quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Do Que As Pessoas Gostam?


Estava eu refletindo com uma outra opinião sobre o segredo de ser convincente...
Sim, pois é, para conseguirmos nossos desejos e anseios precisamos realmente otimizar o nosso poder de persuasão...
Através de estratégias elaboramos todo um planejamento que fundamenta nossa vontade de alcançar tais objetivos...
E isso nada mais é que um trabalho àrduo em cima de nossas experiências e do trabalho amador de nossos instintos...
Nossa consciência até pondera esses instintos, sendo classificados como um "sentido aguçado" para as coisas...
Isso tudo seria facilmente adquirido por nós se entendêssemos melhor os sinais que as outras pessoas nos transmitem...ou melhor até...se pudéssemos ler os pensamentos alheios...
Assim provavelmente nos tornaríamos tão poderosos ao ponto que agradaríamos a todos...e sendo odiado também por todos...creio que não seja possível uma admiração generalizada...
Confesso que pelo menos gostaria de saber os que as pessoas não gostam...ao menos esse jogo ficaria interessante ainda...tendo que adivinhar mais cedo ou mais tarde do que mais lhe agrada...
A minha força de perseverar não aceita muito bem às recusas...me desmoraliza de certa forma...
Perseverança essa que se compara a de um estagiário convicto em poder realizar pelo menos em um dia, o trabalho sem equívocos, e lógico com o devido reconhecimento...
Não concordo com a idéia de que tudo que produzimos e executamos, não são nada além de nossas obrigações...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Até Onde Ir...


Garanto que todo mundo já se pegou por pensar na questão: Quais são meus limites?
Essa pergunta tão subjetiva norteia todos nossos princípios e nos caracteriza moldando nossa personalidade ao longo da existência na Terra...
As pessoas que nos cercam auxiliam diretamente impondo nossos limites...
Quem aqui nunca se pôs em dúvida em conquistar certos objetivos em troca da liberdade...nada tão fora da realidade e absurda quanto parece...mas diariamente estamos sucetíveis à essas situações...
Uma decisão mal pensada, algo feito por impulso, a vontade de fazer justiça com as próprias mãos, a vista grossa frente algumas cenas, a indiferença em forma de descaso à outras...
Mas de que forma conhecer esses extremos sem pôr em risco nossa integridade, evitando tanto os "acidentes" físicos ou psicólogicos...
Pois bem a idéia do planejado me deixa muito menos inseguro em relação a esses possíveis percalços...sim...menos inseguro...para que possamos tranpor nossas fronteira provavelmente nos sujeitaremos a algo que não estamos acostumados a realizar...de tal forma que isso não me deixa muito confiante à espera do resultado final...afinal...um simples: Não!, pode nos machucar muito mais que um tapa na cara...
Quando pensamos nas consequências, dificilmente evitamos sair do marasmo de nosso núcleo seguro, nos contentamos apenas em olhar pelo buraco da fechadura...imaginando como será estar do outro lado da porta...

sábado, 25 de setembro de 2010

Céu, Sol, Sul...


Apesar da semana de comemorações da principal tradição gaúcha estar acabando, me permito aqui prestar minhas considerações sobre...
Não pretendo aqui tecer críticas ou enaltecer algo sobre essa festividade, mas sim salientar algo muito presente no cotidiano do gaúcho como um todo, presente em qualquer estado ou proveninente de outros países fronteiriços...o bairrismo...
De tão forte e presente que isso existe por aqui, que percorre muitas vezes o caminho do cômico ao assunto sério...
De início gaúcho não gosta e nunca vai ter admiração em ser comparado a qualquer peão em algum piquete...por mais que as práticas se assemelhem, uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa...
Todo gaúcho é ator coadjuvante de algum fato importante da história, qualquer gaúcho que esteja em destaque mundial, é louvado demasiadamente podendo até ser beatificado...
Todo gaúcho esteve presente no maior frio de renguear cusco da história recente em São José dos Ausentes, já presenciou os mais fortes minuanos em algum lugar da fronteira, e com certeza deve ter registrado o maior calor da história na Grande Porto Alegre, sem esquecer de mencionar que possuímos a maior praia do mundo...err...bom..tudo bem...praia...
Na música, com muito respeito, a porcentagem de pessoas que não sabem cantar o Hino Rio-Grandense é menor em relação aos que não sabem o Hino Nacional...existe até um mínimo de conhecimento musical que todo gaúcho deve ter...se não conhecer alguma do Teixerinha então...
Mesmo tendo gosto diferente pela música como o punk, a única que é entoada em verso e prosa é aquela apresentada pela Graforréia...eu mesmo tenho um bairrismo enorme quando vejo algum guri tendo orgulho de si cantando Faroeste Caboclo...ora faça-me o favor...Joquim é muito mais música e com mais conteúdo...
E não adianta teimar, espernear, nos taxar como teimosos ou ironizando como separatistas eternos, esse sangue quente provavelmente arquitetado pelo nosso passado em um Tratado, nos torna ainda mais castelhanos que "brasileiros"...algum brasileiro gosta de "castelhanos"?
Antes que alguém insista mais nessa peleia...terminando essa proseada...como não posso negar minhas raízes...poderia ficar horas a fio argumentando mais e mais cevando um bom mate...concordando ou não...encerro por aqui...e tenho dito!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Soneto de Primavera


