domingo, 27 de fevereiro de 2011

Seja Bem Vindo!


Para entender o ímpeto de cada pessoa é necessário adentrar por certas portas localizadas em diferentes partes do nosso corpo humano...
Afim de entender e quantificar o esforço alheio, recolher o suor de nada basta...há que se identificar a estafa psicológica...
Para se perceber o apelo, há que se observar os gestos...o contato...a necessidade de amparo...
Para sentir a veracidade dos fatos, há que se acreditar e convencer pelo olhos que nos fulminam, a cada vez que tentamos transmitir nossos intuitos...
Seguindo todos esses caminhos, poderemos estar aptos a receber qualquer tipo de discurso para preencher a informação...
Só assim conseguimos contemplar a cumplicidade que tanto buscamos proveninentes de um coração bondoso...
...os afagos situacionais, exercem muito bem seus papéis...
...início, meio e fim...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Tudo Vem Tudo Volta...


Uma coisa que não entendo é o nível de obstinação das pessoas...
Mentira, entendo sim, eu também reluto muito em minhas idéias fixas...confirmo de pés juntos e assino embaixo...
Mas tal posicionamento firme expõe seus limites de aceitação...
Alguém já tentou discutir algo com uma pessoa inflexível?...batalha um tanto quanto perdida nao é mesmo? Essa pessoa só vai baixar suas defesas se algo de fato, realmente, a prejudicar...
Os fanáticos...bom esses se quedam tão cegos que não sei se haveria um papel para eles em uma obra de Saramago...são como formigas operárias só absorvem ordens subliminarmente direcionadas às nossas anteninhas sabiamente sintonizadas em uma mesma estação um tanto duvidosa...
Bom, e os teimosos...o que fazer com eles?
Na verdade só podemos chamar assim quando acontecem algo de errado com eles, pois até então eles são pessoas convictas de suas certezas...por mais que detenhamos o conhecimento alheio de nada podemos fazer para persuadi-los...e precisamos ter a sábia sensibilidade em não proferir um ótimo e, porque não, vingativo: Te avisei!
Pessoas tão resistentes assim...deveriam ter os castigos do destino mais brandos...
...muitas vezes machucam, sabe!?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Bagunça Boa Brasileira


Eu tava batucando de boa fé
na lata do meu buggy em tom de ré
bebendo uma birita pra ver qual é
batuque de baiano com muito axé

Barulho não é bom se você é
budista ou bebê que faz nhééé
Briga de bebum é pra mané
Mussum que é Mussum bebe um mé

Bailando no boteco todo a mil
Baixinho no balcão e ninguém viu
Ninguém me reconhece e nem psiu
Meu cabelo não é black e nem bombril

O busto da minha nega é uma beleza
beijando nas beirada de esperteza
Balanço de bumbum se põe à mesa
Boquinha na boquinha, minha fraqueza

Berimbau que faz zumzum é um barato
Bengala de bambu é um boato
Biquini de bolinha bem bordado
Será o benedito, eu não sou beato

Buzinando e brincando com as "guria"
Brincando com as "barbie" ela me domina
Eu não faço milagre nem uso batina
Boêmio bom que sou: vem cá menina!

Bom dia: eu tô bode, não quero nada!
Baderna no meu bar, maior roubada
Bolero com baião mas que piada
Broxei com um broto bom, a noite passada!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Não Quero...


Não quero ser mais o que já fui...talvez aperfeiçoar...mas não...não mais...
Cansei do meu velho novo...mas não quero ser o novo velho...
Já tive meus vinte e cinco anos de sonho e de sangue...quero sair daqui onde estou...
Quero ter a liberdade de ir e vir dentro da minha prisão...quero ter o cárcerce privado dentro do mundo...
Acho que posso ser prepotente em dizer que sei tudo o que já vivi e ser humilde em dizer tudo o que não aprendi...
A minha expectativa ao passar do tempo é proporcional ao número de pessoas que posso me deparar...infinita...
A renovação de tudo isso, não passa apenas, por números simbólicos...passa pela inversão deles...
Pelo menos penso assim...fico na espera para poder viver tudo aquilo que posso na inversão dos meu números...
Mal posso esperar pelos meus meia dois...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Imagem & Ação


Naquela máxima de que uma imagem vale mais que mil palavras e onde o silêncio responde tudo, vou vivendo...
Aquela mistura em querer ser ouvido e tentar ser entendido, algumas pessoas me acompanham...
As táticas são inúmeras, as estratégias infinitas, mas o padrão é o mesmo...o êxito é restrito...
Por vezes o grito prevalece enquanto o silêncio adormece...por outras este ensurdece enquanto o primeiro de nada serve...
A dúvida, o questionamento, a interrogação, todas elas vem à cavalo em cima da angústia, da aflição e de mãos dadas com a exclamação...
Árvores são transformadas em importantes pergaminhos que interpretados profudamente, revelam nossas frustrações...ao tempo em que olhamos a platéia ávida por questões não resolvidas...
Assim, esperamos o transporte do nosso precioso tempo passar bem diante de nós...muitas vezes esquecido pelo calor do momento e salientado segundos antes do provável fracasso...
Porém possuímos um sem número de chances, que talvez o intuito delas nem sirvam para tudo isso que foi descrito logo acima...
...muitas vezes eles apenas servem para distinguir entre aquilo que você pensa e aquilo que você imagina...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Brincadeira de Criança...


Houve um tempo em minha vida em que eu era meio bobo...um tanto sarcástico...com uma pitada de comediante...
Não gostava de acordar cedo, ainda mais naquelas manhãs de chuva torrencial, em que chovia canivetes...aí que não saía mesmo...não tinha um guarda-chuva resistente a cortes...sempre ficava com a pulga atrás da orelha quando o céu escurecia...apesar de nunca ter achado tal pulga...
Quando falava isso para meus pais eles sempre mandavam plantar batata...mas não sabia onde comprava as sementes...droga...eles sempre ficavam de saco cheio dessas histórias...contudo, nunca achei-o, saco, sacola ou coisa que o valha...pior do que estar em minha pele, só estando na pele do tal Benedito, esse tem uma má reputação...eu acho...
Mas eles sempre tiveram paciência comigo, sempre dizem que a esperança é última que morre...imagino quem vai morrer antes dela...
Já disse que um dia eu vou melhorar, só que eles retrucam, dizem que é conversa pra boi dormir...nem sabia que boi me dava atenção...
Antes que eu acabe com a cabeça nas nuvens, espero terminar essa história sem fim...
porque se eu continuar inventando coisas...ninguém vai mais acreditar em mim...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Operárias...


Sabe...não entendo muito as formigas...
Aliás sinto pena por elas...
Esse comportamento delas, de sempre manter a cabeça baixa e ir...não tem inseto mais pau mandado na face terra...ou debaixo dela...
Observava, quando pequeno, os meninos mais velhos da rua queimando uma formiga por vez usando uma lupa com os raios do sol...fulminando-as...que infortúnio dos céus...
Ou quando alguém pisava em cima de um formigueiro querendo destruir tudo o que elas haviam construído...ou até derramando água quente, veneno...que maldade...está certo que elas incomodam quando mordem, mas se fosse por isso já tinha tentado matar alguns de meus amigos...
Falando bem a verdade eu não entendo o que leva elas a construir um formigueiro melhor a cada dia, adquirir o alimento próprio e para os outros, e tudo isso em uma rotina louca de trabalho...
Formigueiros nunca duram...
...sempre existirá os meninos mais velhos da rua para atrapalhar suas vidas...
...não entendo os meninos mais velhos da rua...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Areias da Vida...


Fico imaginando como as pessoas mudam ao longo do tempo...
Sempre há pontos cruciais em nossa existência que norteiam nossos hábitos, comportamentos, nuances, trejeitos...
São poucos momentos em destaque, que nos fazem mudar por motivos afáveis...
Normalmente essas mudanças, quase que impostas, acontecem por frustrações, lamentos, até mesmo infortúnios...
As consequências dessas metamorfoses, são as que nos permitem analisar friamente a conduta de nossos entes mais queridos...
As resoluções sobre as mesmas, sobrepõe as meras DR's de nossos vínculos afetivos...nos servem como um espelho mais eficaz, do que só aqueles que refletem...esses nos apontam os indicadores...
E devemos aceitar as críticas contornando elas para chegar ao denominador comum e não lutar contra elas...como subir em uma duna de areia fina que só atrasa o seu progresso...
Muitas vezes as pessoas se deixam enterrar pela areia que os ventos fortes carregam...
...as pessoas não mudam...elas simplesmente se deslocam de acordo com a areia que desliza para o outro lado...
...uma hora a ampulheta é virada novamente...

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Dividido


Acordei pensando ora nisso, ora naquilo...
Em uma incrível habilidade olhei para o despertador e para o interruptor de luz...não sabia se ligava esse ou desligava aquele...
Ao café não decidia entre quente e frio, e logo após percebi que um lado da minha boca estava sujo, o outro não...mania alimentar, garanto...
Ao fim da manhã percebi que só havia passado desodorante em uma das axilas...meu azar...sorte para os outros, estava sozinho...
Caminhando para o almoço bati o quadril em uma das quinas da mesa...acho que vou precisar sentar só em um lado da cadeira...sabe, meia bunda sentada...meio bunda ao léu...
Em casa, no banho, os furinhos do meu chuveiro se dividiam em lava e glacial...testando meu bom humor e paciência...
Saindo do banho pisei em um brinco deixado ou pela minha adorável companheira ou pela minha amada cria...amanhã vou passar o dia mancando...provavelmente...
Passei o dia pensando em algo e fazendo outras coisas...
...meu coração às vezes é egoísta às vezes é altruísta...
...eu sou meio assim...acredito que todos também...
...muitos pensam enfim...eu penso além...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Hummm Doces!


Quem aqui não curte ser um bom receptor de algumas guloseimas...
Uma goma de mascar bem refrescante e doce...o bom tempo em que ela permanece em nossas bocas é incalculável...se inventar de tirar com a mão pra colocar no lixo, uma coisa é certa, vai grudar na sua mão...você vai se irritar...e se demorar demais, fica sem gosto...goma de mascar deveria já vir avisada que uma hora vai sair...de um jeito ou de outro...
Chocolate...esse não tem erro...uma vez aberto a embalagem é só degustar e apreciar seu doce aroma...porém...se tiver muito gelado no início, será necessário, todo um tempo estratégico para enfim poder comê-lo...ou se já vier muito quente, provavelmente, estará todo mole, com aspecto um tanto quanto não convidativo...passando aquela vontade imensa de comer para outro momento...
Quindim...esse sim um doce que aprecio...ele não pode estar nem muito amarelo e nem muito queimado...há um ponto exato de se preparar ele que até hoje desconheço como fazer...só quando comer...esse doce também lambuza seus dedos e seus lábios...aquela aflição de mãos grudando e sem ter onde limpar...
Pois bem...esses pequenos doces da vida começam a importunar minhas vontades...preciso ter novas diretrizes em relação aos doces que como...
Minhas vontades...um tanto egoísta...
...lógico que sim...a dor de barriga vai ser minha!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Me Escuta...


