segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Noites Adentro


Alguém aqui acredita na reciprocidade das coisas?
Sim a reciprocidade das coisas inatas...e não estou me referindo aqui a um simples bater na madeira prevendo e se resguardando de um possível desgosto...
As coisas mais simples e inatas da vida não agradecemos...ma há o porque?
A bebida que nos inebria pelas noites nos favorecendo e facilitando por inúmeros motivos...é a mesma que nos dificulta no dia seguinte e nos faz ter o desgosto por fatos acontecidos anteriormente...isso não vem detalhado em rótulos...
A cama que nos conforta todas as noite bem durmidas e/ou bem aproveitadas para outros fins...pode ser aquela mesma que nos faz acordar com um mal jeito...não há densidade correta para isso...
A música que nos alivia a alma, o pensamento, contagia, extravasa e faz refletir...é a mesma que cutuca feridas, nos deixa saudades, nos emburrece momentaneamente...não importando a hora, o lugar ou estilo musical...
São coisas noturnas...as coisas inatas da noite que nos oferecem e que desejando ou não...a carne está em jogo...
Lembrando que sempre, há alguem que tanto nos quer bem mostrando o caminho prometido do prazer carnal...ao mesmo tempo que nos alerta sobre possíveis danos e reações adversas que nos podem causar...
Só nos lembramos das pessoas...sim e porque não!?...Afinal elas que agem por detrás das cortinas, manipulando suas marionetes, arquitetando cada segundo dessa vida que de bom ou ruim nos pode proporcionar...
Essa é o meu projeto de "Ode"...onde drinques, camas e músicas...existem...formando um círculo vicioso em favor da noite...

sábado, 28 de agosto de 2010

Lamentos


O choro pra mim é motor da humanidade...como aquela velha máxima de que não chora não mama...já somos "espertos" desde pequenos...se é que isso pode se chamar de esperteza...
É como a "manha", num exemplo clássico, delicado, carinhoso, meigo de se comunicar, com o significado: " Se você não atender o meu pedido...eu vou fazer mais manha ainda...e se assim não funcionar...AHHH vai ter troco...ah se vai!"...
As lágrimas de crocodilo até hoje servem como um último alento, pra que gosta de viver afogado em suas mágoas...
Inclusive no ronco choroso de uma cuíca, em quem porta tal fardo, permanece descalço até hoje no Chorinho de Portinari.
O choramingar do dia a dia nos faz sentir prepotente frente aos êxitos e um azarado em relação aos fracassos...isso tudo com a inércia de nossos corpos com o intuito de resolver tudo...
Esse tipo de lamento é tão eficaz quanto a aflição de uma gota por cair em um lago, temendo não ser reconhecida por ninguém...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Perseverança


As minhas decepções são inversamente proporcionais às minhas expectativas...nada além do óbvio...
Expectativas essas, diretamente conectadas aos devaneios que permeiam minha mente pisciana...
Mas se todos nossos anseios e desejos são oriundos de nosso próprio cerebelo, porque conseguimos nos decepcionar a cada vez que alguém tenta interferir?
Quando arquitetamos tudo isso, imaginamos os caminhos mais rápidos ou não, as brechas, as dificuldades, as facilidades, até as possíveis fraquezas desta planta tão idealizada...
Só não conseguimos manipular o tempo delas se concretizarem...pequeno detalhe...onde não possuímos poder sobre tal plano...tempo esse que pode ser até interrompido em função da ação de outrém que conhece e estudou por muito mais tempo as fendas que podem fazer a magia desse nosso "castelo" ruir...
Interromper, não!...os que tentam executar isso no máximo conseguem realizar uma pausa, um desvio, uma barreira, um contratempo...esse é o único êxito que eles podem lograr...
Os que aproveitam o tempo ruindo os castelos dos outros, esses sim infelizes, interrompem seus sonhos...
Os desbravadores, mesmo com os percalços, conheceram o novo mundo...os sabotadores...continuam sua função...no mesmo lugar...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Nada Sapiens


As palavras proferidas pelos sábios sempre ecoaram pela história e provavelmente continuarão seu curso...
Penso que algumas das razões para dividi-las com nós, tenha sido a curiosidade, a coragem da descoberta do inseperado inexistente até então...
Gostaria de ser um gato nesses momentos...dizem que a curiosidade mata tal felino...mas quem conta com nove vidas está salvo...nove vidas seriam pouco...já matei muito mais pelos inúmeros arrependimentos que vivi...
A eficácia das coisas ditas nunca dependeram de ambiente, indivíduo e ocasião...muito menos de atitudes, carícias ou alguma canção...
Às vezes o que sinto é indignação...indignação do meu coração que não é atendido pela boca na hora de expressar os sentimentos através de palavras...
De repente nem seja isso, apenas uma frustração...isso mesmo...uma frustração da minha mente por não dar voz ao coração...

