quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Saltos...


É a distância entre eu e a areia...
O penhasco e o chão...
Entre as vigas, o vão...
Do fogo ao carvão...

O sapo e a vitória-régia...
Do cordão à poça...
A distância do trabalho, a média...
Entre a cama e a roça...

Da porta ao chuveiro...
O frio do banheiro...
Leva-se um minuto inteiro...
Inverno, bem corriqueiro...

Do vontade, o flerte...
Do beijo, o olhar...
Pra recusa, o não...
Expectativa à decepção...

Daquilo que se quer ao suor...
Servir à ser capacho...
Dúvida entre o pior e o melhor...
Entre o que eu penso e o que eu acho...

Escolha entre a água ao vinho...
Da balbúrdia à própria reclusa...
Os meios dos caminhos...
Entre as peles, sua blusa...

Da semente, a espera...
Do broto, a terra...
Do veneno, a Hera...
Até o fim, a serra...

O amor entre a Bela e a Fera...
A cela, entre o prisioneiro e Lisbela...
Para Gabriela, o cravo, a canela...
Para o breu entre as estrelas, a Guerra..

Tênis, pé de pato, asa delta..
Eu entre o chão e o ar...
Muito mais para um mente aberta...
Requisito mínimo para poder saltar...

5 comentários: