terça-feira, 31 de maio de 2011

Pena...


Por quê não conto!?...porque era para estar lá, oras...não faço mais convites para curiosos...
Por quê mostro!?...para mostrar que de tão simples os pequenos gestos e atitudes, as experiências se tornam singelas ao ponto de se guardar como únicas...
Cada vivência se torna ímpar ao passo que você participa dela...
...porque é o seu ponto de vista...das velhas histórias com as que estão por vir...das que acontecem, com as que a gente não espera...das expectativas falhas com fatos inesperados...
Não quero espalhar convites esporádicos e nem restringir solicitações privadas para com meu convívio...
Você ganha...sim...você perde...também...posso sentir falta de certas presenças...mas não posso lamentar suas ausências...
Não sou o promotor dos maiores divertimentos mundanos...
...mas posso me esforçar a realizar a mínima diferença...

domingo, 29 de maio de 2011

Como Andar de Bicicleta...


Quem citou essa frase pela primeira vez, não sabe o quão difícil é realizar tal tarefa...
A dificuldade talvez não seja exatamente em realizar, mas chegar de fato à dada situação, requer muitas habilidades...
A primeira observação é de tomar a decisão em seguir...pois o que há de vir, não é tão simples como bradar um "...tente outra vez..."...
Os momentos que antecipam...amedrontam, afligem, põe em xeque toda nossa sabedoria em saber o ABC decor...
Até onde é possível averiguar ninguém está preparado para a segunda vez...
Da mesma maneira onde uma pessoa pode fazer algo que o instigue de forma tão sedutora que repita uma, duas, três vezes...ela pode se recusar à repetição frente ao um tombo...
De qualquer forma, como um péssimo andador de bicicleta que sou e afim de não repetir o mesmo caminho...
...vou aproveitar o auxílio de uma rodinha extra, para o meu equilíbrio...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Bebi...


Bebi...
Tive uma leve dor de cabeça...
...quem eu estou enganando...estou com dor de cabeça...porque bebi...lógico...
Bebi...gostei...bebi...não gostei tanto...a imagem de santo do pau oco não me serve, mas, bebi...
As causas que levaram à minha leve embriaguez, muito mais pelo meu estado de espírito do que qualquer coisa...é porque eu estava bem...desimpedido das amarras que a platéia do meu coliseu poderiam me atar...
Meu coliseu não tinha leões, nem bigas, muito menos armadilhas...isso é tudo coisa de nossas cabeças...Se eu não puder dominar meus instintos, não pressentir daonde posso ser atingido...como posso confiar no caminho que estou trilhando?
Se tanto Baco como Dionísio me vigiam de algum lugar de onde eles têm o controle sobre seus frutos, como posso eu não ter ganhado o pão?
Não consigo me alegrar das mesmas encenações circenses que meu bobo apresenta...

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Quero Mais...


Quero mais é que você desapareça,
Quero mais é que você creça,
Quero mais é que você me esqueça,
Mas antes tudo, que amadureça!

Quero viver mais,
Quero ter mais,
Quero aprender mais,
Vou ter que errar mais!

Mais do mesmo, quero,
Mais de mim, espero,
Mais que bom, prezo,
Meu querer é sincero!

Mais de um passado diferente,
Querendo um futuro presente,
Querendo estar apenas contente,
Com alguém que permanece ausente!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Integrações


Como bom gaúcho de apartamento,
tenho a causa de todo esse lamento...
Garanto que tenho todos os argumentos,
Para resgatar tal sentimento...

Como campo, o destino,
por lá, o rio cristalino...
A companhia de alguém latino,
E o retorno, entoando o Hino...

O resgate pode vir por canção,
Pelo animal de estimação...
Por qualquer fogo de chão,
Noite, grinfa, pinhão...

Em um dia magnífico,
O encontro do Eu com o místico...
Da noite com o pacífico,
Algo muito belo, muy rico...

sábado, 21 de maio de 2011

Quando O Chapéu Serve...


Quando não há mais ar nas bolhas do meu plástico...
Quando encontros diários se tornam esporádicos...
Quando não tem mais graça apertar a campainha dos vizinhos e correr...
Quando não existe a mesma curiosidade pelo buraco da fechadura, ver...
Quando aquela música já não produz o mesmo efeito...
Quando não conseguimos distinguir qualidade de defeito...
Quando aquela refeição não satisfaz mais...
Quando se prefere a guerra ao contrário da paz...
Quando aquela anedota não tem mais graça...
Quando prefiro uma cama à praça...
Quando aquele resto de esperança já não traz mais nem ansiedade...
Quando começamos à contar os dias ao invés de idades...
Quando aumentamos o nosso gosto pelas novidades da ciência...
Quando o que importa é o passado, a experiência...
Quando eu digo que tenho tudo o que prezo...
Espero que não concorde com isso...é só o que peço...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Ele Novamente...


