quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Tenho Medo



Tenho medo...muito medo...
Meu poder de persuadir é pleno...
Meu erro é acertar no equívoco,
de um anseio talvez muito bem compreendido...

Lógica fatal de uma idéia instável...
Coragem em ter nas mãos algo pouco razoável...
Juízo pouco crente em pôr valor,
em alguma utopia, tal como o amor...

E o receio não é uma simples covardia,
é a estratégia que uso à noite pra poder observar o dia...
A luz que salvo até o entardecer,
serve de rota pra minha sombra fugitiva...

Do estado de atenção que me encontro,
desencontro minha distração...ou meu ponto,
de equilíbrio que me mantém estável,
no pêndulo que insiste meu pulso ritmar...

Esse que sempre controlo, pulsar de emoções...
Ânsia, pavor e frustrações...
Tremores de um temor sucinto,
que aparência tenho eu quando minto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário