhadas gratuitas...
Histórias de uma celebração deslocada por intuitos distintos...
Realizações almejadas por anseio inexplicável...
A sombra noturna existe para aqueles que seguem o exemplo do espelho...
Mas a volta...bem a volta fica pra quem viveu...
Viver não é exceção ou regra...
Não cabe restrições e nem condições...
...mas abster-se do lógico traz a incoerência desejada...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Escritas



Vou pensar nos meus dizeres findanos desde agora...
Não pretendo deixar para os últimos dias...provavelmente irei me deixar levar por todas aquelas emoções pelas quais passamos quando nosso inuito é de nos reencontrar e trocar boas vibrações...
Preciso estar são neste momento...
Mas minha necessidade é muito mais do que meras resoluções...
Aspiro por momentos introspectivos (mais...sim), para analisar se minhas inspirações andam em consonância com minha realidade...
Não preciso criar caso com minhas habilidades ou falta delas...
Necessito apenas avaliar se meus sonhos não se tornaram um tanto utópicos...
Porque se isso acontecer...
Não vão passar de meras ilusões...
Zonas de conforto mental para escapar da realidade...
...se tornando meras escritas...