sábado, 19 de junho de 2010

Ação do Tempo


Me considero demasiadamente velho pra fazer certas coisas, desenhar o contorno de minha mão em uma folha em branco seria um exemplo...
Para que servirá esse desperdício de papel, se nem moldura colocarei em torno deste projeto de pintura e nem nobres histórias tenho para contar, afinal, não ajudei todos que pediram auxílio na hora de levantar, pois me considero novo demais para lidar com esses fardos...hoje penso se ainda tenho força nelas...
Brincar de roda também não, além de ser uma besteira para alguém da minha idade, isso sempre me deixava com tonturas e deixava de participar, nunca fui um elo forte entre as pessoas que se prendiam à mim achando ser um porto seguro...dificilmente salvei alguém que estava por cair ao meu lado...
Dar conselho aos mais próximos, nunca foi meu forte, não posso ter a pretensão de dar lições de vida sem ter vivido completamente 1/4 de um centenário de vida...meu cheiro de fralda, me acompanha e me entrega...
Discutir novas idéias, velhas ideologias, também não me pertence...o forte da história da civilização não presenciei, e o que está por vir é uma incógnita de igual tamanho à teoria de fim do mundo que está por vir...e recém me surge os primeiros fios de cabelo branco...
A única coisa que enxergo que não tenho como decidir se sou jovem ainda ou velho demais são as relações de afeto entre as pessoas...
Vejo que cada uma e cada qual tem seus princípios e motivos distintos que nem Einsten poderia formar uma teoria sobre...
Olho todos os dias no espelho em busca de coisas que são corretas para o meu tempo de vida e conhecimento...porém acho difícil adotá-las...devido ao estilo de comportamento de um camaleão que somos submetidos a nos moldar...são muitas transformações, que receio não ter a aptidão de me adaptar a tudo que vivencio...
Percebi que única coisa que condiz com minha idade é de observar a vida e aprender com ela...
...afinal, os olhos, são as únicas coisas em nosso corpo que nos acompanham desde o berço até o tardar da vida...sem evelhecer.

2 comentários:

  1. Felipe, acho que observar e aprender é o certo a fazer em todas as idades... E não vlae a pena pensar no que é adequado em cada idade, não! Não existe isso! Se te der vontade de brincar de roda, tu pode descobrir que hoje é um elo bem mais forte do que já foi!
    Gostei bastante do teu blog! Sucesso!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. ...são muitas transformações, que receio não ter a aptidão de me adaptar a tudo que vivencio... Talvez as pessoas que fazem a diferença são essas, as que não se adptam a tudo como todo resto! Beijoo idi! =D

    ResponderExcluir