sábado, 31 de julho de 2010

Revele O Seu


Você por acaso está se escondendo de alguém?...Não!? Está tão ganancioso que não quer dividir isso com nenhuma pessoa?...Também não!? Poxa vida...então SORRIA!
Não peço por sorrisos perfeitos de cor marfim que saem nas capas de revistas...peço que sorria apenas...não estou reparando na simetria dos dentes e nem na harmonia que ele deve exigir de um rosto angelical...sorria!
Você pode não saber que está guardando algo de muito valor a alguém, e que não precisa ser uma pessoa de convívio próximo...o sorriso é algo tão benéfico para as pessoas que ele é por natureza contagiante...ou alguém aqui pode jurar de pé junto que nunca se rendeu as graças de um sorriso de um bebê(sem dentes!!!)
De repente aquela que pessoa que encontra todo santo dia, tem o prazer de acordar todo o santo dia apenas por esse momento regozijante que transforma o restante do dia em algo muito mais proveitoso...às vezes você nem conhece essa pessoa mas com um sorriso puro e verdadeiro...sabe levantar o ânimo e o ego de muito gente...
Fazer o outro sorrir é uma arte, e não estou me referindo ao palhaço que tem e teve sua função muito bem cumprida em minha infância, mas saber do que o outro necessita para querer muito mais esse convívio afetivo de qualquer jurisdição...
Não estou aclamando por sorrisos falsos ou gratuitos, no sentido pejorativo, mas por simplesmente poder contagiar o maior número de pessoas ao redor...indo do cômico ao ridículo, do inocente ao de outras intenções, do inesperado ao planejado, do livre ao roubado...perae...nunca vi um sorriso roubado...está aí mais um sorriso por ser inventado...

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Nem Meu Nome Tem...


O que observo desde os primórdios, é como o ser vivo tem de ser competente nos exercícios exigidos e oferecidos em todos os momentos...
Muitos momentos de poder nos remetem o ócio, como diz um som que ouvi...melhor desse tempo que vivemos é sexo e ócio...e que continue desse jeito...
Porém começo discutindo nesses escritos se o próprio ser vivo é competente em fugir de certos tropeços que vive sempre...
O fuzuê de nossos idílios nos confunde todo tempo entre viver o melhor, e ,quem puder ser competente de novo, morrer somente de rir, de sono, de fome, de tédio...menos de ócio...um exercício bom como esse nem pode seguir nos meus juízos...em meu leito quente com que me conforto no curso de todos os números dos meses como um cômputo preciso 24h...um terço disso eu gozo estendendo meu corpo como um logro do meu corre corre comum...
Logo que este texto inicie seu rumo de término como sempre executo, me esmero em compreender de que tudo posso no que coloco como objetivo...conforme sempre corriqueiro porém nem menos fervoroso, como neste exemplo que me serve de fomento no intento de fugir no que sou competente por uns segundos, mesmo que sendo feito de modo repetitivo contudo difícil de cumprir...
Pois nem fluem conceitos que podem refletir ou que interpretem o desgosto que estou sentindo em suprir um grito que reside preso por dentro do pescoço...necessito ouvir um livre: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

terça-feira, 27 de julho de 2010

O Mundo Animal


Você já percebeu como ODIAMOS ser incomodados e/ou contrariados? A resposta na sua grande maioria seria o sim...mas o que me perturba é o que acontece em relação ao nosso comportamento...uma das primeiras manifestações é se tornar inquieto tentando argumentar de forma mais veemente o nosso ponto de vista...nossos olhos se arregalam de tal forma que se assemelha ao um lêmure tentando tentando impor a idéia que podemos dizimar o argumentador contrário com um par de raios laser...
Depois disso projetamos nossa postura como dois alces em um duelo momentos antes do confronto entre chifres para mostrar quem será o macho alfa...e ainda por cima podemos sair como hienas feridas fugindo de leões...quando perdemos o poder de persuasão...
E o pior disso é que mesmo quando contrariados não gostamos de mexer nos nossos pensamentos, ou alguém aqui tem coragem de mexer na comida de um cachorro faminto...ficamos plantados na mesma posição como um burro, mula, jumento ou algum quadrúpede eqüino que empaca e ainda por cima dá coice...
Então quando alguém for meter o nariz onde não é chamado ou ainda pensar em cutucar a onça com a vara curta...pense duas ou mais vezes em ser como um papagaio que só fala, fala e fala até conseguir o que quer momentaneamente e, tentar sim, apenas compreender o pensamento alheio para após poder dar risada de tudo isso como macacos destentados onde transparece a nossa real essência...