Mais uma vez chega a preferida
A temporada, estação, o momento
O momento da poesia ser lida
Tempo onde aflora o sentimento

Beijos, sussurros acontecem
E assim se tornam apaixonados
Beijos, sussurros se repetem
Como nada na vida acabado

Assim amores sempre aconteceram
Olhos encaram, fazem mil promessas
Porque assim sabem, nunca se perderam

Mas depois amores despedem-se
Acreditam apenas nos momentos
Não acontecendo, todos, esquecem

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Reescrevendo O Futuro


A vontade de voltar no tempo ou tentar furar o mesmo em busca do futuro não é um desejo tão recente quanto o filme estrelado por Michael J. Fox ou tão mundano que algum ser extra-terreno já não tenha tentado executar...
O homem tem muita curiosidade sobre o passado, lógico, o passado não descoberto, o antigo não vivido...o passado nos remete muito mais à curiosidade do que imaginamos...
O simples fato de não conhecermos o nosso passado verdadeiro nos amedronta de tal forma que nos deixa inseguros para viver o que poderá vir pela frente...
Pois bem o futuro...que posso temer?
Sei que não posso repetir os mesmo equívocos que cometi no passado...sei que pintar o chão de uma sala começando pelo seu único meio de saída, só irá me encurralar...não consigo voltar pelas minhas pegadas na areia sem deixar vestígios de uma tentativa frustrada...há algumas tecnologias que até hoje nunca resolveram um bom e firme aperto de mãos...
E creio que esse querer não seja por algum sentimento reprimido de arrependimento ou coisa que o valha, e sim que o ser humano sempre está por se redescobrir...derrubando velhos paradigmas, tropeçando nas velhas teimosias, se vendo de queixo caído por não mais acreditar em pequenos gestos...
Mas para isso...mais do que possamos exigir de nossa imaginação para experimentar tais experiências no tempo...devemos nos libertar das velhas amarras...ou de que adianta cultivarmos flores sabendo que um dia elas irão murchar...

domingo, 19 de setembro de 2010

Eu, eu mesmo e...


Há 2 dias que vivo como um ermitão e isso me possibilitou muitas coisas...começando com nada...
Como fiz nada nesse tempo! Está certo que tomei banho, me alimentei devidamente, assisti alguns filmes, mas me senti uma ociosidade em pessoa em certos momentos...
Mas diante de Tudo isso...ou seja...Nada...pude constatar, mas, vou generalizar, como não fui útil sozinho...derepente até fui na ausência minha para algumas pessoas...porém "tudo" que produzi, ou idealizei em fazer, não pude compartilhar...como se ninguém acreditasse no feito de Neil Armstrong, em que ele quisesse dividir tal momento com todos...
Não sou daqueles que realiza proezas onde contando ninguém acredita, porque se eu tivesse êxito duvidoso em algo, não adiantaria mesmo...contudo, acredito que o ser humano (eu), necessita sempre dos seus momentos de clausura como sábios em fuga nas montanhas em busca de maior reflexão, porém, esse tal Sapiens não consegue se limitar a esse ócio egoísta...inclusive nesses momentos, é necessário alguém que possa fotografar nossas realizações...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

