domingo, 31 de outubro de 2010

De Ponta Cabeça


Os de peixes são assim, de cima pra baixo ou o contrário, um esquema...
De alguma forma entende-se como um círculo vicioso
É um meio termo entre a conquista e a decepção desinformada...
Para nós o andar da roda gigante é muito mais que um sobe e desce colorido
O mistério, ainda persiste como um oásis, para os que tentam de alguma forma me iludir...
De alguma forma, me expressar, faz sucumbir minha guarnição que prezo tanto
Não gosto que as pessoas descubram o que se passa na minha cabeça...
Sou meio egoísta em relação aos meus sentimentos...
Muitas das percepções que tenho, guardo para mim
Por isso me torno um questionador de tudo...
As maneiras de se lidar com os outros são muito ingênuas,
Apesar de homem, gosto de algumas coisas complexas da vida
Não dá pra entender tudo que mostro de forma acessível...
Está certo que geralmente somos incompreensíveis por natureza
Crêem que não tenho os pés no chão...
Sempre conotam meus anseios como de uma mente vivida nas nuvens...
Nossos interesses por mais que sejam divergentes, são puros
Mas sempre que tento convencê-los...pensam que eu os subestimem
Na verdade não consigo ter êxito para que todos andem ao meu lado
Talvez por isso ninguém concorde comigo...
Sou um pisciano...fazer o quê?
Talvez se eu ler isso de baixo pra cima...não...vai dar no mesmo...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

...


...aqui venho, exibir toda minha idolatria por algo tão sublime quanto a sua importância demonstrada por mim através destas palavras...
As pintinhas do corpo de uma mulher, são para mim, um fascínio de uma magnitude que transpõe as fronteiras da minha libido...emoldurando retratos, pinturas, que como em qualquer outro lugar do mundo, arte tão valiosa...só é permitido admirar...
Não venho aqui falar das famosas somente...essas...chefes de estado e magnatas do mundo da moda já tiveram sua oportunidade, deixando para mim, mero mortal, apenas a voz suave de um "Happy Birthday Mr. President", ou alguma capa de revista que eu tenha a chance de visualizar...
Esses sinais, são parte de uma cadeia de informações onde nunca consigo solucionar o propósito final...sempre acabo me perdendo entre eles...um labirinto de indícios no desenvolvimento da estratégia para me iludir...zombando do papel de bobo que faço...
Na verdade, eles servem como presságio...me previnindo de algo que talvez não possa suportar posteriormente...se fossem de alguma personagem da mitologia grega, provavelmente estaria petrificado ao olhá-las...
Aposto que nesse momento, algumas, pensam que não possuem tais virtudes de quais eu estimo tanto...mas essa é única certeza de que não posso corroborar...todas mulheres possuem suas pintinhas estratégicamente posicionadas...seus sinais que as identificam como únicas...suas sardas semeadas ao vento suavemente depositadas sobre a pele...entre as demais...
Sabiamente minha ignorância me inebria toda vez que deparo com elas...assim continuo como um tolo...observando essas armadilhas de sedução salpicadas sobre a pele...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Espelhos


Me desculpe os adoradores de rosas...amantes da música...dos escritores filósofos...
Daqueles que beijam incessantemente...daqueles que cumprem ordens...dos que degustam as peculiaridades...dos que sabem sentir...
Mas a minha decisão é irrevogável quanto a eficácia e a dimensão que um olhar pode causar...
O olhar pode ser compreendido nos lugares mais tumultuados existentes ao passo que pode ser ensurdecedor ao único par de olhos que o recebe...
Ele tem o poder de incriminar as maiores mágoas e decepções que um ser humano pode sofrer, coexistindo com o olhar de desprezo e indiferença na assimilação dos fatos...
O simples fato de acusar com tal ação, pode levantar a dúvida e a injustiça sem o franzir da testa ou arqueamento das sobrancelhas participando desta artimanha...
O olhar pode conotar a maior cumplicidade de alegria de um momento vivido a dois...três...principalmente a dois...a supresa e a expectativa simultaneamente podem ser transformados em puro êxtase a poucos momentos de um olhar fatal...
Não pense que estou com a visão fixa no olhar...as piscadelas, o encarar, as olhadas de canto de olho, as brincadeiras com olhos de fazer rir...todas...tem um espaço muito bem reservado, nas minhas intenções de escolha para os momentos exigidos que a vida nos faz aprender...
Porém, das janelas que transmitem o que a mente tem a dizer, apenas me resguardo atrás da muralha dos cílios que servem como último recurso...um embate por longos segundos facilmente pode me desarmar dos trajes coloridos das íris que me confortam...
...do aguardo que me resta, me surge apenas, a esperança das intenções deste olhar que me fita...
...do temor que me aflige...só não espero a derrota de uma lágrima concebida pelos olhos meus...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MonoDiálogo