domingo, 25 de julho de 2010

Noite Chuvosa


Algo que me fascina muito é um pedaço que se encontra todas as noites no céu...geralmente de cor branca que sacia sempre os olhares de todos que a fitam...
Ela sempre se localiza de uma forma que podemos admirá-la nem que seja por uns instantes pelas frestas de minha janela...ou emoldurando o mar no fim de uma noite de verão...ela sempre está lá...Ainda mesmo quando nos econtramos perdidos no rumo já traçado na nossa idéia...ela ilumina para não desviarmos da rota...ela sempre está lá...
O que me entristece é quando chove...a lua não fica triste...ela não se molha...mas fico imaginando se as nuvens a inundassem...ela provavelmente teria que tomar alguma atitude a respeito...pois com suas crateras inundadas como nosso corações invadidos pela corrente sangüínea, provavelmente alteraria seu ritmo de exibicionismo noturno...ela teria que tomar alguma atitude...
Não gosto quando chove...não suporto a idéia de não saber como ela está...me remete a mente sempre a idéia que ela está se afogando com essa interminável chuva que não avisa quando vem e nem a hora que vai terminar...será que a Lua pensa o mesmo de mim?

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Uma História Moral


Hoje sem querer, começou a coçar uma casquinha de um machucado que tenho próximo ao braço esquerdo...um machucado desses tipo arranhão que consegui a mais ou menos uns 20 pares de dias...rolando na grama...tentei não dar bola mas a coceira era tanta que me obriguei a pensar em outras coisas antes de arrancá-la com minhas unhas...já me aconselharam até a cortar elas deixando elas bem próximo a pele por causa disso, mas não me contive...
Depois de encarar uma...duas...três vezes, em minha mente iniciava uma batalha tão sangrenta sobre, que resolvi experimentar arrancá-la verificando se era apenas algo superficial...
Infelizmente não era, mas ainda assim permaneci tranquilo, divagando que dentro de alguns outros pares de dias, essa mesma casquinha retornaria ao seu estado de cura...logo pensei que aquilo poderia de alguma forma infeccionar causando algum tipo de transtorno a mais...sorvi vários copos de algo que em sua essência possuía álcool afim de não machucar por dentro da ferida...já que fora o estrago estava feito...o álcool em poucos momentos entrando em minha corrente sanguínea passou por aquele arranhão e fez arder algo que não lembrava mais que doía...confesso que algumas lágrimas escaparam de meus olhos...
Ao fim disto, me peguei por questionar...se aquilo pra mim não serviria de lição...se eu deveria deixar infeccionar por não cutucar casquinhas de arranhões quase curado...ou se devo cortar minhas unhas...porque confesso que não tenho medo de arrancar outra vez...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Finito


Esses dias me deparei com uma frase com os seguintes dizeres: O momento de nascer e morrer a gente não escolhe, aproveite o intervalo!
Pura, dura, cruel, simples e verdadeira...
Diante disso me coloquei a refletir sobre como aproveitar esse dito "intervalo"...
Comecei a divagar sobre lugares que ainda não conheci, pessoas que ainda não fui apresentado, iguarias que ainda não degustei, experiências que ainda não compartilhei...alguns desses pensamentos são um tanto quanto utópicos, mas que minha teimosia não irá deixar algo ou alguém desviar da rota de meus anseios...
Frente a isso tive que listar tudo aquilo que já fiz, talvez tudo um tanto mais simples em virtude de já ter realizado, como as atividades de que fiz parte, alguns objetivos cumpridos (e compridos!), outros esperando por realizar, aquela refeição que não canso de comer mas que ainda não tive a habilidade de fazer tal qual meu gosto, as pessoas que conheci, algumas que perdi o contato mas eternizadas na minha vida por fatos distintos e as que continuam a me acompanhar nesta peleia rotulada de "intervalo"...
Creio, assim, que estou respeitando a cadência da minha vida, aproveitando tudo que está ao meu alcance...e o que não está...bom...isto a inquietude de minha personalidade criará a instabilidade necessária de que preciso e dará conta do roteiro deste "intervalo" antes que acabe...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Estações