Tem momentos na vida que não vai...
Aquela velha máxima de contornar a tempestade, mudar a direção das velas...de nada adiantam...Se insistirmos muito vamos parecer um cachorro com um cabo de vassoura na boca tentando passar pela porta...não dá!
Nem os maiores estrategistas militares, engenheiros da Nasa ou cientistas do Cern conseguem solucionar certos casos...
A linha tênue entre a persistência e a teimosia tem a mesma duração entre a resistência do dedo ao fogo, quando se segura um fósforo aceso...a decisão sobre que fazer precisa ser rápida e eficaz...
As consequências em decisões não corretas, de repente, nem vão ter agravantes tão sérios, porém inúmeros insucessos ou falhas não calculadas, nos desmoralizam de tal forma nos classificando como ingênuos...
...finalizando um belo:"Te avisei!"...
...não posso ser tão inocente assim...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Tempos Estranhos


Creio que vivo numa época de coisas fora de seu tempo...
Uma deturpação de significados que dá um nó em minha mente...
O significado de urgência mudou de para amanhã, para ontem...sou do tempo que não se voltava no tempo...o máximo que poderia sonhar era com uma película de Michael J. Fox...o resto que ficava era saudade ou arrependimento...
O significado de amor mudou do simples respeito afetuoso de cumplicidade mútua para desrespeito bígamo de status público...o veneno de Julieta hoje é outro...não mata mais...
A medida de felicidade sempre foi mensurada, ao meu ver, por valores adquiridos e pessoas que o cercavam pelos mesmos...hoje é taxada por valores monetários adquiridos e pessoas que o cercam pelos mesmos...certo!?
A idéia de diferenças étnicas, religiosas e sociais, essa sim vive um anacronismo perfeito de um mundo imperfeito...os Robin Hood's, as Joana D'Arc's, os Zumbi's voltaram hoje substituindo os Martin Luther King's, as Madre Tereza's e Chico Mendes's, mas com atos semelhantes ao de Pol Pot, Imperatriz Cixi e Genghis Khan...
O interesse sobre o futuro para mim, até então, era sobre o que nos aguardava sobre novas descobertas, novos lugares a visitar, novas experiências a se compartilhar, agora nos preocupa que o futuro se aproxime...ele é tão incerto quanto outros tempos, mas com muito mais notícias que não nos agradam...
...não sei em que tempo devo permanecer...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Saltos...


É a distância entre eu e a areia...
O penhasco e o chão...
Entre as vigas, o vão...
Do fogo ao carvão...

O sapo e a vitória-régia...
Do cordão à poça...
A distância do trabalho, a média...
Entre a cama e a roça...

Da porta ao chuveiro...
O frio do banheiro...
Leva-se um minuto inteiro...
Inverno, bem corriqueiro...

Do vontade, o flerte...
Do beijo, o olhar...
Pra recusa, o não...
Expectativa à decepção...

Daquilo que se quer ao suor...
Servir à ser capacho...
Dúvida entre o pior e o melhor...
Entre o que eu penso e o que eu acho...

Escolha entre a água ao vinho...
Da balbúrdia à própria reclusa...
Os meios dos caminhos...
Entre as peles, sua blusa...

Da semente, a espera...
Do broto, a terra...
Do veneno, a Hera...
Até o fim, a serra...

O amor entre a Bela e a Fera...
A cela, entre o prisioneiro e Lisbela...
Para Gabriela, o cravo, a canela...
Para o breu entre as estrelas, a Guerra..

Tênis, pé de pato, asa delta..
Eu entre o chão e o ar...
Muito mais para um mente aberta...
Requisito mínimo para poder saltar...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Termina Logo...


Antes que termine, nem deveria ter começado...
Esse mês deveria ser riscado do calendário...Novembro...Dezembro...Janeiro...Março!
Para início de conversa desde de pequeno aprendi que todo o mês tem 30 dias...depois aprendi que sempre intercalando existe os de 31 e os de 30...aí me aparece esse pobre mês no ano...
Sim é um mês coitado...como alguém em sã consciência deixa ser roubado duas vezes e não faz nada?...ainda que por algum presente de consolação dos astros ao longo dos anos é emprestado um dia...mês perdedor esse hein...
Um mês pouco produtivo, pouco comercial, pouco cultural...pouco...é tão pouco que nem feriado o forneceram...
Me desculpem os aquarianos e os piscianos...mas esse 28 dias são pequenos demais pra vocês dois...
Acho que me encontro em meu Inferno Astral...
...putz....termina logo...