sábado, 18 de junho de 2011

Um Mais Um...


Muitas mentes em harmonia, sem saber ao menos por quê...
Cada gozo em sua língua, tudo me parece clichê,
O indivíduo coletivo, à espera de você...

Todo mundo fazendo um som, cada qual em seu tom...
tentando experimentar, todo e qualquer barulho bom,
E quem sabe descobrir quem desembrulhou o meu bombom...

Na roda de violão, o Ré chama as meninas...
Se quiser o Mi menor, fica calma a gente ensina,
Mesmo que por Una Cabeza...alguma coisa d'Argentina...

Cada um sabe o que bebe, pra não chegar à bebedeira...
Niguém deixa manifestar, a fada verde interesseira,
Com um cafuné se agradece, a perna como cabeceira...

Com nosso frio se congela, com nosso calor se derrete...
A gente faz o que adora, todos em cima do carpete,
Aqui ninguém fica de fora...um mais um se soma sete...

Sempre que um escolhe, qualquer número sortido...
Sua sorte está na linha e não na capa de seu livro,
O café bate à porta, para não deixar ninguém dormindo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário