quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Com Sal, Por Favor!


Não aguento mais feijão com arroz...sempre a mesma mesmice...
O máximo que poderia variar seria um lentilha e um arroz integral...mas mesmo assim...
Não aguento a mesma mesmice...não quero isso pra mim...
A vida de muitos está assim...porém não julgo essa maneira de viver como incorreta...
Apenas, por enquanto, não desejo isso...
O nascer, amadurecer, procriar, envelhecer e morrer, para mim está equivalente a uma fórmula de báscara...sem utilidade nenhuma e nenhum anseio de despejar números em cima dela...
Não estou afim de resolver essa conta...
É como seu eu fizesse parte de um destino condicionado...
Já faz tempo que não assisto mais às novelas...elas viveram e acredito que ainda vivem ditando vidas alheias...
A opinão dos outros, apenas as de poucos me importam...uma certa condição de conveniência confesso...
Quero que meu pão de cada dia venha de um jeito diferente...aquela família "perfeita" que vive passando margarina talvez não me convenha...
...se tiver que passar por isso quero a minha com sal...as "sem sal" não me trazem desafios...



DEVIDO MINHAS FÉRIAS, PROVAVELMENTE ESTAREI IMPOSSIBILITADO DE POSTAR ALGO ATÉ O DIA 09 DE JANEIRO, SE POSSÍVEL IREI POSTAR O MAIS BREVE SEGUINDO A MESMA REGULARIDADE...SE NÃO...JÁ SABEM...AGUARDEM E UM FELIZ ANO NOVO A TODOS!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Bolsa de Valores


Atualmente me sinto no direito de elevar meus percentuais...
Minha inflação de personalidade ao fim do ano chegou ao extremo...ao ponto que as pessoas
desconfiem de meus ganhos...
Como primeira medida, aumento a dificuldade das pessoas de comportamento ignorante se dirigirem à minha pessoa...essas pessoas terão no máximo alguns segundos de minha pífia vida e ainda por cima com o meu direito de respota e sem réplicas...nesse momento conversarão com minha sombra...se ainda ali estiver...
Pessoas de amizade e interesses duvidosos, poderão aproveitar de um breve desconto, de minhas baixas defesas...e só...tenho um poder imunológico muito bom...sou pior que um vírus...
Mas também irei promover algumas gratuidades...demonstrações de afeto terão isenção de taxa, da mesma forma que ganharão muitos pontos promocionais para as épocas de crise em que se encontrarem e vierem pedir algum empréstimo emocional ou coisa que o valha...
...as minhas condições são simples...o prazo de facilidades e pagamentos oportunos é infindável...os meus créditos são dirigidos de acordo com o meu mercado...eu não aceito mais especulações...os papéis de sentimentos verdadeiros estão em alta em minha bolsa de valores...se alguém quiser adquirir...

domingo, 26 de dezembro de 2010

Marca Registrada


Por quem somos regulados? Ou melhor por quais razões?
Acredito que vivemos num mundo dissimulado...não!?
Pois bem vejamos, vivemos de sentenças, muitas vezes mal proferidas, ditas de maneira intuitiva sempre esperando a resposta desejada...
Mas que emoção de viver há nisso? Viver em expectativas planejadas...
Tudo bem que isso até eu estou à mercê e pratico muito, porém percebo que essas situaçãoes já estão muito bem classificadas e entendidas por todos...não tem mais a graça do inesperado, só a expectativa da certeza...
...tudo é assim...até a maneira como termino essas palavras...