domingo, 22 de agosto de 2010

Afeição


De todas as coisas que não podemos nos desfazer, sem dúvida nenhuma, são dos amigos...Por vários motivos que eu poderia escrever aqui por inúmeras linhas...
Mas vou fazer o contrário...
Não basta ter amigos apenas para fazer festas...é bom ter eles para nos avisar quando nos excedemos...
Não basta ter amigos para nos consolar em momentos tristes...e sim para nos deixar mais para baixo e indignado quando dizem: "Eu te avisei!"...
Não basta ter amigos só para fazer viagens no fim do ano para algum lugar desconhecido...é bom ter eles simplesmente para dar uma volta na quadra...
Não basta ter amigos para falar besteiras em algum momento dito como "perdido"...é bom tê-los para conversas sérias, discutir idéias...
Não basta ter amigos para nos elogiar a cada êxito na vida...e sim para nos "mandar para certos lugares" quando necessário...
Não basta ter amigos para nos apresentar novas pessoas, novos lugares, novas experiências...de vez enquando é preciso que nos mandem ficar em casa, assistindo qualquer filme repetido em um sábado a noite...
Enfim, não bastar ter amigos para que eles façam parte de nossa família...é necessário às vezes que eles nos digam para nós cuidarmos das nossas...
...não percebendo isso...bom aí é melhor você começar a procurar amigos mesmo...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Balbuciando Dizeres


Estava cá eu escolhendo as palavras mais bonitas que poderia lembrar...iniciei pela letra mais difícil...Z...mas pensei tanto só ouvi um Zumbido na minha cabeça...e olha que o meu Yin Yang estavam em equilíbrio com meus pensamentos...para aguçar um pouco mais minha mente sorvi um pouco de café de minha Xícara enquanto navegava na Web...
Comecei a pensar na Vida...isso é notório..sem discussões, tão Universal quanto àquele famoso Tempero da comida da vovó...sem explicações...Sexo...ah o sexo...bom...palavra bonita não é, mas é tão bom quanto comparado ao perfume de uma Rosa, é quando acontece a Química...a Perfeição....desculpe mas não posso esquecer do Orgasmo...antes que esse texto continue nessa linha de Nudez, prefiro ligar o som e apreciar uma Música pra tirar essa Libido da mente...longe de mim interpretar isso em um Karaoke...acredito muito mais nas Janelas de minha Inteligência como esse Hiato que acabo de escrever...
A Gentileza que posso oferecer alegrando e mudando de expressão cada Face, como um Eclipse momentâneo causando um Dilema, se continuo escrevendo palavras de Carinho em virtude de um Beijo Aveludado...
Busto...Beijoca...Bebê...Bom...Bombom...Bumbum...Boca...Beijoqueiro...por mais que eu escreva isto por um Beijo...ninguém pode me taxar de interesseiro...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

HELP!


O meu cachorro levanta as orelhas, vira o focinho alguns graus pendendo para direita e me fita sem entender...meu gato quando me vê, lambe duas vezes seu pêlo e volta a se deitar... Meu papagaio só repete as coisas que falo, os eqüínos que crio, deixo-os sem as ferraduras...já estou farto de levar coices que machucam tanto...meus peixes parecem tão atentos quando me olham...só quando me olham...
Meu horóscopo seguidamente me diz que eu tenho que ter cuidado com viagens, com meio social, com o lado afetivo e no meu trabalho...no outro dia está tudo bem...as frases de efeito que vejo por aí, ou algumas mensagens subliminares, só me servem como um placebo momentâneo vicioso...
Conselhos estou pensando em comprá-los ou adquirí-los de alguma forma, porque os que ganho de graça, por sermões ou por experiências de outrém só me fazem correr atrás da minha própria sombra...sem êxitos...
Desculpem-me por esse impasse, mas estou num processo de reflexão própria se o ser humano, as coisas, os acontecimentos são as coisas mais simples da vida, ou conseguimos complicar tudo apenas com o intuito de obter resultados diferentes executando tudo da mesma forma?...por mais que isso possa parecer um questionamento de algum indivíduo no auge de sua puberdade...alguém me entende???

