segunda-feira, 6 de junho de 2011

Era Uma Vez...


Vire e mexe à tona vem a história
Redundante como um círculo vicioso
Ou como a mente de um ocioso
Denegrindo sua bela memória

Como num telefone sem fio
A mensagem sai de uma forma
Finalizando errado como norma
Sussurrado no ouvido macio

Direita pra trás, esquerda não!
Num esforço em querer dançar
Dando importância ao polegar
Na levada de um samba canção

Vivendo em cima do talvez
Juro que quero cuidar
De tudo que posso demonstrar
não precisando te contar outra vez...

Um comentário: