quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Indefinições


Pois cá estava eu, procurando razões nos meses...
Razões para serem lembradas...momentos que são identificados ao longo do tempo...
Janeiro...é aquele das resoluções...onde planejamos tudo aquilo que não vamos realizar...pois é...ou quando nos acontece algo inesperado...tal como...um novo olhar sobre o tudo...
Fevereiro é o último para exorcisar todos nossos demônios e extravasar nossas angústias...melhor se preparar para o que vem...
Março se apresenta como cabeçalho do longo e extenso trabalho que devemos realizar durante esse ciclo...um simples despertador necessário sazonal...
Abril...um período de inúmeras comemorações por ínumeros motivos e objetivos...nessa época que caímos na realidade do que realizamos até então...
Maio...por mais egoísta que eu possa ser nessa minha redundância, só serve para mães e filhos...prenúncio de clausura...
Junho...corações à parte...nunca tirei proveito desta especificidade afetiva...triste não!?...pois é não sei...
Julho é um mês muito neutro...tem a data do rock para celebrar...mas pra mim é um cativeiro social...
Agosto é um mês amaldiçoado por muitas culturas ao redor...não é por menos que os cachorros enlouquecem...
Setembro...ah a Primavera...mais uma oportunidade de sorrisos, visões belas...apenas a expectativa da energia que nos devora internamente, se libertar...
Outubro...algumas festividades retornam mas, o que marca, são as últimas gotas de orvalho congeladas do que tivemos que passar por...
Novembro é a preparação para o fechamento...as últimas medidas desesperadas nos acometem...tempo de desisistir do que já não se conquista...discordo muito...
Dezembro...o desfecho de tudo...onde poderíamos nos tornar onipresentes, afim de, resgatar tudo aquilo que não conseguimos ao longo da peleia das estações...comemorações e conformidades a parte...é um mês extenso...interminável...tanto quanto à sua expectativa de utilizá-lo eficientemente...curto...tal como o ato de saborear um sorvete sob um calor de 50ºC antes que ele derreta...
Bendito ciclo sabido...mesmo conhecido por muitos...enganando a tudo e a todos...nos afaga vindo pela frente...porém parte sem nos deixar seu nome...intuito...razão...

Um comentário:

  1. O tempo passa, e as pessoas cada vez mais esquecem que na correria dos dias, meses e anos, deixam de fazer muitas coisas que gostariam, se acomodam e deixam o tempo passar. Vivem para trabalhar para poder viver...e assim vai.
    Acredito que em muitos casos ele é nosso melhor amigo...deixar ele passar para esquecer certas coisas...
    Na essência isso não vale...ir atrás, aproveitar tudo como se fosse o último é o que faz a vida realmente valer a pena!
    Bjos Lipe
    Chris

    ResponderExcluir