quinta-feira, 31 de março de 2011

O Que Eu Quero De Você...


Eu quero que você faça o que der na telha...sim...quem sou eu pra dizer os que outros devem fazer...
Eu quero que você faça o que for pra se sentir melhor...sim...pense em você...egoísmo nunca destruiu ninguém...
Eu quero que você brigue com que quem lhe fizer mal...sim...explique a ela que sua presença não é bem vinda....
Eu quero que você trabalhe no que você quiser...não...o trabalho não é status...
Eu quero que você acorde e durma a hora que lhe convir...não...ninguém pode ditar a hora que você pode sonhar...
Eu só quero que você seja feliz...
Se puder me ouvir de vez enquando, não me separar de suas experiências, não brigar comigo, me deixar ao seu lado, dividir suas conquistas profissionais e porque não, ninar...lhe dar bom dia...
...assim você me deixaria feliz...
...mas o intuito aqui...é outro...

terça-feira, 29 de março de 2011

Meus Pais...


Não acredito nos meus pais...não mesmo...
E por que devia!?...desde cedo só agem de forma dissimulada maquiando minha vida...
Não acredito neles...
Regalos de fim de ano, os doces de Abril e as baixas notas monetárias embaixo de meu travesseiro à queda de meus dentes, perderam sentido logo quando pus fé no homem do saco, no monstro do armário e no dito que, mexer com fogo remetia à uma cama molhada durante meu sono...
Eu não acredito nos meus pais...
Essas inúmeras falsidades permearam todo o meu viver...hoje já consigo filtrar algumas lorotas que já me ludibriaram por tempos...
Contudo, hoje, sou constantemente atingido por mentiras de amor, ilusões democráticas, desconfianças afetivas, falsidades sociais...tudo isso pela falta de credulidade que tenho nos meus pais...
...penso que meu ceticismo deve ceder espaço para os contos de de meus progenitores...
...suas mentiras, até hoje, só me favoreceram...assim espero...
...mesmo com os dedos cruzados atrás de suas costas...

domingo, 27 de março de 2011

Dia De Escutar


Hoje é dia de escutar...sim ...por que não!?
Nunca me preparei tanto para tal dia, mas hoje resolvi escutar...
Não que durante minha vida eu esteja censurado esses momentos, mas hoje, sei lá...
Poder escutar os conselhos das pessoas experientes...
Poder ouvir as ingenuidades dos mais inocentes...
Poder observar atentantemente os relatos dos relutantes...
Poder ler os melhores contos de auto-ajuda...
Poder absorver tudo das boas vibrações, tudo o que de grande utilidade me servir...
As que não me sentir à vontade, saberei filtrar...
Hoje resolvi escutar...
...mas há um problema...
...hoje ninguém me disse nada...

sexta-feira, 25 de março de 2011

Procurando Pistas...


Tem algo escondido...
Alguém deve ter feito...
Procurei por pistas,
raro não ter suspeitos...

Observei em cada canto,
curioso do modo que sou...
Uni desejo e pressa, mas,
Rapidez...só me atrasou..

Apurei a concentração,
nadei contra as distrações...
Dos fatos que pude analisar...
Ouvi, ao invés de dar opiniões...

Obstinação, não me falta...
Querer é meu desejo...
Uma luz, agora me falta...
Em cima do meu lampejo...

quarta-feira, 23 de março de 2011

Inquietação


Queria ter o conhecimento necessário para poder falar todos os idiomas...sim, isso me fascina...
Sei que a prática e o esforço são importantes para tal feito...mas queria que fosse mais fácil...
Como se fossem quipás onde cada um correspondesse a uma língua estrangeira e pudesse carregar todos consigo...isso seria bom...
Lógico!...como não pensei...em algum espaço megalomaníaco em minha mente, poderia quem sabe...dominar o mundo...não!?...tudo bem...passei dos limites...
Alguns tipos de cultura que poderia absorver poderiam me conceder certas habilidades, como a ordem e a sabedoria oriental...a capacidade de sobrevivência de alguns territórios nórdicos...a força e a perseverança de algumas terras africanas...
Mas, isso tudo para mim, não saberia realmente se existiria alguma valia...
...a ânsia de entender a língua dos homens é o que me aflige...
...me aflige realmente o que os homens querem dos homens...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Minha...


Hoje você não sai de mim...
Quero que você me siga,
Onde eu for, você vai até o fim...
Mesmo que haja uma briga...

Se do abismo eu me atirar,
você vem junto...
Se por acaso titubear,
eu te seguro...

Se me chamar de egoísta, assumo...
Se pensar em altruísmo, nego...
Se você desaparecer, eu sumo...
Ao meu lado, que fique, eu peço...