As pessoas até onde consigo imaginar em poder denominá-las são parecidas com camaleões...
Frente à uma situação de perigo, se camuflam de tal forma, que nem a pessoa mais próxima consegue indentificar...num ataque nós nos modificamos de tal forma que as pessoas mais perigosas que andam ao nosso redor não têm a habilidade de prever a nossa periculosidade...
Nós nos portamos como trilhos de trem nas interseccções da vida onde nos convém, mudamos o caminho e por conseguinte seu destino...
Mas ainda creio que nos assemelhamos mais como uma sacola plástica num pequeno redemoinho de vento em uma rua com folhas de plátanos espalhados ao chão num dia nublado...feio...em que permanecemos sem direção alguma subindo e descendo esbarrando nos carros e objetos com que defrontamos...
De tudo que pensamos em ter...de tudo em que almejamos ser...de tudo que vivenciamos...não conseguimos nos aquietar no conforto de uma vida oriunda de nosso objetivos...inconscientemente preferimos que alguma criança travessa bagunce o nosso já complicado quebra-cabeças da vida...
Percebo que o ser humano não se detem com o equilíbrio...sempre procura a instabilidade das coisas que o cerca...dos sentimentos...das relações...de tudo enfim...mas me pergunto por que?

sábado, 17 de julho de 2010

O Poder das Coisas


Como certas coisas terem um poder enorme sobre nossas vidas...
Uma palavra dita no momento exato pode iniciar um guerra ou evitar um confronto, alegrar ou entristecer alguém...move multidões cria a ordem do caos e vice-versa...
O olhar também mexe muito com as pessoas...repreende, liberta, permite, desaponta, surpreende, duplica a intensidade do que foi dito por vezes até...
A omissão é algo que por inúmeras oportunidades permeia por dentro da injustiça, indiferença ou de forma correta posiciona seu nariz onde devidamente lhe pode convir...
A ação creio eu que é a última atitude a ser tomada, com o perdão da redundância, mas quando tudo aquilo com o que planejamos e esperávamos acontecer não logra de fato...e só assim nos submetemos ao nosso último recurso...
A única dúvida que rodeia meus pensamentos se diante de tudo isso, nos deixamos ser influenciados ou não possuímos escudo contra essas flechas, com as quais nós mesmos aprendemos a atirar?

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ônimos


Certa vez me questionaram qual a finalidade da Tristeza...de forma rápida respondi que seria a função contrária a da Felicidade...mas percebendo a expressão de indignação, tentei na minha mais ignorante experiência discorrer sobre o assunto...
Tristeza pra mim antes de tudo é um sentimento que serve pra lembrar das coisas boas, o saudosismo me deixa assim...me faz pensar sobre as coisas que ainda não conquistei ou por algumas que dificilmente em uma vida conseguerei realizar, isso me deixa triste...Lembrei também das pessoas que não fazem mais parte do meu convívio seja tanto social, familiar ou mental...prezo muito mais pelas pessoas que carrego em meus pensamentos...a dor física me deixa também muito devastado, a emocional então me sinto como aquela vaquinha do filme de um tornado em que ela vive a girar sem saber onde vai cair...a injustiça é algo que me deixa muito entristecido, só de corroborar a idéia de que dia após dia você lida com acontecimentos da vida onde a única chance que lhe dão de resolver algo é expor a OPINIÃO, que por experiência da vida é muito melhor eu deixar ela comigo mesmo...
Mas rapidamente comecei a explanar sobre a Felicidade de rememorar dos tempos de criança onde tudo era uma realidade ilusória sabiamente articulada por nossos responsáveis, o sentimento de satisfação por tudo aquilo que fui, que sou e que almejo ser...do desprendimento de velhas amarras materiais, humanas ou até psicológicas que me deixam maior liberdade na minha peleja, saber que tenho o poder em certas ocasiões onde posso proporcionar a alegria com outrém ou até mesmo nos lugares que frequento ou das pessoas com quem convivo, que desejam saber o que penso, como sou e como estou...
Depois disso percebi que aquela expressão de angústia do que tinha dúvida sobre a questão perdurava, e me pôs na parede com outra perplexidade: Tristeza e Felicidade são sentimentos semelhantes ou distintos?
Bom...eu...tentei responder que...assim...tipo.........

