segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MonoDiálogo


Conversar sobres determinados temas com determinados seres humanos, requer uma certa sondagem a cerca dos tipos reações que vamos receber e retribuir...
O tempo certo de cada diálogo não tem a mesma validade que um bom duelo de olhares, certificando-se que a sinceridade vista no espelhos dos olhos de ambos seja um cancela erguida para um possível esclarecimento...
O momento exato para se decidir o início dessa troca de histórias, está fundado, nos resquícios fronteiriços dos laços de afinidade que ainda existem ou estão por se inaugurar...
A hora verdadeira de se abrir o jogo não é definido pela liberdade de aceitação do outro em ouvir ou não...a primeira tarefa a ser realizada é a de uma aceitação mútua entre a idéia e a ação que será concebida através do confrontamento da realidade...muitas vezes o que nos cerca não nos convém contar verdades...afinal...o mundo prefere viver sossegadamente na ilusão das omissões...
No entanto, exarcebar certas aflições, nos faz mudar as lentes de nossos óculos foscos, riscados, causados pelo encarceramento, muitas vezes visceral, de nossos impasses com a vida...
A ansiedade de nos libertar disso, compartilhando com a pessoa certa, nos faz seguir em frente, podendo vencer todos os buracos e curvas de nosso caminho sinuoso...
...a viagem não é apenas marcada somente pelo seu destino final...há muitas coisas pelo caminho que precisam ser verificadas...

3 comentários:

  1. Aprendi, que algumas coisas não devem ser compartilhadas, para que não haja crítica, cobrança, sarcasmo, chantagem...
    O laço confiança pode ser rapidamente rompido qdo há interesses em jogo...
    Eis a vantagem do monodiálogo.

    ResponderExcluir
  2. Faço muito disso!!
    O texto ta muuito bom Lipe :D

    E tive uma certeza né...louca eu ainda não estou :P
    Beijoo

    ResponderExcluir