Conversar sobres determinados temas com determinados seres humanos, requer uma certa sondagem a cerca dos tipos reações que vamos receber e retribuir...
O tempo certo de cada diálogo não tem a mesma validade que um bom duelo de olhares, certificando-se que a sinceridade vista no espelhos dos olhos de ambos seja um cancela erguida para um possível esclarecimento...
O momento exato para se decidir o início dessa troca de histórias, está fundado, nos resquícios fronteiriços dos laços de afinidade que ainda existem ou estão por se inaugurar...
A hora verdadeira de se abrir o jogo não é definido pela liberdade de aceitação do outro em ouvir ou não...a primeira tarefa a ser realizada é a de uma aceitação mútua entre a idéia e a ação que será concebida através do confrontamento da realidade...muitas vezes o que nos cerca não nos convém contar verdades...afinal...o mundo prefere viver sossegadamente na ilusão das omissões...
No entanto, exarcebar certas aflições, nos faz mudar as lentes de nossos óculos foscos, riscados, causados pelo encarceramento, muitas vezes visceral, de nossos impasses com a vida...
A ansiedade de nos libertar disso, compartilhando com a pessoa certa, nos faz seguir em frente, podendo vencer todos os buracos e curvas de nosso caminho sinuoso...
...a viagem não é apenas marcada somente pelo seu destino final...há muitas coisas pelo caminho que precisam ser verificadas...

sábado, 23 de outubro de 2010

Ambição Sem Fim


Estava eu assistindo um desenho animado, aquele dos dois ratos(ou camundongos), onde um é obcecado por dominar o mundo e é sempre cercado de finais fracassados, porém toda noite antes de dormir...ele lembra a todos que amanhã será um novo dia para trabalhar de um forma diferente acerca do mesmo objetivo...
Loucos!? Talvez...Einsten já dizia que louco é aquele que faz a mesma coisa todos os dias, sempre esperando um resultado diferente...não sei definir isso corretamente...
O que mais me intrigou nessa película, foi em que nenhum momento ele enfatiza o fracasso, não se deixa abalar por tal situação...
O ser humano por outro lado, não consegue vivenciar por um segundo se quer tal momento...o ato de falhar é sempre delineado por alguma interpérie que fuja seu alcance...se eximindo sempre...e logo esquece seu objetivo...focando diretamente em desculpas...
Se pegar em um momento onde as rédeas de nossa carruagem, não estão mais em nossas mãos, é uma aflição enorme...toda pessoa é, por natureza, despreparada para isso...não possuímos àquela capacidade de resiliência daonde os grandes emergem...afinal...Fênix é um mito, correto!?
A grande falha que nos faz tornar imóveis, estagnados em uma espécie de areia movediça, é que apenas salientamos nossas experiências fracassadas...de uma forma ou de outra emolduramos ela a cada diálogo, como uma medalha de honra do sofrimento passado...
Aliás o ser humano sobrevive em cima de seus sofrimentos, e quando há o outro envolvido, deveríamos ter um monumento póstumo, como soldados mortos em uma guerra por um amor...tema universal dos escritores que homenageiam seus "vilões" e "heróis"...
Para não termos aquele sentimento de impotência perante as pessoas, não nos basta fazer o outro entender o que desejamos...e sim dividir os mesmos anseios...afinal 1+1 é igual a 1+1...precisamos ser tão corajosos quanto o amor...Hendrix não poderia estar tão fora de suas faculdades mentais quando expressou isso...afinal é o que iremos fazer amanhã...a mesma coisa que fazemos todos os dias...
...tentar conquistar o "outro"...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O Que Impede...