SUPER-HUMANO


Duvido que alguém aqui nunca pensou em ser algum super-herói ou ter alguma habilidade única e especial...
Pois eu sim e vou listar alguns...
Gostaria de ter uma velocidade utópica em minhas pernas, para ter o poder de me locomever na velocidade da luz onde pudesse visitar vários lugares ao mesmo tempo, estando quase que onipresente para todos...
Queria muito ter pernas fortes, pra que eu pudesse suportar qualquer tipo de pressão que viesse de cima, ou de baixo...
Queria ter o abdome mais definido e forte que um super-humano poderia ter, só assim aguentaria os socos no estômago que a vida me dá...
Queria ter braços elásticos, flexíveis, que multiplicassem de tamanho, dessa maneira poderia abraçar todas as pessoas que gosto e quero ter por perto...
Coração camaleão, para que eu pudesse enfrentar e entender todas situações que acontecem no mundo, sem o receio de ter que pedir por auxílio...
A visão não queria ter de raio laser e nem raio-x não, gostaria de olhos de águia, porque deste jeito, poderia observar a tudo e a todos, com ênfase nos detalhes, que como todo mundo sabe, é que faz a diferença na vida das pessoas...
Meu cérebro poderia ser tão inteligente e armazenar tantas informações quanto aos dos idosos...só eles tem o segredo de TUDO...só não tem o poder de voltar no tempo...
Se eu pudesse ter o poder de mover as coisas, gostaria de só mentalizar e manipular o espaço entre o pôr-do-sol e o nascer dele...eles serviriam de moldura para o meu luar...
Apesar de eu não ser um Super-Humano, a parte humana que me resta, já serve de base para que eu algum dia possa ser Super à alguém...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Próximo!!!


Oportunidade para muitos, se constrói através de diversos fatores...
Uns dizem que sem estratégia e uma logística bem articulada, nunca vão gozar de uma boa chance...
Outros afirmam que é o ambiente o maior proporcionador desses fatos considerados muitas vezes como únicos...
Já ouvi também que é apenas uma soma de fatores regido por algum astro que o deixa estar, na hora certa, no ambiente exato e com as pessoas corretas...
Tem pessoas que nem dão bola, nasceram com o bumbum virado pra Lua e se deleitam de tudo isso...
Há os que acreditam no destino...sem possíveis maiores explicações...
Mas quando repetí-las?
Se cada um sabe o que fez para ser sujeito ativo de tal situação, porque é quase que impossível nos colocarmos em uma segunda chance?
A mesma oportunidade nunca existe duas vezes...ela se assemelha a uma prova real única, onde não há espaços para possíveis desvios...não importa o que se faça...
Fundimos o cérebro em mil partes tentando solucionar uma questão tão óbvia e ao mesmo tempo tão sem fundamento ao nosso primeiro insucesso...a segunda chance ao meu ver...serve com um trevo rodiviário, onde você pode repetir exatamente o que havia executado ou tentar realizar de forma mais próspera...
Porém esta segunda oportunidade é para poucos...geralmente para aqueles que não saberão crescer com isso...
Espero lhe encontrar em uma próxima vez...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Verdade Oculta


Venho aqui contar a vocês algumas verdades...
Não sei quem e de que planeta me disse que contar sempre a verdade é o caminho do bem...oras... caminho do bem só se for para os outros...
Pra mim a Verdade nunca me concedeu 100% dos meus direitos em benefícios...nunca foi me concedido a graça de me sentir livre do peso nas costas de contar verdades...e não me refiro aqui às verdades que devem ser omitidas... tais verdades perdem o prestígio a cada dia que passa, mesmo que sejam verdades...
Há sempre um mal por trás de toda Verdade...se algo é tão bom quanto parece à alguém, existe uma grande chance inversa e proporcional de prejudicar o outro...
A Verdade dói...não existe algo tão cobiçado por nós mesmos que nos deixe tantas feridas...como num ímpeto ingênuo de pegar um rosa, sem perceber os espinhos que a envolvem...
Da mesma forma que ela liberta as pessoas sendo anunciada e reconhecida como tal...ela tranquilamente aprisiona outras, fazendo-as reféns simplesmente por serem os âncoras jornalísticos que deram a face a todos...
As pessoas gostam de ilusões, necessitam delas...é um conforto próprio individual onde qualquer um se aborreceria de ser retirado desta situação conhecendo a realidade...verdade, não!?
A Verdade sobre a vida de uma pessoa já não se esconde mais nas digitais e nem no que você insiste em dizer conhecer como a palma de sua mão...as pessoas são providas de hablidades no qual pode se reconhecer a verdadeira identidade de alguém através de um aperto de mão firme ou um abraço sem receio...
O olhar, ultimamente, é o único meio em se creditar uma verdade...ela transpassa pelo filtro de nossos olhos, liberando apenas a sinceridade contida em uma lágrima, que seca, ao se deparar com a realidade...