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Crimes


Segundo o Código Penal subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência à pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência, é considerado roubo, com suas devidas medidas reclusivas como sentença...bem em partes discordo...
Não há prazer melhor do que roubar um sorriso de alguém...uma criança, uma pessoa querida...disso sou até capaz de ameaçar mesmo, mesmo que por medidas violentas mediante algumas cócegas...
Mesmo tendo por alguns instantes, o desejo de cometer essa contravenção, tal ato chega a ser contagiante por todos que assistem ou sofrem com isso...
Há ações mais perigosas que se deve prestar muita atenção às consequências como a execução de roubar um olhar...um beijo...tal crime exige um planejamento tão árduo e complexo que faria inveja à qualquer produção de hollywood de quadrilhas que furtam fortalezas altamente guarnecida de defesas...
Agora, extorsão maior que roubar o coração de alguém não há...isso por mais que seja com ou sem intenção, sempre foi e sempre será um crime perfeito...onde os suspeitos nunca sofrerão e cumprirão pena por isso...vida longa as vítimas de corações subtraídos...

sábado, 14 de agosto de 2010

Desconfiança


Há tempos que eu duvido da área da medicina...ela é muito abstrata, deveria ser algo muito mais simples...as respostas que recebemos se assemelham muito as dos meteorologistas...hoje a mínima será de 3°C a máxima de 27°C! Não sei quanto a vocês...mas me sinto um palhaço quando escuto uma previsão dessas...eu sei que nosso corpo e nosso clima não são os mais confiáveis de se por a mão no fogo mas...
Os médicos até hojem nunca me deram receitas a respeito do meu corpo...nunca me disseram como começar o dia com o pé direito, nem me contaram porque de tempos em tempos necessito ficar de joelhos ao lado da cama com as mãos próximas e olhos fechados...não me explicaram também que quando criança eu sempre teria que levar algumas chineladas nas nádegas...disso nunca me falaram...
Eu duvido muito que eles saibam algo sobre aperto no peito quando me deparo à alguma situação em que não posso fazer nada...e muito menos da eficácia de passar a mão em minha cabeça quando fracasso...nisso eles não se arriscam a prescrever respostas...nem os meteorologistas fazem isso...o dia em que eles acertarem uma previsão...(droga, previsões...), não gosto da idéia de esperar por previsões...receitas...previsões...não são nem de perto sinônimos, mas acho que vou dar um voto de confiança à medicina...nem eu sei prever o que posso aprontar comigo mesmo...alguns órgãos do meu corpo que o digam...pulmões, joelhos, ombro, coração...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Caminhos


A arte da cartografia foi um negócio curioso em nossa existência...um grupo de pessoas, com coragem suficiente, indo a lugares inóspitos ou não, tentando e conseguindo traçar os limites de onde vivemos...Em suma, sem nenhum senso de direção preciso, a não ser o sol e as estrelas...mas não imagino realizar tal proeza no escuro...e com a luz do sol...bom...iria ficar mais curioso em conhecer o que acabara de descobrir do que limitar algo...
Quando digo que a cartografia foi, no passado mesmo, é porque não há mais o que delimitar no mundo, está tudo descoberto...mapa da minha cidade, do meu oceano, do que devo fazer no meu ofício, das minhas atitudes, do meu corpo, coração, mente...até das formas que eu posso fazer sexo!!!
Minha vida está a vista de todos que queiram dar uma olhadela em um Atlas entitulado Ser/Estar...não há nenhuma novidade em relação a isso...a arte da cartografia já foi...
Gostaria que não...há algumas coisas nela que servem ainda...o título para me identificar em relação aos outros...a rosa dos ventos, me auxilia nos momentos que não sei pra onde ir...mas só...a medição de escala, apenas me demonstra que meus problemas são ínfimos perante aos dos outros...a fonte para avisar de onde minhas histórias são relatadas...e a legenda só pra identificar quando estou na merda mesmo...
...é...a cartografia já era mesmo...

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Pó, Poeira...


Por estar de cama nesse meio tempo, andei futricando em algumas gavetas...descobri muitas coisas antigas...muitas delas não me desfaço...talvez por um apreço doentio...outras por um desejo que elas não juntem pó mesmo...pó...foi o que mais encontrei...
Essa poeira talvez seja a maior causa dessa enfermidade que me encontro...mas algo me indagou fundo n'alma...um pedaço de papel escrito: Sofrimento...putz...gostaria de ter lido qualquer outra coisa...em um papel de embalar pão...ou algo escroto num pedaço de papel higiênico...mas nada tão sugestivo como àquele que encontrei...e com poeira em cima...
Não acredito muito em avisos e sinais vindos de outrém...me considerei sempre capaz de ter o poder sensitivo de antever certas coisas...minhas fórmulas matemáticas de nada adiantaram em prever isso...
Aliás...o que me conforta é que posso tirá-lo dali...e ainda por cima tirar a poeira que em cima reside...o que mais me aflige...é o que estava escrito...não sou muito bom em explicar detalhando em palavras o que vejo e sinto...também não me considero o melhor intérprete da vida...aliás...o pior deles...o meu discernimento já não anda lá essas coisas...preciso trocar minhas lentes...