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Lado "Ruim" da Vida


O pé sem meia descoberto em uma madrugada fria, alguém querendo brincar com você com a brilhante idéia de colocar o dedo molhado em seu ouvido, tomar um banho quentinho e derepente faltar luz quando acaba de se ensaboar, correr, correr e correr para alcançar o ônibus e não alcançá-lo por poucos centímetros, a ansiedade de experimentar um novo drink e constatar que você está tomando é pior que sopa de jiló...com álcool, se excitar aos olhos de ver que a pessoa que gostaria tanto de beijar possui mau hálito, acordar assustado com o despertador tocando aos prantos, levantando às pressas e só depois que sair pela porta de casa...que é um dia de domingo...
É conquistar a atenção de todos ao contar uma anedota e receber apenas olhares perplexos julgando a qualidade da graça, é responder dando tchau à uma pessoa e perceber que aquele primeiro aceno não havia sido para você...é alguém chegando às espreitas e colocar a mão gelado em seu pescoço ou aquele cubo de gelo descendo por debaixo de sua camisa num dia quente de verão...é alguém lhe dar um banho de água fria enquanto você posa de bobo para uma foto...
Observar que aquela receita que você havia copiado igual à da TV, não saiu com o mesmo gosto...ou até mesmo sem gosto...é sair num dia normal e pisar em cheio em uma poça d'água e passar o dia no trabalho com esta situação, ou torcer o pé, tropicar enquanto quer chamar a atenção de alguém fitando-a, é enrolar a língua em um discurso e lembrar que não havia tomado uma gota de bebida se quer...o lado "ruim" da vida pra mim é isso...e mesmo assim dar risada depois de tudo...quero que meus dias ruins sejam como esses...

domingo, 11 de julho de 2010

O Lado Bom da Vida


Um incenso com uma música relaxante ambiente, o barulho da chuva sob as folhas das árvores ao acordar deitado dentro de uma barraca num acampamento a dois, o som de um mar revolto sentado a beira, na areia, com o céu limpo e a lua servindo como fonte de inspiração, a primeira e a última garfada da minha refeição favorita, o calor aconchegante da cabeça deitado sobre o travesseiro da maneira que mais gosto depois de um banho quente num dia frio sem ter a preocupação de escutar o despertador no dia seguinte, a química exata de um beijo sem culpa de uma pessoa desconhecida com a expectativa do que mais possa surpreender, um abraço descompromissado e com longa duração, sem pressa para que se termine, o encaixe perfeito da cabeça da pessoa ao lado sob nosso ombro na exibição de uma filme deitados com um cobertor por cima escondendo afetos, contemplar os últimos raios de sol esquentado a face encoberta por um óculos de sol no outono sentado sobre a grama de uma montanha, a magnifíca sensação de descobrir e experimentar algo novo que derepente todo mundo já sabia, o alívio de assistir a pessoa realmente esboçando felicidade com o presente que acabou de dar, a gargalhada após um olhar desentendido transmitindo o recado, a nostalgia de lembrar de certas brincadeiras de criança, roupas usadas, músicas tocadas...
O desafio vencido, a palavra dita na hora certa, o ato bem executado, a recompensa conquistada, a surpresa de ser lembrado, saber que é imprenscidível, noticiarem que você é insubstituível, lembrarem do que você gosta, importarem com o que você pensa, respeitar sua opinião, escutar um profundo e sincero: "Eu gosto de você!"...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Trilha Sonora da Vida