sábado, 11 de setembro de 2010

Peso da Imaginação


Algumas divisões de nossas faculdades mentais mais utilizadas eu julgo como miragens, oásis, delírios...
A IDÉIA, que nos surge quando nos consideramos demasiadamente inteligentes, ou sagazes, nada mais é do que quem obteve a "idéia" por primeiro...a utilização dela de forma adequada e eficaz é onde mora o segredo...
Pra isso tudo existe, o MOTIVO, ações executadas de forma que já venham de mãos dadas com algumas condições previamente armadas como defesa...não existe motivo sem a imposição...
Antes que possa surgir, a DÚVIDA, certfique-se que observou tudo direitinho, tenha lido algo sobre antes...antes...antes que duvidem de sua capacidade! A dúvida não é sinônimo de falta de capacidade...mas a falta desta implica diretamente naquela...
Ás vezes tudo que basta é um RACIOCÍNIO simples...tudo bem que cansa, estafa a mente...mas é o mínimo que é exigido de um ser que venha com tal aparelho para tal...raciocinar não tem contra indicação...só não podemos nos atar as obviedades da vida...
Quando nos pegamos no meio de algum DEVANEIO, provavelmente alguém possa nos taxar como desocupados...e tem razão...mesmo que façamos isso inconscientemente, é nos exigido tempo de vida para isso...quanto mais ambiente, sons...só não seremos desocupados se fizermos algo à respeito...
Tudo isso me remete ao PENSAMENTO, esse sim capaz de filtrar tudo o que possa atrapalhar e nos auxiliar em tais reflexões...uma faca de dois gumes, por assim dizer...mas esse pensamento só vai ter função se for disseminado, explanado, articulado, cultivado, executado...ado...ado...ado...
Se meus pensamentos voassem com o vento, provavelmente sentiria a sensação dos vôos não alcançados...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Migalhas de Pão


Das coisas perdidas que encontro todos os dias pelo caminho, sempre procuro dar alguma utilidade à elas...
Já encontrei um par de óculos...juro que tentei encontrar o dono...procurei observar pela suas perspectativas...mas não me serviu...só me deixou meio zonzo...
Outro dia encontrei um chapéu...nem muito bonito, nem muito feio...nem muito apertado ou largo demais, mas por mais que as pessoas me elogiassem usando ele, eu não poderia usá-lo, aquele chapéu não me servia...
Em uma ocasião, havia encontrado uma flauta, comecei a observar os orifícios por onde saíam as notas e onde as formavam...logo percebi que as pessoas queriam meu coro, por eu ficar tocando flauta, desafinado, por aí...
Até que encontrei um mapa...nele continha vários nortes, pra qualquer caminho que eu pudesse ir e conhecer, lugares onde o mapa não continha informações pois nele acabava o canto do papel...nunca iria descobrir...
Mas com todos esses caminhos traçados, não tive curiosidade para ir atrás de trilhas já percorridas...tenho que sumir com esse mapa...tenho que sumir do mapa...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Realizar ou Deixe Estar?


