quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Com Sal, Por Favor!


Não aguento mais feijão com arroz...sempre a mesma mesmice...
O máximo que poderia variar seria um lentilha e um arroz integral...mas mesmo assim...
Não aguento a mesma mesmice...não quero isso pra mim...
A vida de muitos está assim...porém não julgo essa maneira de viver como incorreta...
Apenas, por enquanto, não desejo isso...
O nascer, amadurecer, procriar, envelhecer e morrer, para mim está equivalente a uma fórmula de báscara...sem utilidade nenhuma e nenhum anseio de despejar números em cima dela...
Não estou afim de resolver essa conta...
É como seu eu fizesse parte de um destino condicionado...
Já faz tempo que não assisto mais às novelas...elas viveram e acredito que ainda vivem ditando vidas alheias...
A opinão dos outros, apenas as de poucos me importam...uma certa condição de conveniência confesso...
Quero que meu pão de cada dia venha de um jeito diferente...aquela família "perfeita" que vive passando margarina talvez não me convenha...
...se tiver que passar por isso quero a minha com sal...as "sem sal" não me trazem desafios...



DEVIDO MINHAS FÉRIAS, PROVAVELMENTE ESTAREI IMPOSSIBILITADO DE POSTAR ALGO ATÉ O DIA 09 DE JANEIRO, SE POSSÍVEL IREI POSTAR O MAIS BREVE SEGUINDO A MESMA REGULARIDADE...SE NÃO...JÁ SABEM...AGUARDEM E UM FELIZ ANO NOVO A TODOS!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Bolsa de Valores


Atualmente me sinto no direito de elevar meus percentuais...
Minha inflação de personalidade ao fim do ano chegou ao extremo...ao ponto que as pessoas
desconfiem de meus ganhos...
Como primeira medida, aumento a dificuldade das pessoas de comportamento ignorante se dirigirem à minha pessoa...essas pessoas terão no máximo alguns segundos de minha pífia vida e ainda por cima com o meu direito de respota e sem réplicas...nesse momento conversarão com minha sombra...se ainda ali estiver...
Pessoas de amizade e interesses duvidosos, poderão aproveitar de um breve desconto, de minhas baixas defesas...e só...tenho um poder imunológico muito bom...sou pior que um vírus...
Mas também irei promover algumas gratuidades...demonstrações de afeto terão isenção de taxa, da mesma forma que ganharão muitos pontos promocionais para as épocas de crise em que se encontrarem e vierem pedir algum empréstimo emocional ou coisa que o valha...
...as minhas condições são simples...o prazo de facilidades e pagamentos oportunos é infindável...os meus créditos são dirigidos de acordo com o meu mercado...eu não aceito mais especulações...os papéis de sentimentos verdadeiros estão em alta em minha bolsa de valores...se alguém quiser adquirir...

domingo, 26 de dezembro de 2010

Marca Registrada


Por quem somos regulados? Ou melhor por quais razões?
Acredito que vivemos num mundo dissimulado...não!?
Pois bem vejamos, vivemos de sentenças, muitas vezes mal proferidas, ditas de maneira intuitiva sempre esperando a resposta desejada...
Mas que emoção de viver há nisso? Viver em expectativas planejadas...
Tudo bem que isso até eu estou à mercê e pratico muito, porém percebo que essas situaçãoes já estão muito bem classificadas e entendidas por todos...não tem mais a graça do inesperado, só a expectativa da certeza...
...tudo é assim...até a maneira como termino essas palavras...

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Livre Arbítrio


As vontades que possuímos ao longo da vida, quase sempre são reprimidas pelo conceito do limite de liberdade que nos cerca...
Esse mesmo conceito, tem a capacidade para que nós, simples humanos, possamos desenvolver nosso senso de estratégia...
Afinal somos ratos sempre à procura de uma fenda, um mínimo espaço no qual podemos aproveitar de forma perspicaz sem infringir nada ou prejudicar alguém...
O desejo do proibido é proporcional aos nossos sonhos quase utópicos, pois o abismo que existe entre ambos nada mais é que a medida de como podemos solucionar a transposição de nossos obstáculos...
Essa inferência cercada das minhas premissas, não foge muito do que o ser humano está em busca...o pleno conhecimento sobre o outro...
Enquanto não conseguimos desenvolver a habilidade psíquica de saber o que o outro está pensando, vamos vivendo o que nos é permitido...uma série de capítulos inéditos e sem sinopses...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Prismas


A vida vista através de certas tonalidades, tem a capacidade ilusória de nos permitir vivenciar inúmeras sensações que muitas vezes estão atreladas à elas...
O amarelo por exemplo, ninguém consegue repetir a alegria de ver o mesmo sol por vezes durante a vida, ele sabe muito bem brincar com as cores...
O vermelho tem como paixão o objetivo de contrabalancear as coisas boas e as fúrias que emergem e fluem a partir do coração...
O verde é o contraste perfeito do azul do céu com as águas, a idéia de tranquilidade...
O anil nos serve apenas como alvejante para distinguir o azul do violeta, pois o violeta, demonstra a austeridade ou muito bem o mistério...é um enigma decifrá-lo...
O azul traz a idéia de introspecção, de paz de espiríto, lugares que somente nas nuvens ou nas profundezas pluviais é que se encontra o ambiente propício para tal...
O laranja vem com idéias fortes que marcam tanto quanto o fogo que queima quanto a própria fruta que mata a sede...
Por mais que esse texto possa se perdurar em muitas outras comparações, a idéia de poder quantificar todas elas, se misturam na minha cabeça deixando nela um temível e interminável papel em branco...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Tempos