Hoje eu acordei querendo ver o mar, mas eu moro bem no meio de uma selva de pedra e olha que chove chuva, chove sem parar, dizem que são as águas de março, mas acho que era Julho...parecia que os anos se passaram enquanto eu dormia...está escuro demais pra ver, não ouço nada, o que eu ouço não diz nada...Tô me sentindo muito sozinho!
Você não tinha a menor vaidade...era mulher de verdade...hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar, só não sei porque você se foi, mas, ainda lembro o que passou, eu sempre querendo ir ao cinema com você, um filme à tôa no Pathé...eu sei que esse caso tá meio mal contado... mas a gente tem que seguir a nossa diretriz, sonhar e tentar ser feliz , mesmo se não for "donde nóis passemo" os dias feliz de nossa vida...
A saudade no meu peito ainda mora e é por isso que eu gosto porque emoções eu vivi...mas td bem, eu sei que o amor é uma coisa boa...como dizem...dores do mundo...ás vezes o que peço é que me abrace e me dê um beijo...
Agora que eu sei bem mais do que antes sobre mãos, bocas e perfumes se for preciso tua cabeça enlouqueço, faço ela rodar mas o que me resta é só um gemido e olha que já rodei o mundo e nunca pude encontrar um amor que não se mede, que não se repete eu sei que são só palavras e o que eu sinto não mudará...eu estou sempre na minha e não posso mais fugir e nem por isso vou disparar minha metralhadora cheia de mágoas fingindo que a gente não existe...
No momento a rádio toca um velho Rock and Roll, e escutando me dá um aperto no fundo do peito desses que o sujeito não pode aguentar...não quero parecer um exagerado mas quanto vale um homem para amar você?
Peço que você não repare no que possa parecer, pois eu dizia seu nome mas...dizem que sou louco por eu ter um gosto assim, gostar de quem não gosta de mim...olha eu só queria te contar que eu fui lá fora e vi dois sois num dia...e que eu nunca mais abro a janela do meu quarto num dia cinza...é a solução de quem não quer perder aquilo que já tem...e veja bem quanto tempo eu passei sem saber que eu me enchia de você e acabava com o vazio de viver...
Ainda guardo o gosto do beijo pra que esse nosso egoísmo não destrua nosso coração...por isso vamos fugir!? Pode ser um lugar onde as pessoas sejam loucas, eu quero devorar você...só que existe uma placa que me diz que eu tô sozinho assim num segundo eu imagino a sensação que um beijo pode nos causar...a sensação de que eu quero estar junto a ti...
Tudo bem se não deu certo eu achei que nós chegamos tão perto...apenas peço para que escute esse meu desabafo, cá esta altura da manhã...Mas espero que ainda de tempo de dizer que andei errado e eu entendo...algo que valha a pena...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Fardo


Algumas coisas que observo durante meu dia-a-dia é que possuo meus direitos e meus deveres...
Dos meus deveres tenho pleno conhecimento...não devo, roubar, matar, mentir, desrespeitar os outros...
Simples assim...
Dos meus direitos também conheço...devo ser altruísta, ser honesto, fazer o bem, resumindo um bom samaritano...
Alguns deveres que possuo são árduos demais para serem cumpridos como nunca errar, não desapontar o próximo, estar a mercê de tudo que possa agradar aos outros...mas ainda prezo por eles...
Os direitos me privam de certas coisas, como por exemplo, o meu direito de ser feliz, influi diretamente sobre o sentimento dos outros...o meu direito de ser livre e fazer o que quero fica barrado ao limite do outro...
Fico pensando se meu dever é de parecer o que os outros pensam o que lhe agradem e se meu único direito é de assistir tudo isso afim de ter minhas vontades concedidas...

terça-feira, 6 de julho de 2010

A Queda *


Sempre pensei que a vida fosse uma via de 2 mãos, como um simples brinquedo vai-vém, onde afastando as cordas pertos de você a parte de plástico iria distante e vice-versa...
Não falo aqui das más atitudes, como o mundo dá voltas, a volta vem e assim por diante, mas de um aúxílio mútuo entre as partes...
Não estou dizendo também que alguém aqui vivo na Terra me deva algum favor...nem alguém que já tenha seguido seu destino...
Falo sim das pessoas em que depositamos moedas de confiança, em que sempre fazemos tudo o que é possível e ao alcance afim de facilitar a vida da mesma...assim...por simples altruísmo...
Por vezes me pergunto se estou convivendo com as pessoas certas, se não estou desperdiçando minhas poucas moedas em pessoas sem o mínimo de confiança na bolsa de valores de minha existência...
Em vários momentos nos sentimos como tapa-buracos de algo que as pessoas sabem que nós vamos realizar por pura parceria, amizade...ou falta do que fazer...
O problema é que esses fardos pesam...e o perigo é por já estar perdendo o equilíbrio de sustentar certas parcerias...
...só não sei fico mais forte para suportar...ou deixo alguns caírem para terem a sensação de terem subido alto demais para almejar novos horizontes...

