quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Soneto de Primavera


Mais uma vez chega a preferida
A temporada, estação, o momento
O momento da poesia ser lida
Tempo onde aflora o sentimento

Beijos, sussurros acontecem
E assim se tornam apaixonados
Beijos, sussurros se repetem
Como nada na vida acabado

Assim amores sempre aconteceram
Olhos encaram, fazem mil promessas
Porque assim sabem, nunca se perderam

Mas depois amores despedem-se
Acreditam apenas nos momentos
Não acontecendo, todos, esquecem

5 comentários:

  1. Tão bem escrito, que mereceu comentário no Pioneiro.... Parabéns!!!
    e Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Primavera!!
    Parabéns Felipe!!

    ResponderExcluir
  3. Crítica no Jornal Pioneiro, 23/09/2010.
    http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/impressa/11,3049070,1217,15557,impressa.html

    ResponderExcluir
  4. ameeeei
    e muito chique tu né, ateh no jornal!!
    parabéns!!
    beijo

    ResponderExcluir