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Livre Arbítrio


As vontades que possuímos ao longo da vida, quase sempre são reprimidas pelo conceito do limite de liberdade que nos cerca...
Esse mesmo conceito, tem a capacidade para que nós, simples humanos, possamos desenvolver nosso senso de estratégia...
Afinal somos ratos sempre à procura de uma fenda, um mínimo espaço no qual podemos aproveitar de forma perspicaz sem infringir nada ou prejudicar alguém...
O desejo do proibido é proporcional aos nossos sonhos quase utópicos, pois o abismo que existe entre ambos nada mais é que a medida de como podemos solucionar a transposição de nossos obstáculos...
Essa inferência cercada das minhas premissas, não foge muito do que o ser humano está em busca...o pleno conhecimento sobre o outro...
Enquanto não conseguimos desenvolver a habilidade psíquica de saber o que o outro está pensando, vamos vivendo o que nos é permitido...uma série de capítulos inéditos e sem sinopses...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Prismas


A vida vista através de certas tonalidades, tem a capacidade ilusória de nos permitir vivenciar inúmeras sensações que muitas vezes estão atreladas à elas...
O amarelo por exemplo, ninguém consegue repetir a alegria de ver o mesmo sol por vezes durante a vida, ele sabe muito bem brincar com as cores...
O vermelho tem como paixão o objetivo de contrabalancear as coisas boas e as fúrias que emergem e fluem a partir do coração...
O verde é o contraste perfeito do azul do céu com as águas, a idéia de tranquilidade...
O anil nos serve apenas como alvejante para distinguir o azul do violeta, pois o violeta, demonstra a austeridade ou muito bem o mistério...é um enigma decifrá-lo...
O azul traz a idéia de introspecção, de paz de espiríto, lugares que somente nas nuvens ou nas profundezas pluviais é que se encontra o ambiente propício para tal...
O laranja vem com idéias fortes que marcam tanto quanto o fogo que queima quanto a própria fruta que mata a sede...
Por mais que esse texto possa se perdurar em muitas outras comparações, a idéia de poder quantificar todas elas, se misturam na minha cabeça deixando nela um temível e interminável papel em branco...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Tempos


A introspecção que me invade ao tardar do ano, não tem nenhuma presunção de tecer meus objetivos para um próximo ano...
Também não tem fins específicos afim de alguma reclusa em busca de paz mental...
Na verdade busco informações do que fazer...o ócio que talvez venha agregado nessa época pode ser muito benéfico, mas não me convém...não agora...
Também não pretendo importunar niguém nessa época em busca do que fazer...talvez, eu seja bem receptivo se alguém vier pedir auxílio...
Desocupado? Não sei...
Solitude? Acho que não...
Então...se alguémn puder responder, esperarei ávido por respostas...
...pelo menos as respostas que me convém...

sábado, 18 de dezembro de 2010

Respostas...


Juro que não escrevo pensando nisso depois ouvir algo de Nando Reis...
Mas não há algo tão conflitante quanto...
Esse tipo de espera chega ser tão prazeroso...quanto aos segundos que antecedem a boca de um sorvete de chocolate...já sabemos o que esperar e a ansiedade nos aniquila com a gula finalizada...enfim...
Também existe aquele lado, como num amigo secreto onde sabemos quem nos vai presentear...encontramos ela em algum lugar comprando um presente marcante...e na revelação, decepcionados, descobrimos, que não ganhamos nada tão relevante...para quem terá sido aquele objeto tão desejado...
Tudo o que realizamos em vida, sempre nos é aconselhado que a nossa mente reflita no mínimo duas vezes antes qualquer atitude...a minha pensa até mais...aquele objetivo de que saia tudo como esperamos faz parte do meu caráter controlador desde pequeno...
A sensação de estar pendurado por uma corda em um penhasco, esperando que alguém lhe salve e que este alguém seja realmente quem você queira...nada mais é que você em um deserto, alucinando, torcendo que a cada oásis seja algo mais verdadeiro, que sua própria força de vontade desejando que tudo ocorra segundo nosso roteiro...
Ter a real noção disso em paz consigo mesmo, é o melhor que nos pode acontecer...sabendo que o antigo nem sempre pode representar o presente...e diante de qualquer mínimo impasse...a única solução que devemos aceitar é continuar distante...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Cultivo


Eu nunca o conheci
Na verdade só posso dizer do que vi
Uma mistura de som e cores
Surreal como um quadro de Dalí

Flores reconheci
As que exalam perfume, senti
As que ainda florescem, permiti
Pois o verão, esse sim, inicia enfim

Rosa, Lírio, Alfazema
Da Gardênia, Hortênsia e Flor-de-Lis
Mal-me-quer da Margarida com Menta
Cactos da vida com aroma de Jasmim

A harmonia me parece muito familiar
O samba de uma nota só que não tem fim
Minha cobiça tardia por não saber como tratar
O belo cultivo das flores de Seu Jardim

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tantos Questionamentos...