*Postagem de segunda-feira, a internet não funcionou em casa me fez cair...nos meus anseios...

sábado, 3 de julho de 2010

Ou vai ou...


Hoje estava afim de mandar todo mundo pra ir tomar naquele lugar...ninguém foi, acabei indo eu...fui tomei dois copos e meio da bebida fermentada que mais me agradava no momento...estava quente...só não mandei o dono do bar ir à...porque eu já me encontrava nela...não queria mais dividir minhas moscas...criei simpatia a elas...espero que elas sintam o mesmo de mim...
Cansei de aturar certos tipos de pessoas com pensamentos pequenos...talvez eu esteja dando um tiro no pé...mas pelo menos eu sentiria dor, e tomaria alguma atitude a respeito...
Algumas pessoas já me mandaram criar vergonha na cara...mas não sei do que ela se alimenta...porém meu ócio cresce mais verde a cada dia que passa, a não ser quando mandam pastar...olha até vou...mas não como tudo o que vejo no campo não...algumas coisas me anojam só de lembrar...certas atitudes que nem mereceriam minha promoção por essa palavras jogadas aos quatro cantos deste texto...
Quando chamei as pessoas de burras...não esperava que a mula que me servia de sustento para minha viagem, empacasse e me deixasse a ver navios no árido que me maltratava os pés...as mesmas pessoas que quebram a cabeça juntando e tentando organizar as peças da vida, me deram dicas pela metade, me mandaram por primeiro achar os cantos...vejá só...se me importo com os cantos...eu quero o centro da imagem...é o que me interessa no momento...(na verdade não sei como identicar os cantos)...
E outros que taxei como ignorantes, hoje me ensinam que saber contar até dez não me garante lugar na fila dos que aprendem o ABC...
Eles sempre me alertam que se eu não medir minha palavras e não respeitar o número da minha senha, o máximo de vontades que poderei realizar, será o de discutir em frente a televisão e gritar: BINGO!, ao fim de minhas decisões...
...ou você pode ignorar tudo o que leu até então e ter a astúcia de um leão na hora de comer quando tem fome...pelo menos ele faz o que quer...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

TILT


Quando despertei pela manhã de hoje, olhei para o relógio do meu celular e percebi que faltava 10 minutos para não me atrasar para o trabalho, por exatos 3 minutos fiquei na cama torcendo e rezando para que o tempo que restava se quadruplicasse...em vão, faltava 7 minutos e eu nem tinha movido o dedo do pé para evitar a fadiga...
Enfim com a cara amassada, me locomovendo na direção em que o vento apontava rumo ao meu ofício, percebi que tinha perdido 1 ônibus, tudo por causa da preguiça que me tomava conta em não permitir que meus 2 olhos abrissem completamente...
Já dentro do ônibus que me encontrava pensava eu com meus botões: "Relaxa 4 dias da semana já quase foram...", assim coloquei meus fones de ouvido e consegui escutar umas 8 músicas até que eu chegasse ao meu destino final...finalmente...
Adentrei meu local de trabalho abri as 9 janelas existentes, pois amanheceu um dia quente e não gostaria que meus clientes passassem por algum desconforto...
Fui ao banheiro lavei meu rosto por uns bons 6 segundos afim de aguçar os meus 5 sentidos já mal sincronizados devido a uma noite mal dormida...
Só notei que o dia realmente tinha começado quando a primeira pessoa entrou e meu deu um efusivo: "Bom Dia!"...assim percebi que os dias se assemelham muito como um jogo de sinuca, após encaçapar a bola 8...começa tudo outra vez...
Mas ainda torço para que aqueles 10 minutos se tornem 11...12...13...