sábado, 11 de setembro de 2010

Peso da Imaginação


Algumas divisões de nossas faculdades mentais mais utilizadas eu julgo como miragens, oásis, delírios...
A IDÉIA, que nos surge quando nos consideramos demasiadamente inteligentes, ou sagazes, nada mais é do que quem obteve a "idéia" por primeiro...a utilização dela de forma adequada e eficaz é onde mora o segredo...
Pra isso tudo existe, o MOTIVO, ações executadas de forma que já venham de mãos dadas com algumas condições previamente armadas como defesa...não existe motivo sem a imposição...
Antes que possa surgir, a DÚVIDA, certfique-se que observou tudo direitinho, tenha lido algo sobre antes...antes...antes que duvidem de sua capacidade! A dúvida não é sinônimo de falta de capacidade...mas a falta desta implica diretamente naquela...
Ás vezes tudo que basta é um RACIOCÍNIO simples...tudo bem que cansa, estafa a mente...mas é o mínimo que é exigido de um ser que venha com tal aparelho para tal...raciocinar não tem contra indicação...só não podemos nos atar as obviedades da vida...
Quando nos pegamos no meio de algum DEVANEIO, provavelmente alguém possa nos taxar como desocupados...e tem razão...mesmo que façamos isso inconscientemente, é nos exigido tempo de vida para isso...quanto mais ambiente, sons...só não seremos desocupados se fizermos algo à respeito...
Tudo isso me remete ao PENSAMENTO, esse sim capaz de filtrar tudo o que possa atrapalhar e nos auxiliar em tais reflexões...uma faca de dois gumes, por assim dizer...mas esse pensamento só vai ter função se for disseminado, explanado, articulado, cultivado, executado...ado...ado...ado...
Se meus pensamentos voassem com o vento, provavelmente sentiria a sensação dos vôos não alcançados...

Um comentário:

  1. então, estamos pensando sempre e acho que por isso que surgem as ideias,raciocineos, duvidas...e reflexões!
    deitar a cabeça no travesseiro sem pensar em nada antes de dormir é dificil... dá pra relacionar com conciencia tbm?
    bom...
    "Somos senhores dos nossos pensamentos; mas é-nos alheia a execução deles." (William Shakespeare)

    =*

    ResponderExcluir