Eu queria poder viajar...agora...sempre...de segunda à sexta...como eu queria...
Eu queria assistir vários concertos ao vivo...como numa escolha de um DVD...aqui na minha estante...a qualquer momento...
Eu queria contar as mais engraçadas anedotas...a todos...como num momento de stand-up...em qualquer lugar...
Eu queria degustar as comidas mais exóticas...as bebidas mais desejadas...as sobremesas...
Eu queria aproveitar muitos momentos com meus animais...cachorro...sagüi...girafa...iguana...
Eu queria brincar de várias brincadeiras...pega-pega...esconde-esconde...festa junina...
Eu queria ficar abraçado com as pessoas que gosto...irmão...avó...namorada...
Eu queria dar conselhos pra todos que precisassem...amigos...alunos...os reflexivos...
Eu queria aprender todas as formas de comunicação...línguas novas...libras...o toque...o olhar...
Eu queria ter as nuances mais aguçadas...o sexto sentido...o instinto...a sorte...
Olha...na verdade eu queria muito mais do que viajar...mas meus amigos só estão disponíveis em determinados horários...gostaria mesmo que eles fossem comigo aos diversos shows...mas o artistas também possuem suas escalas...com toda certeza divertiria eles com coisas engraçadas, mas alguns preferem não rir de algumas interpéries alheias...dividir com todos a minha gula, mas tenho receio que alguns passem mal, inclusive eu...
Os animais infelizmente nem todos posso possuir, também não sei se eles gostariam de estar ao meu lado...as brincadeiras, não encontro mais pessoas com o mesmo espírito que o meu...os momentos de afeto, uns já perdi a oportunidade de realizar, outros não tenho escusas por não fazer...o que desejo falar nem todos gostariam de ouvir...o meu modo de me fazer transparecer ninguém compreende...e todas àquelas habilidades que tenho excelência, de nada servem...
Mesmo assim....como eu queria...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Por Quê?


É uma coisa que aborrece muito mas tem comprovação de sua eficácia...
A indagação que ocorre a todos e de idades diferentes é a mais importante engrenagem do desenvolvimento do ser humano...
A questão das curiosidades move tudo e qualquer tipo de impasse frente a inércia que nos consome pela falta de um saber comum...
As respostas concebidas de forma não requisitada, pouco influi em nossos desejos...ao passo que nossos anseios dificilmente obtém as soluções advindas de algum tipo de esperança...
As informações constantemente são passadas, re-passadas, comercializadas...agora...até hoje ninguém me emprestou idéia alguma ou pediu aluguel sobre...
As pessoas se apropiam tanto do conhecimento, que chegam ao ponto de serem inversamente proporcional à sua aplicabilidade...
Até as questões mais árduas no pequeno grande mundo de meu irmão menor, são resolvidas quando os "porques" sim e os "porques" não, surgem afrontando sua inteligência...que me assombram ao passar dos dias...
Algumas respostas deveriam ser excluídas diante de algumas ingorâncias inexoráveis...
Nenhum conhecimento é inútil...mas a dor do desperdício intelectual, é o fardo que os sábios sofrem com a insipiência letárgica dos que a censuram...

domingo, 17 de outubro de 2010

Caciques


Nas minhas andanças pude observar algumas coisas, que me afligem de certo modo, principalmente na forma de conduta de certo tipo de relação com outrém...por exemplo...a subordinação...
A subordinação para mim, não pode ser vista como uma burocracia pejorativa...é simplesmente um entendimento de ambas as partes sobres quais funções cada um pode delegar e qual deve exercer...
Porém o perigo mora justamente nessa mesma burocracia...sobre a forma de comando do poder imposto...
Com isto em mãos, o poder de decidir, as pessoas promovem uma mudança de comportamento fácilmente identificada frente à alguns empecilhos...
A forma como lidam, ou como se comportam, se de forma depreciativa, transmite uma rede de maus pensamentos que atingem à todos que o cercam como num recuo rápido do mar prevendo um onda maior...
A delegação de poderes, se sucede no mínimo de forma do prestígio da confiança...a índole, também agrega essa escolha...
Contudo, não há verdade melhor de esclarecer isto, do que com aquela velha máxima...se desejas conhecer o homem...dê-lhe o poder....

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O Que Deseja Beber?