Mas não te quero a toda hora...
O seu desenho onde passa, seduz...
Eu, só deixo você ir embora,
Quando alguém apagar a luz...

sábado, 19 de março de 2011

Mito Homem


Há boatos que o mito Homem é uma criança curiosa...
Curiosa...nada além...a não ser pelo fato que gosta de brincar com tudo que inventa...e como inventa...
Inventa moda, modos...na verdade sempre que o mito Homem não tem com o que se incomodar, inventa algo para fazer...e como ele é eficaz...
A eficácia do mito Homem é tão bem sucedida, que vira e mexe, está sempre exercendo algo que de tão maluco que pareça ser, só pode ser brincadeira...coisas que só criamos em sonho...e como ele sonha...
Os sonhos do mito Homem são diversos, geralmente querendo tirar o melhor proveito de todas as situações, ele tira o melhor para o seu conforto, o melhor para o seu divertimento, o melhor para sua segurança, ele tira...e como tira...
Só que o lugar onde o mito Homem gosta de tirar seus proveitos, geralmente, são de lugares inusitados...o mito Homem, gosta de brincar na terra, na água, no ar...mas não gosta muito de cuidar dos lugares onde brinca...aliás sua Mãe já o alertou várias vezes que, se não cuidar de seus espaços, vai proibir suas brincadeiras...por bem ou por mal...
...e como brinca...

quinta-feira, 17 de março de 2011

Caixinha De Devaneios


Expectativas não são fatos...são!?...sempre que pus fé, meus logros não foram os que almejava...por isso são expectativas...
Talvez essa maneira crua, de ver e trabalhar as ansiedades, não me leve muito longe...
Dificilmemte se trabalha com objetos do passado ou preferências do futuro...as únicas sensações que posso ter a respeito, são os de raiva, tristeza ou alegria, felicidade...
São raros os momentos passados que posso não contar com o lado bom dos fatos...dizem que apenas são mudanças de perspectiva...
Não condeno minhas inimizades do passado, não lamento pelos momentos não vividos, nem ao menos deixo de gostar de antigos amores...nunca me fizeram mal algum...
No momento não consigo ter em mente lembranças futuras...ou melhor dizendo, planos, estratégias...não sou eficaz em arquitetar seja o que for...
Os dizeres são muitos...emolduram nossas cartas, fotos, momentos...esses se resumem onde se definem...relicários possíveis...
Os amores impossíveis não acabam nunca, são os que duram para sempre...
...e não fui eu o primeiro que disse...

terça-feira, 15 de março de 2011

O Palhaço


O Palhaço está triste,
não tem motivos pra sorrir...
Sua graça agora,
só faz chorar ao invés de rir...

Seu picadeiro está vazio...
As cores, a purpurina,
ninguém mais as viu...
Nem menino...nem menina...

Palhaçadas agora nulas,
dão lugar a crianças fulas...
As brincadeiras são mudas,
Por faces agora brutas...

O Palhaço não tem porque sorrir..
Porque para isso há de se ter coragem...
A lágrima que tende a seguir,
segue manchando sua maquiagem...

domingo, 13 de março de 2011

Máscaras Sociais


Peço que permitam minha incoparável relação entre o ser humano e o álbum de fotos de nossas redes sociais...
Pois bem, de uma estranha maneira, geralmente condicionada aos nossos interesses e desejos, nos comportamos de diferentes feições, de acordo com as pessoas que nos rodeiam...
Sim, e não que isso é de todo ruim, contudo também não aprovo tanto...mas como se para cada ocasião para um diferente alguém, eu me comportasse de um jeito diferente...vejá só é só procurar em meu álbum...
Meus requisitos não exigem fotos igauis, como imagens clássicas de alguns rapazes de Liverpool e nunca criticarei as diversas facetas de Michael...mas como gostaria que evitassem atitudes que causam desconforto aos próximos...
...os próximos nunca desejaram estar tão longe frente à isso...
...frente à isso nunca desejamos estar tão longe...

sexta-feira, 11 de março de 2011

Toque


Necessito me render aos velhos escritos do velho progenitor...
O toque é a recíproca própria...não vi até hoje quem conseguiu ser indiferente à isso...e não importa suas manifestações...
O toque cria a rejeição, repulsa, asco...essas respostas são tão normais quanto suas intenções...
O toque cria bondade, o afago, a felicidade...essas réplicas são cabíveis manifestações de um debate de entendimento mútuo...
O toque é seu espelho...ele vive na expectativa do retorno...e não necessariamente o retorno do aperto de mão ou do abraço...esses são importantes mas não é deles que me refiro...
O toque...analisando bem...nem precisa ter essas respostas óbvias...
...a maioria das vezes ele só necessita de um ato, que nem todos tem a habilidade de exercer...
...é ser aceito...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Elas