Os novos esforços para os velhos acordos, estão em séria dificuldades em vingar...
Os dois cominhos para uma possível solução, não sei se me servem...
Mudar os esforços...resposta fácil...os estímulos para uma nova estamina podem ser inúmeros...mas estão perdidos no mar...
Em relação aos velhos acordos...puxa vida!...Não quero deixar à deriva minhas velhas ambições...desistir delas é fácil demais para os expectadores...mas pra mim isso é uma perda de memória, um ataque cardíaco, uma perda de caráter...
Talvez...a única opção que ainda me resguardo em aceitá-la publicamente...é o tempo...
Tempo é duro...tempo mata...tempo é obscuro...tempo estorva...tempo não limita...tempo é foda...

terça-feira, 17 de maio de 2011

Tempo Não Resolve...


O que falar quando o único requisito permitido é calar?
Os sinuosos caminhos já percorridos outrora, estão agora camuflados...conseguimos até enxergar onde almejamos, mas sair da rota nos obriga a nos sujar para tal...
Os inúmeros manuais que possuo nas mais diferentes linguagens possíveis, só me servem para acumular mais dúvidas às já existentes...
As incontáveis fórmulas atuais ao invés de, solucionar problemas corriqueiros, só resolvem problemas passados...aqueles que nem serventia exercem...
Discussões...só servem como desabafo...falar defronte à parede pode ser um ótimo placebo...
As opções de resoluções para tal aflição, não podem se restar à uma simples condição...tempo...
Me desculpem os sábios de plantão, mas tempo, não resolve...só acomoda...exclui opções...priva vontades e esconde as ambições...
Tempo não é opção...
...calar, assistir, esperar...
...são coisas que não sei fazer muito bem...

domingo, 15 de maio de 2011

O Que Faz Você (In)Feliz?


E aí...você vai me dizer?
Qual bebida você não gosta?
Qual dança não te encanta?
O que você não gosta em seu corpo?
É preciso ter réplicas lacônicas para uma instantânea eficácia...
Qual o suco que te dá nojo?
Abacaxi com Romã?
Ignore minhas leviandades...
Leite com alfajor?
Acho que doces não são suas necessidades...
Agora...preciso saber o que resgata tua infelicidade...
Como alguém nunca pensou nessas facilidades...
Pensar no que te faz feliz...só me traz dificuldades...
De repente a data que você nasceu...seja mais relevante que sua idade...
Se te banhar com futilidades...como qualquer um...só irá agradar sua vaidade...
Isso...mesmo que mentindo...não é o que quero de verdade...
Eu só quero saber o que te faz Infeliz...
Prefiro penar restritamente nos árduos caminhos de duras mágoas...
...para assim livremente escolher os incontáveis trajetos de felicidade...sem falhas...

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Assim...


Assim, pra mim...tenha atitude! Mexa-se! Agite! Descubra! Arrisque-se! Pise na lama!...
Sinceramente talvez e não sei, não são bons parâmetros para eu compreender um provável sim ou não...
Quebrou a janela?...seja o primeiro a levantar a mão para se acusar...se realmente foi o que você fez...
Fez barulho no meio de uma sessão de cinema?...aceite os olhares recriminadores antes que ouça novamente alguns "shhh"...
Mexeu onde não devia?...não minta...não é preciso tirar digitais para descobrir quem foi...
Meteu-se em assuntos particulares?...resolva...a mesma porta de entrada serve como saída...
Não sabe o que fazer?...peça ajuda ou dê a cara à tapa...você não vai conseguir se equilibrar por muito tempo em um espaço mínimo de tijolos...
Decidiu?...vá até o final...você lembra, anteriormente, de ter pedido a opinão dos outros?
Assim...
...não sei o que quero através dessas palavras, mas...
...talvez alguém possa me dizer...

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Lixo De Gente


Vi uma mulher hoje...
Sessenta anos, creio, que já não fazia mais...as linhas do tempo podem ter me iludido...
Vi ela carregando...
Vi ela carregando e levando uma espécie de riquixá...
Não era um riquixá...não conduzia pessoas...trazia consigo lixo...
Meu lixo estava lá com certeza...não posso afirmar...
Em um certo momento ela almejou atravessar a rua...mas algo impediu...
Ela teve a audácia em passar entre um poste e um telefone público...com seu imenso pseudo-riquixá...
Fiquei de longe atônito, ainda espantado pela força daquela mulher em tentar se locomover com aquele pequeno tamanho ao mesmo tempo se desvincilhando da situação em que se encontrava...
Pensei em ir ajudar...pensei...só pensei...me restei à isso...
Relutei no instante que pensei que era o meu lixo que estava atrapalhando seu percurso...
Dei suma importância ao meu lixo...mas pensei...
Após ela conseguiu prosseguir seu caminho...
Eu pensando no que descartar nos meus pensamentos...
Ela carregando meu lixo...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Ping-Pong