Os ideais das pessoas constantemente se confundem com os interesses dos outros...pois bem...
Os meus objetivos, minhas convicções, meus nortes...tudo aquilo que me direciona cegamente à minha proposta existencial, me serve como rascunho de uma grande obra separado por pequenos projetos que permeiam o meu dia-a-dia...
Obviamente, existe uma porcentagem desses pequenos projetos em que não há êxito, devido à algumas interpéries do tempo, tais como, pessoas, sentimentos, ocasiões, habilidades...
Tudo aquilo que me cativa, me prende a atenção, me faz concentrar, me estimula...são particularidades que são constantemente "plantadas" em nosso rumo, como minas terrestres, que nos deixam receosos sobre qual deveria pisar, tendo em vista que essas explosões, são nada além do que experiências já conhecidas de nosso córtex, e que estupidamente ou sabiamente pisamos em uma de nossa escolha...confesso que já me veio a mente passar correndo pisando sobre todas elas...
Esse pequeno equívoco que astuciamente cometemos, é literalmente aquela decisão entre o ser humano continuar em sua trilha sem nenhum desvio já conhecendo seu destino final...ou aquele que sempre vive sem controle de seus anseios...
Pra quem pensa constantemente sobre os reais interesses do seres humanos...ofereça um bebida...alguns beberão vinho...outros cerveja...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Prioridades...


A vida pelo que vejo de nada é difícil ou impossível de se realizar...
A sua participação depende muito mais do que estar ao lado...o simples fato de estar ao lado de algum afeto...pode não significar nada...o presente dado não reflete mais do que lembranças em forma de placebo...cápsulas sem efeito...
As pessoas hoje em dia se exigem de mais...penso, que por coisa óbvia, pelo menor tempo que passamos uns com os outros...
Nós não conseguimos comprar o tempo...e olha que muitos já tentaram e ainda tentam...nem as temperaturas mais baixas do mundo nos conservam do modo que gostaríamos...
Se pensarmos bem, nos contentamos muito bem, obrigado, por um número incálculavel de experiências, de tempo mínimo, com um público máximo para testemunhar...
Me pergunto se preciso de tantos cúmplices para minha vida...ou se preciso de mais vida para meus cúmplices...
Certamente ninguém me receitará a dosagem mínima correta para isso...existem vários pesos para várias medidas...
Ainda insisto...não concordo...que nesse momento vivemos muito para os outros, do que para nós...essa inversão de prioridades...tem um efeito incálculável para mim...e posso dizer que pífio...para os outros...por mais próximos eles dizem ser...
Prioridade não está mais agregada à uma habilidade de ser/estar...e sim de fazer acontecer....

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Que Há Dentro?


De vez enquando eu começo a fuçar nas coisas...
Começo nas coisas que possuo...vou mexendo, desmontando, montando...
Muitas das coisas não resistem aos testes...algumas coisas também me testam...e por vezes também fraquejo perante as mesmas...
As pessoas agem dessa forma...muitas vezes inconscientemente...
Ninguém aqui pode ser taxado de algo sem testá-lo correto!?
Muito me fascina descobrir o que há dentro de cada um...e sem testar!!! Apenas procurando descobrir as semelhanças, as diferenças, gostos, nuances...
O teste em si...não tem graça! Ou vai ver existe até...conheço inúmeros que vivem disso...mas a relevância de participar ingenuamente de um processo em que não pode conhecer o seu fim...não há preço!
Por esse e outros motivos...procuro sempre abrir as caixas de Pandora que possuímos...porque dos males não tenho medo...se o receio existir, o afastamento persiste...
Dos posters, das capas, desse entretenimento fácil...de utilidade...só aos olhos me agradam...
...o que realmente eu quero...bom...é testar vossas resistências...a validade de cada um ao meu lado é uma experiência que desejo viver...