O desprendimento das coisas muitas vezes nos deixam inconformados de saber o futuro das mesmas...
Essa abnegação que nos consome os únicos 5% de consciência, nos tranformando em zumbis até o momento em que formos acertados por um projétil no meio da testa, pode servir como único resguardo antes de sairmos por aí literalmente mastigando os outros...
Essa tal desconexão é contaminada pelo vírus do SE...até hoje ninguém descobriu a cura para nenhum tipo de vírus, tal qual esta...
Esse tal ato tão simplório que possa ser, nos faz enxergar um abismo entre nós e o que pode acontecer...ficamos na dúvida entre continuar enxergando o que conseguimos do fundo do abismo sem ao menos esclarecer a dúvida se lograremos o salto até o outro lado...
Aos que continuam observar o fundo...minhas congratulações...vocês são a maioria...nunca serão voto vencido...
Aos que pularam ao outro lado...não me mandem notícias...não consigo tirar da cabeça a imagem dos que saltaram e ficaram pelo caminho...

domingo, 5 de setembro de 2010

Percurso



Confesso que não sou uma pessoa que fornece confiança a granel...tão pouco creio ter a sensibilidade de me doar tanto quanto alguém possa fazer o mesmo por mim...essa habilidade de jogo do ioiô, no tudo que vai...volta...ou o que você plantar você colhe...nunca consegui colocar isso em meu currículo...
Sempre joguei bola contra parede, admiro muito a destreza de um nadador, a agilidade de um malabarista, a coordenação de um músico, a genialidade de um cartunista, o pulso firme de um cirurgião, a concentração de um matemático...
Talvez não aprecie tanto as habilidades efetuadas por duplas, trios, quartetos, quintetos, por estar sempre com um pé atrás em tudo que vivo...não sei se isso poderia ser chamado de receio ou falta de coragem mesmo...
Contudo não consigo conviver na instabilidade da personalidade dos outros...isso me perturba de tal forma que minha introspecção ganha mais poder, sempre que me deparo com tais desequilíbrios...
Tento descrever de forma bem nítida que não crio muitas expectativas nas pessoas...assim consigo, cegamente, me surpreender...
Porém tudo isso resulta em um preço algum dia...as pessoas se afastam...as diretrizes sofrem mudanças, de ambos os lados...o ambiente se transforma...para melhor? Pior?...não sei...jogando ioiô só descobri que a volta vem...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Versus


São infinitos os questionamentos sobre o certo e o incerto (e não errado)...As diferentes medidas que existem no mundo, são basicamente, meros pré-julgamentos tolos que não fomos a fundo investigar...
E não vai ser nenhum Feng Shui bem elaborado, que vai arcar com os rumos...não seremos cortejados pelo Yin Yang...desculpem meu pré-julgamento...
O estado que muitas vezes nos encontramos, indo de acordo com a primeira Lei de Newton, não nos direciona cegamente a um futuro falho...nem mesmo consegue taxar nosso passado...porém é penoso pensar que vamos ganhar algo como presente surpresa...
O processo ilusório de segurança e conforto que "construímos" com o tempo, de nada pode ser classificado como mórbido, entediante, monótono...no máximo podemos indentificá-lo com um Cavalo de Tróia...no máximo...
O que me incomoda de verdade, é aquela coragem ignorante, de se atirar em um front de guerra, com a idéia de ingênua de que algo supremo vai acudir...ou mesmo os ingênuos ignorantes...só pelo fato de serem assim...não conhecendo e antevendo possíveis barreiras...obtêm exito...não...não é inveja...
Sim...é inveja...inveja de não ter culhões necessário para dar cara a tapa...a virtude de tentar algo sem se preocupar muito com o futuro distante...um planejamento sem diretrizes...
Sempre quis dar voz a tentação...mas há tempos em que a razão ocupa a chefia das minhas decisões...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Pequeno Passo Para O Homem


Alguém lembra aqui do seu primeiro passo? Sim aquele mesmo, o primeiro primeiríssimo, dado ainda quando bebê...provavelmente não...e alguém sabe por quê razão?
Há uma grande chance daquele primeiro passo ter acabado num belo primeiríssimo tombo também...porém cá estamos todos cada um dando os passos à sua maneira...
Uma das causas que possa ter acontecido esse primeiro tombo, pode ter sido por não termos mensurado a distância do mesmo, literalmente o passo maior que a perna...
Ou ainda por sermos apressados demais, tropeçando em algo e até pisando em nosso próprio pé de apoio...
Ou simplesmente por não estar apto ao equilíbrio, não tendo segurança ao que vinha depois deste primeiro acontecimento...
O fato é que ele aconteceu...e foi bem sucedido...o que ninguém lembrou ou ainda vá lembrar...é se aconteceu estando sozinhos ou se alguém nos auxiliou nessa empreitada...