domingo, 8 de agosto de 2010

Dor


Hoje quando despertei me senti vivendo no meio de um terremoto como o que aconteceu no Chile ou Haiti...mas não era...era "apenas" eu tremendo de febre...por horas me senti impotente...
Impotente por não ter o poder de controlar o meu próprio corpo...de não ter em minhas mãos algo com que pudesse resolver tal situação...
Fiquei pensando se tal enfermidade que me acometeu...foi por eu ter escrito insistentemente durante a semana minha opinião contra meu gosto em relação ao inverno...e escrevo de novo...não gosto!
Derepente essa visão seja pequena...algo mais fácil que culpar o inverno por tudo isso não há...
Mas por momento é isso...preciso repousar...a idéia que não tenho poder sobre minha pessoa me faz sentir muito pior do que estou...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Coisas Quentes do Inverno


Estava eu matutanto nessa semana em que a temperatura parecia não ter preferências sobre pares ou ímpares...permanecia em ZERO grau...como a nota de alguns exames que tentei lograr sem êxito na escola...
Comecei a listar algumas coisas imprenscindíveis para se realizar no inverno... como filme, no sofá, na cama, em um colchão no chão da sala, sozinho ou acompanhado...imprescindível...
Alguma refeição quente, como sopas, massas, café coloniais...algumas bebidas que nos estorpecem e por alguns instantes nos fazem subtrair de nossas mentes qualquer sentido de frio existente...
Banho...me perdoem os ambientalistas ou os politicamente corretos, mas...banho quente demorado...é necessário...nem que seja uma vez na semana...com tempo contado...
Cama...ficar na cama no inverno chega a ser algo utópico para muitos e desejado por todos...mas assistir um filme na cama....comer na cama...um cama quentinha logo após o banho...dormir na cama...tudo isso sozinho...ou acompanhado...
Mas há algo que vislumbro a todo o momento conquistado...um abraço...um abraço tem em seu valor...assistir um filme abraçado com alguém...comer!?abraçado!?...experimente...apenas isso...beber!?...inove...banho quente!?...não preciso argumentar...cama!?...bom...conchinha é uma forma de abraço...a única exigência que isso requer...é a presença de alguém...não há nada mais confortante...e não importa com quem for...ninguém pode qualificar e classificar o abraço de uma criança, de um membro da família ou de uma pessoa que há tempos não encontra...não se pode colocá-los em uma escala...você pode acabar sem eles...e o melhor de tudo isso...é que não necessito do inverno para tê-los...contudo...não posso conviver sem o aconchego que o abraço nesse frio me proporciona...

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A Exceção


Já reparou alguma vez, que nós seres humanos, trancafiados em nossos próprios conceitos morais somos muitos semelhantes às nossas leis...porque digo isso? Porque de alguma forma ou em algum (ns) momento (s) da nossa existência terrena, seremos suscetíveis ao que não vai de acordo com nossos princípios...
Até então, enquanto isso não atrapalhar o andar da carroagem do próximo não vejo como uma questão perturbadora, mas por ser algo totalmente subversivo criamos alvos onde podemos atirar as nossas flechas de desculpas podendo desviar o motivo da culpa...
O que me incomoda é exatamente isso porque toda exceção da regra tem que vir acompanhado em cima de um cavalo branco que quem o doma, geralmente é atentido pela alcunha de MOTIVO, RAZÃO, DESCULPA, e CONDIÇÃO...
As exceções da regra não podem ser vistas como algo proibido pela humanidade ou a partir disso irei me considerar um Infrator-Mor...
Faça porque quer...faça por IMPULSO...faça por DESEJO...faça por CURIOSIDADE...mas não fique atrás dos muros...se não foi como esperava...diversifique...a vida está repleta de exceções...as melhores e mais proveitosas coisas da vida são realizadas em cima das exceções...longe de mim viver em cima delas...porque aí sim a minha regra se tornaria exceção...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Frio Que Te Quero Longe


Antes de tudo quero deixar aqui minha opinião: Não tenho nada contra o frio! Mas...nessa época percebo as pessoas mais fechadas e por motivos óbvios...mas não me convém muito essa clausura por razões que não podemos manipular...
Pessoas constroem barreiras de diferentes tamanhos para se cercarem de uma possível mudança de seus estados de ócio...não que isso seja ruim...porém...pareço viver numa cidade fantasma cercado por almas perdidas...muitas dessas almas são pessoas próximas...digo...almas...talvez eu seja uma também...
Torço muito por dias mais quentes, pessoas mais receptivas, abraços mais calorosos, não abraço com roupas quentes, recepção em lugares fechados e ambientes com calefação...
O clima "extratoprical" em qual não tive a opção de escolher é severo demais algumas vezes e não perdoa as más posturas frente à alguma opiniões camufladas sobre muitas vestes...é preciso se despir por algumas convicções...e uma delas é não se fechar perante aos outros no inverno...
Talvez eu deva parar tudo que estou fazendo...e ir lá fora...