domingo, 10 de outubro de 2010

O Homem


O bicho-homem é dotado de várias facetas...algumas adquirindo...ou descobrindo...
O homem (ser humano) é um bicho manhoso, ardiloso, que por muitas vezes arquiteta algo tão simples com comprar uma bala transformando em uma tática militar em detrimento de seus interesses...o doce vira projétil com endereço certo...
O homem (indivíduo), é aquele que quase sempre almeja que todas as vibrações positivas de sua vida o influencie de forma corriqueira...lógico não medindo esforços para isso...
O homem (sexo), é fétido! Não há química ou lance de pele que faça o homem (naipe) se vangloriar ou ter alguma rendição, de todas as armadilhas em que caiu...lógico...criadas por ele mesmo...
O homem (atencioso), é literalmente a falta do Macho Alfa da Alcatéia...a sensibilidade adquirida e desenvolvida por muitos, de nada adianta a uma olhar de desprezo...
O homem (o blefador), é o Ás no jogo...de alguma forma ele sempre acaba iludibriando o que e a quem deseja...mesmo omitindo a verdade verdadeira dos fatos...
O homem (sociável),é aquele desejado por muitos e odiado muitas vezes por quem os conhece...resumindo o imprestável de nossos sonhos...
O homem (precavido), é aquele chato, sem graça, onde não pode se esperar alguma coisa além do que ele consegue vender...um Prato Feito sem erros...geralmente, cava seu próprio buraco...todo mundo conhece o gosto dele...
A perspicácia desses que desenvolvem alguma habilidade utilizável, são podados em relação à alguns comportamentos...esses que demonstram algo subliminarmente original...
Sim é necessário ter esses tipos de comportamento arredios e objetivos, apesar de não serem sinônimos...
Às vezes me pego refletindo sobre a própria mostragem que o homem (ser humano) faz de si mesmo...
Nunca criei coragem em pôr minhas fichas nos rostos da pessoas...Jim Carey sentiria inveja das mutáveis faces que encontro no caminho...





DEVIDO A PROBLEMAS DE CONEXÃO DO GOOGLE, NÃO PUDE POSTAR O TEXTO DE SÁBADO COMO USUALMENTE FAÇO, PORTANTO, HOJE ESTAREI POSTANDO O TEXTO DE SÁBADO E SE OS PROBLEMAS TÉCNICOS DO GOOGLE NÃO VOLTAREM AMANHÃ ESTAREMOS DE VOLTA COM A POSTAGEM NORMAL DE 2 EM 2 DIAS.
OBRIGADO PELA COMPREENSÃO

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Desligue...leia um livro!


Quem aqui nunca se sentiu com a consciência pesada ao tomar banho logo após de um belo de um almoço?
Pois é, existem outras coisas, como não levar um casaco que a mãe pede, pra não ficar doente, ou não ler na obscuridade porque pode estragar a visão...entre outras coisas...
Geralmente são aqueles tipos de conselhos que não têm o intuito de nos rogar qualquer praga possível, mas apenas de nos alertar de uma "possível" infelicidade...
Esses tipos de "avisos" oriundos de todos os tipos de personalidades alheias, contêm sempre um certo "ar" de experiência ao nos repassar tais informações...informações essas que geralmente nos deixam algemados pelos olhos críticos das outras pessoas...ou alguém acha cabível uma pessoa não seguir essa cartilha de vida: Nascer...conhecer sua metade...constituir uma família padrão a de uma novela de horário nobre...ter seus filhos...seus "Bens" valiosos...etc...etc...e....Felizes para todo Sempre!?
Esse conceito deturpado de felicidade arcaico não consegue mais adquirir espaço em nossas vidas, ao passo também que observo que as pessoas não conseguem criar uma definição simples sobre a mesma...
Cada dia que passa assisto as pessoas mais estupefatas como baratas tontas, sob o efeito que de algum inseticida barato e fácil de inspirar...
Essas histórias muito menos me fascinam enquanto vou conhecendo mais as pessoas...hoje em dia percebo que seus anseios além de ser mais palpáveis, estão tomados de uma simplicidade que assombra muitos...todos aqueles que não desligaram a televisão...lógico...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Linha Do Tempo...


Algumas experiências que vivemos atualmente, nada mais são as mesmas que nossos pais viveram...porém de forma muito estranha...penso eu...
Lembro que sentávamos à mesa para almoçar ou jantar e assistir TV juntos...hoje continuamos assistir à TV...cada um com a sua...
O LP que rodava na vitrola era um acontecimento para que todos apreciassem...o som original continua...todo mundo tem um fone de ouvido...certo!?
As brincadeiras de antigamente nos exigiam habilidades, destreza, agilidade...hoje algumas horas de prática qualquer um manda bem na frente de um video-game...
Se discutia sobre quais grupos de música eram melhores...ou quais eram as melhores músicas...hoje se discute onde foram parar aqueles grupos...e a música de hoje...bem...
Uma vez se escolhia os melhores candidatos...hoje vota-se nos menos piores...ou nem isso...
O futebol de rua era o melhor lugar para a caça de talentos...hoje se escolhe qual o melhor lugar para aprender a jogar...
Meu pai me ensinava sobre as novas tecnologias e tudo que era novo...hoje meu irmão mais novo ensina
Uma vez na falta do que fazer, aprontando alguma, ou pra não encher o saco, Louça...Laço...Lenha...resolvia...hoje existem psicologias...pedagogias...e algumas manias...sempre amparado por algum tipo de estudo...
Antigamente era notório falar o português correto...hoje um inglês mentiroso já faz currículo...
Se contava os dias para não ficar para Tia...hoje é questionável se vale à pena permancer ao lado de alguém...
O amor era para sempre...hoje é descartável...
A vida passada não posso considerar melhor que essa...provavelmente vou viver mais vidas nesta mesma que me encontro...não sei o que me espera no futuro para comparar...