Sabe aquele jogo de charme, em que se você for condescendente, vai se deixar levar...pois é...
Lembra daquela conversa sobre vocês dois em que talvez não esteja muito afim de participar...hummm...
Recorda daquele pressentimento, onde o NADA quer dizer tudo, e você não quer perguntar duas vezes...
Essa mistura de uma força monumental, nunca demonstrada, aparentando uma ilusória fragilidade sabiamente mostrando-se compenetradas em suas atitudes perfeccionistas, tudo embrulhado em um pacote de sensualidade distinta, onde nós não temos a habilidade necessária pra compreendê-las...
Eu não consegueria e nem desejaria escrever algo tão complexo e nem gostaria de confundir ninguém sobre meus pensamentos...
E não me refiro que isso seja um ofício vitalício...
...mas é um prazer tentar desvendá-las...

segunda-feira, 7 de março de 2011

Não, É Não!


Não é Não, não é!?
Isso já passa de ser um bordão
Qualquer sábio ou mané
Sabe que não precisa explicação

Sempre achei que o Não
Fosse entendido na sua raiz...
Explícito por uma exclamação
Deixando você menos feliz...

Não há dúvida, o Não dói
Proferido sem volta
Adentra em si e corrói
Fechando nossas portas...

Deve-se pensar duas vezes antes do dito
Essa palavra que não dá lugar pro sim...
Não consegue ser comprado e nem corrompido
Só tem o intuito de enaltecer o fim...

sábado, 5 de março de 2011

Brincadeira de Infância


No árduo caminho do jogo da amarelinha, iniciei onde é necessário começar...pelo Inferno não...pulei direto para o número 1...mas logo que cheguei ao Céu percebi que tinha que voltar e que o Céu também não era tudo aquilo que imaginava...
Na brincadeira do polícia e ladrão até hoje fico pensando em que lado começar o jogo...é sempre bom fazer o papel do mocinho, mas praticar contravenções com o ser humano tem suas vantagens...não sei...acredito que exista...a maioria das pessoas cometem e dormem no travesseiro com um sorriso no rosto...
No pega-pega eu era sempre um dos mais rápidos e ágeis...era difícil me alcançarem...mas constantemente confundia as regras do jogo e me escondia esperando que ninguém me encontrasse até eu estar seguro de que era plausível dar as caras...
No vivo ou morto...ah essa brincadeira eu era bom...há de se ter uma ótima percepção pra escolher o estado que se tem de estar, não é!? Ou alguém precisa ditar o comando...só espero não estar jogando errado então...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Falsidade Bem Vinda


A indisposição que atinge a todos deve ter uma boa explicação...
Sério!
Não escuto mais aqueles falsos "Tudo Bem!" quando questiono se de fato está...
O discurso está um pouco diferente ultimamente, tais como: Apesar do pesares...Indo, só indo...Trabalhando feito um burro no pasto...e por aí vai...
A aparência das pessoas também vem mudando aos poucos...mesmo com a estafa estampada em suas faces, ainda assim se propõem em usufruir seus últimos esforços em atividades que só irão projetar inúmeros percalços no dia seguinte...longe de mim querer ditar o rumo das pessoas...
Mas, logo logo, vou estar conversando com zumbis...
O que me vem a mente é que estamos sempre percorrendo um mesmo percurso com numa queda d'água de Escher...sem fim...não conseguimos nos libertar das mesmas idéias...
E de alguma forma isso nos destrói aos poucos, fazendo perder toda a energia vital que nos é necessária...como se algum personagem em um romance de Bram Stoker nos sugasse a vida de forma clássica...
...para mim, as aparências não enganam faz tempo...
...saudades dos falsos "Tudo Bem!"...

terça-feira, 1 de março de 2011

Quase Lá...


Ansiedade e expectativa andam lado a lado num romance apaixonado, sendo que ambos extrapolam em uma relação extra-conjugal com a aflição...
O pior, ou melhor, que essa relação à três sempre existiu e dificilmente alguém irá separá-los de alguma forma...eles não se sentem culpados por nenhuma coisa...vamos confundir tudo?
A expectativa por algo ou alguém nos leva a uma ansiedade dependendo da importância e do tempo, gerando a aflição...círculo vicioso né...puro cálculo matemático onde a ordem dos fatores não altera o produto...que produto?
Bem...vocês podem até ficar irritados, zangados, sem saber o que fazer...ou descontando nas incontáveis barras de chocolates, nos insurdecedores barulhos de plástico bolha recém estourados ou nos socos em direção a um saco de pancadas aliviando o stress...
...mas só há duas possíveis respostas para isso: felicidade ou tristeza...
...e isso meus caros só o tempo permitirá responder...