Olha já estou de saco cheio de tanta indecisão...
Sim, o por quês me perseguem de tal forma, que minha indecisão ultrapassa os limites de um simples não saber o que fazer...
Os Se's são tantos que a dependência de condições para que alguma questão seja solucionada, não está sujeita a nenhum interrogatório...
Tanto que as dúvidas que permeiam tal reflexão, oscilam entre prós e contras mensurados por razões talvez nunca vividas que a conclusão de tal impasse continue na mesma...
Essa confusão de palavras mal distribuídas, talvez não afetem as mentes bem elaboradas de alguns...
...porém a que possuo, de tempos em tempos põe em prova minha capacidade de encontrar as saídas mal sinalizadas de meus labirintos bem projetados...

domingo, 12 de dezembro de 2010

Rápido Demais...


Pressa é uma coisa que eu não tenho...bom na verdade tenho mas prefiro não externar...
Pressa não me levou a lugar nenhum até o presente momento que sentado escrevo...
Pressa só me derrubou...e não tinha uma cadeira confortável embaixo...
É algo que não pode ser confundido com ansiedade ou imediatiasmo...
É algo maléfico no ponto de vista que cada coisa tem seu tempo e ninguém pode ultrapassar...
É mais uma desculpa daquilo que não teve êxito em tempo hábil...
Demais pra mim...por mais que eu queira acompanhar o ritmo de todos, não conquisto tal façanha...
Demais para os outros também...ninguém é obrigado a me acompanhar...o meu ritmo é um contra-tempo do descompasso que sigo...
Demais da conta...conta essa que não pretendo resolver tão urgentemente...
Esse cálculo sobre a minha vida só eu posso resolver, se me interromper...tenho que começar tudo de
novo...
...essa pressa é demais pra mim...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O Que Se Faz


Queria comprar algo ultimamente...algo que muitas vezes não se põe preço...mas por vezes insistimos em comprar...custe o que for...de um momento ao outro nos disponibilizamos a realizar proezas nunca feitas antes, em prol desse objetivo...
Alugar...bom...disso nunca ouvi falar...mas se me emprestasse um pouco do que gostaria...já me satisfaria por um momento...não...acho que o gosto do que quero mais, ficaria eternizado em meus sentidos e permaneceria com certeza inebriado por uma sensação de querer mais...
A consignação seria um círculo vicioso que nenhum cartão de crédito sem limites poderia arcar...com certeza...iria prejudicar as bolsas de valores de alguns países...e alguns setores da economia teriam que andar de acordo com as minhas vontades...
Vender...pelo que tenho noção de minhas faculdades mentais nunca ouvi ou espero que ninguém nunca faça isso...eu não faria...meio contraditório...pois compraria com certeza...mas não venderia algo tão desejado...
As grandes brigas se tornariam situações memoráveis gostosas de se lembrar, os intermináveis olhares...esses sim se tornaram e tornariam ainda mais, um espelho fiel da idealização com o idealizado...
...bom esse essas palavras não quero que se eternalizem aqui...ainda quero mais disso...não posso perder no momento, o agora...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Acreditar


Muitas coisas me compram...
Uma boa capa de um livro, uma música em um cd, um show em um festival, alguém em algum lugar...
Não me vendo fácil não, mas me considero muitas vezes ingênuo em acontecimentos que vivencio...
Confio muito nas minhas expectativas, geralmente elas não falham...sempre baseadas em um leque de informações fornecido das coisas que me cercam...
Não me vendo fácil...
Porém quem consegue captar minha atenção pode usufruir de todas as coisas boas que posso proporocionar...sim...dificilmente meço esforços...
Agora...essa minha suscetibilidade, me serve como minha própria forca...ainda procuro descobrir...se as coisas se extrapolam ao meu controle ou não delimito muito bem as fronteiras da minha liberdade de espaço...
Até onde esperar...acreditar...permitir...
...em um imenso rol de atitudes tudo o que não espero de vocês...é mentir...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Hummm...