domingo, 3 de outubro de 2010

Partido do Fanático por Futebol do Senhor


Desde que me entendo por gente e comecei a refletir sobre as coisas no mundo, existiu três assuntos no mundo que sempre tive fascínio por obter informações e uma imensa aversão com a proximidade delas...sim aquelas mesmas que não se discute...bom...
Nessa semana que passou construiu-se uma fortaleza dentro de mim em relação à esses assuntos...mas com muros tão frágeis que não tive como não ser atingido...e criar mais repúdio em relação às mesmas...
Vamos lá...
1º Onde está o meu direito de andar livremente ou ter uma simples conversa sadia sobre um esporte que por mais que seja uma paixão nacional?...Poxa vida...eu fico analizando de fora, sim porque ainda me resta sanidade para não entrar de cabeça nisso, como as pessoas criam uma identificação tão forte com alguma insígnia que provavelmente "não dá a mínima" para a identidade de cada torcedor...não desenvolve nada em prol da comunidade...lógico que a política do pão e circo está aí e também desfruto dela, mas pessoas que levam seus problemas para "anfiteatros" pensando que estão em Coliseus, me dão medo ...não mesmo...comigo não...
2º Onde está o meu direito de dormir aos domingos em silêncio? Ou de não ter que escutar sinos e sons ecumênicos todo os dias aos mesmos horários... Aonde estão os órgãos tão competentes que todas as noites ou inclusive durante o dia, regularizam os decibéis de cada estabelecimento...Gostaria de ser algum militar ao comando de George W. Bush com missão...Eliminar SINOS e CAIXAS DE SONS...com algum daqueles mísseis teleguiados...isso sim seria um Amém...
3º Aonde está o meu direito de não ser amaldiçoado com palavras ríspidas por eu não concordar em receber um adesivo ou querer escutar as propostas de algum candidato? Aonde está o meu direito de Eu mesmo colocar as sujeiras que encontro no chão ou em cima das gramas, não importando a pessoa que se encontra em tal propaganda, sem ser ameaçado...
Vivendo em uma nação que prezo muito, parece que por momentos que acontecem todos anos, meus direitos são revogados por pessoas ricas, com contribuições duvidosas e amparadas por lei que apenas me permitem ouvir promessas, pagando um dízimo e torcendo fervorasamente com a esperança de que meu tive ganhe no final...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

À Espera de ...


Quando escuto que os ventos bons trarão notícias de meu agrado...espero com ansiedade...juro...não sou uma pessoa muito paciente...
Diríamos que por alguma razão oriunda da sociedade ou de meu próprio caráter (uma vez ou outra, moldado pela mesma) prego a existência do imediatismo comigo mesmo e de quem geralmente está ao meu redor...
Essa vontade exacerbada que construo e lapido a cada dia , provavelmente, surge da inquietação que me corrói quando me defronto com os esperançosos de carteirinha...
Sim essa lentidão frente à algumas atitudes, chega a ser mais lenta que a cena da corrida na praia de Carruagens de Fogo com Vangelis ao fundo...
Algumas outras escusas dessa inércia pessoal de cada um, como ouvir, o que é meu está guardado e logo após, estacionar os glúteos já deformados, em um sofá, preocupando-se com algo fictício de algo televisivo tipicamente brasileiro...ah...me tira dos eixos...
Apesar de eu estar bradando algo muito observável em dias como esses, me coloco por questionar em outro ponto...
Essa tal forma deturpada de esperança geralmente está condicionada por nossos atos...porém, quando não possuímos a influência que pensamos que temos...ou quando esse arremate final foge de nossas competências...que forma de comportamento devemos ter...
Ou ainda devo me customizar dançando frenéticamente em busca de alguns pingos que caem do céu?