domingo, 5 de setembro de 2010

Percurso



Confesso que não sou uma pessoa que fornece confiança a granel...tão pouco creio ter a sensibilidade de me doar tanto quanto alguém possa fazer o mesmo por mim...essa habilidade de jogo do ioiô, no tudo que vai...volta...ou o que você plantar você colhe...nunca consegui colocar isso em meu currículo...
Sempre joguei bola contra parede, admiro muito a destreza de um nadador, a agilidade de um malabarista, a coordenação de um músico, a genialidade de um cartunista, o pulso firme de um cirurgião, a concentração de um matemático...
Talvez não aprecie tanto as habilidades efetuadas por duplas, trios, quartetos, quintetos, por estar sempre com um pé atrás em tudo que vivo...não sei se isso poderia ser chamado de receio ou falta de coragem mesmo...
Contudo não consigo conviver na instabilidade da personalidade dos outros...isso me perturba de tal forma que minha introspecção ganha mais poder, sempre que me deparo com tais desequilíbrios...
Tento descrever de forma bem nítida que não crio muitas expectativas nas pessoas...assim consigo, cegamente, me surpreender...
Porém tudo isso resulta em um preço algum dia...as pessoas se afastam...as diretrizes sofrem mudanças, de ambos os lados...o ambiente se transforma...para melhor? Pior?...não sei...jogando ioiô só descobri que a volta vem...

5 comentários:

  1. Gostei muito deste texto.
    Parabéns Felipe, adoooro.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  2. pois é.. vc não sabe o quento estive pensando sobre essa instabilidade nos últimos tempos... é complicado não saber como tratar alguém por não ter nem uma chance de prever a reação.. acho que é a partir disso que surge a introspecção.. as vezes até mesmo pra não ofender alguém sem ter a intenção...
    ótimo texto!

    ResponderExcluir
  3. Cabe aqui falar sobre o tal do carma?
    o que vai volta?
    hmmmm... confiança...
    Diz que bom é confiar, melhor, é conferir...

    ;*

    ResponderExcluir
  4. minha personalidade não é tão instrospectiva assim, talvez devesse ser... ao contrário do escritor, sempre deposito todas as minhas fichas no jogo e muuuuitas vezes ganho além do esperado e muitas vezes sobram apenas algumas... as menos valiozas...as menorzinhas,sabe? mas então, eu busco no meu cofre da esperança e confiança (e este é o momento da minha introspecção e reflexão),acreditando em mim, principalmente, nos meus sentimentos na minha habilidade de jogar pra ganhar e mesmo que meus parceiros de jogo falhem, ou ainda, que eu cometa alguma gafe...eu tento novamente!!!!

    bjos
    Sheila

    ResponderExcluir