Certos fatos corroboram com a tal insanidade de que tanto os seres humanos são julgados...
Precisa-se de fatos específicos?...não...não é necessário...
Precisa estar sob o efeito de alguma coisa?...tão pouco...
Intimidade?...talvez como um meio...talvez...
Mas até onde percebo um simples tête-à-tête já serve como um ótimo estopim para todo o resto que há de vir...
Queremos as mesmas idéias...adoramos...que nos contrariem...somos instigados para ir até o fundo do poço (mesmo que contra nossa vontade)...
Quando estamos juntos...queremos descobrir a minha liberdade...ou a sua...quem sabe...bom....
Essas infinitas réplicas nos servem como combustível de algo muito maior que nos alimenta...a recompensa...
É a minha droga...nossa...além da recompensa material...que presumo, que é a que tenha menos valia em cima disso...nossas satisfações...são...geralmente...buscar algo no outro...o acordo...o rompimento do acordo...um novo ponto de vista...resgatar os velhos modos de pensar...pôr a prova o que já vivemos novamente em busca...em busca...em busca de novas respostas com as mesmas velhas questões?
Bom...precisamos conversar...

sábado, 7 de maio de 2011

Passa?


De que vale a vontade...
Se não pôr em prática...
Acumula-se anos de idade...
Para não dar em nada...

Vontade reprimida é o que aflige...
Não sobe, não desce, não decide...
Não sabe para que lado olhar...
Já sabendo no que vai dar...

Vontade dá e passa...
Deve ser por isso que fico sem graça...
Vontade tinha que dar e permanecer...
Vontade tão grande de observar...de ver...

Mas vontade não é placebo...
Nem tão pouco comprimido...
Tem sentimento nesse mundo que não vejo...
Por causa da consciência de um oprimido...

Vontade da lagarta de se fechar em seu mundo...
Enclausurada...quentinha em seu casulo...
Esquecida por todos nesse planeta...
Só lembrada, quando enfim...borboleta...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Sombras Irreconhecíveis...


Borboleta ou fada que se esconde...
No obscuro, nunca no horizonte...
Só demonstra que está afim...
Quando acerta o S do Sim...

Sua petulância é corriqueira...
Nunca toma a dianteira...
A regra do jogo não tenho lido...
Seu ímpeto é sempre desmedido...

Artimanhas tendenciosas...
Risadas capciosas...
Lauda já virada, recém lida...
Lampejos de algo com vida...

No jogo de pegar o próprio rabo...
Tenho perdido, nunca ganhado...
Pequenas batalhas ganhas, pudera!
Prefiro perder desse modo, à uma guerra...

Então viro e mexo na ilusão...
Efêmera alegria ao estourar o balão...
Fada ou borboleta, qualquer ser risonho...
Algo que busco, todo dia, toda noite no meu sonho...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Quem Quer?


Quem quer meus chocolates?
Não precisa dizer:"EU!"...
Não precisa dar motivos...
Não é necessário senha...
Não existe lugar na fila...não existe fila...
Não há um ordem em minhas relações...
Nem é preciso bajular por isso...
Não é preciso se fazer de coitado...
Não vai adiantar arquitetar artimanhas...não mesmo...
Não é necessário mostrar um currículo de bons antecedentes...
Não é preciso me dar algo em troca...
Não há espaço para chantagens...
Não procuro recompensas futuras...
Não há nada por detrás desse simples ato...
...só quero dividir algo bom que possuo...
...mas também...um pouco de recíproca...não faz mal...
...então...alguém?

domingo, 1 de maio de 2011

Cabelos E Mentes


Não gosto que falem dos meus cabelos...
São meus, oras...
Estão tão enraízados em mim...que não importo como eles estejam...aliás me importo...mas do jeito que eu quiser...
Em uma extrema conexão física-fisiológica ela representam o que sou...e não o que vocês pensam...
Aliás, o que vocês pensam não está enraizado com minhas opinões...pois se estivessem...não entraríamos em discórdia...
Você pode até imaginar que eu não sei nada sobre você...mas justamente, tal desprendimento que possuo, vive fixo em suas questões mais irritantes...
Você não se irrita com meus pensamentos?
...então por quê você insiste pôr em cheque?
...por quê você não tenta cortar meus cabelos?
...você dispõe de meios para isso ou um chapéu lhe facilita a vida?