Eu queria escrever hoje sobre algo quente...tão quente quanto esse novo clima que me atinge...
Uma mistura de coisas picantes e outras nem tanto...
Vocês pensam em sexo e eu também...mas é algo muito mais além...
Aqui não falo de amor e nem de paixão...por mais clichê que pareça ser...nada tem a ver com o coração...
Talvez seja algo invisível aos olhos que só a estação pode propocionar...essa sensação de quente e frio que por vezes nos faz transpirar...
Também não trato de doenças...isso nunca quis pensar, essa febre vem em tempos...não há como explicar...
Por vezes mudo as rotinas...mas acabo do mesmo jeito...uma troca de olhares...um tocar...um beijo...
Isso é mais que uma condição...falo de verdade...mesmo mesmo...
Uns falam que é tesão...eu falo que é desejo...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Pluviômetro



Aqui já demonstrei meu apreço pela lua...também a minha indignação aos dias gélidos...porém há algo que está me tirando a expectativa de entusiasmo há vários dias...a chuva...
Pois bem...não vejo um mal maior nisso contudo, ela, carrega algo de pesado...
Com os dias árduos vivido ao longo do ano, o ser humano (brasileiro) enxerga os dias bons sempre ao fim de cada ano...como se o natal e o reveillon fossem marcos históricos na linha do tempo de nossas grandes conquistas em vida...
Com eles, vêm o verão...quer dizer...até então só chuva...
Olhamos para aquele céu em vários tons de cinza e azul, em forma de cobertores que sempre em alguma hora inesperada nos cobre, sufocando todos nossos anseios em busca do contato humano...
Cada gota de chuva que percorre de cima a baixo de nossas janelas nos recorda cada lágrima violentamente projetada de nossos olhos...geralmente o impacto da gota na janela deve ter a mesma intensidade da lágrima que escorres por nossas faces...
Ao passo que vejo a chuva como uma onda sem direção que tem o intuito de nos preparar para dias melhores...
...aquela maré de boa sorte...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Minha Autoria


Eu sei...isso é tão piegas quanto uma canção de amor, mas é uma verdade...
Minha vida é livro aberto...da capa a contra-capa...
A capa eu não posso maquiá-la muito...nem que eu quisesse...os meus olhos trazem o título...bem explícito...
O enredo da minha história é marcada por diversos capítulos...algumas folhas amassadas...algumas orelhas em canto de página...e um marca-página que obedece a minha conveniência...
Há muitas anotações em cima dele...ele é rabiscado...por mais que eu acha um crime rabiscar um livro...tem suas páginas amareladas também pelo tempo...essas são as que eu mais gosto...são revisitadas de tempos em tempos no recordar de meus contos...as páginas em branco...são aquelas que sempre foram deixadas de lado...momentos tristes...situações difíceis...mas se encontram ali...cada uma em seu lugar...não tenho coragem e nem vontade de rasgá-las da minha obra inacabada...
Sempre que possível procuro ilustrá-las...muitas pessoas não entendem ou não acreditam no que está escrito e assim, preciso comprovar distribuindo inúmeros argumentos coloridos...porém nem sempre demonstram eficácia...
Pois é as palavras chaves e o sumário eu ia esquecendo de comentar...mas esse deixo para quem me ajudou a escrever...garanto que os que participaram tem idéias muito melhores que as minhas para entitulá-las...
Os meus agradecimentos são diversos...precisaria de uma enciclopédia para tal feito...porém me resta algo que até então, não obtive auxílio para realizar...o prefácio...
Os pensamento são muitos...diversos...contraditórios...inexplicáveis por vezes...
...acho que isso é a única coisa que me falta...