A introspecção que me invade ao tardar do ano, não tem nenhuma presunção de tecer meus objetivos para um próximo ano...
Também não tem fins específicos afim de alguma reclusa em busca de paz mental...
Na verdade busco informações do que fazer...o ócio que talvez venha agregado nessa época pode ser muito benéfico, mas não me convém...não agora...
Também não pretendo importunar niguém nessa época em busca do que fazer...talvez, eu seja bem receptivo se alguém vier pedir auxílio...
Desocupado? Não sei...
Solitude? Acho que não...
Então...se alguémn puder responder, esperarei ávido por respostas...
...pelo menos as respostas que me convém...

sábado, 18 de dezembro de 2010

Respostas...


Juro que não escrevo pensando nisso depois ouvir algo de Nando Reis...
Mas não há algo tão conflitante quanto...
Esse tipo de espera chega ser tão prazeroso...quanto aos segundos que antecedem a boca de um sorvete de chocolate...já sabemos o que esperar e a ansiedade nos aniquila com a gula finalizada...enfim...
Também existe aquele lado, como num amigo secreto onde sabemos quem nos vai presentear...encontramos ela em algum lugar comprando um presente marcante...e na revelação, decepcionados, descobrimos, que não ganhamos nada tão relevante...para quem terá sido aquele objeto tão desejado...
Tudo o que realizamos em vida, sempre nos é aconselhado que a nossa mente reflita no mínimo duas vezes antes qualquer atitude...a minha pensa até mais...aquele objetivo de que saia tudo como esperamos faz parte do meu caráter controlador desde pequeno...
A sensação de estar pendurado por uma corda em um penhasco, esperando que alguém lhe salve e que este alguém seja realmente quem você queira...nada mais é que você em um deserto, alucinando, torcendo que a cada oásis seja algo mais verdadeiro, que sua própria força de vontade desejando que tudo ocorra segundo nosso roteiro...
Ter a real noção disso em paz consigo mesmo, é o melhor que nos pode acontecer...sabendo que o antigo nem sempre pode representar o presente...e diante de qualquer mínimo impasse...a única solução que devemos aceitar é continuar distante...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Cultivo


Eu nunca o conheci
Na verdade só posso dizer do que vi
Uma mistura de som e cores
Surreal como um quadro de Dalí

Flores reconheci
As que exalam perfume, senti
As que ainda florescem, permiti
Pois o verão, esse sim, inicia enfim

Rosa, Lírio, Alfazema
Da Gardênia, Hortênsia e Flor-de-Lis
Mal-me-quer da Margarida com Menta
Cactos da vida com aroma de Jasmim

A harmonia me parece muito familiar
O samba de uma nota só que não tem fim
Minha cobiça tardia por não saber como tratar
O belo cultivo das flores de Seu Jardim

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tantos Questionamentos...


Olha já estou de saco cheio de tanta indecisão...
Sim, o por quês me perseguem de tal forma, que minha indecisão ultrapassa os limites de um simples não saber o que fazer...
Os Se's são tantos que a dependência de condições para que alguma questão seja solucionada, não está sujeita a nenhum interrogatório...
Tanto que as dúvidas que permeiam tal reflexão, oscilam entre prós e contras mensurados por razões talvez nunca vividas que a conclusão de tal impasse continue na mesma...
Essa confusão de palavras mal distribuídas, talvez não afetem as mentes bem elaboradas de alguns...
...porém a que possuo, de tempos em tempos põe em prova minha capacidade de encontrar as saídas mal sinalizadas de meus labirintos bem projetados...

domingo, 12 de dezembro de 2010

Rápido Demais...


Pressa é uma coisa que eu não tenho...bom na verdade tenho mas prefiro não externar...
Pressa não me levou a lugar nenhum até o presente momento que sentado escrevo...
Pressa só me derrubou...e não tinha uma cadeira confortável embaixo...
É algo que não pode ser confundido com ansiedade ou imediatiasmo...
É algo maléfico no ponto de vista que cada coisa tem seu tempo e ninguém pode ultrapassar...
É mais uma desculpa daquilo que não teve êxito em tempo hábil...
Demais pra mim...por mais que eu queira acompanhar o ritmo de todos, não conquisto tal façanha...
Demais para os outros também...ninguém é obrigado a me acompanhar...o meu ritmo é um contra-tempo do descompasso que sigo...
Demais da conta...conta essa que não pretendo resolver tão urgentemente...
Esse cálculo sobre a minha vida só eu posso resolver, se me interromper...tenho que começar tudo de
novo...
...essa pressa é demais pra mim...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O Que Se Faz


Queria comprar algo ultimamente...algo que muitas vezes não se põe preço...mas por vezes insistimos em comprar...custe o que for...de um momento ao outro nos disponibilizamos a realizar proezas nunca feitas antes, em prol desse objetivo...
Alugar...bom...disso nunca ouvi falar...mas se me emprestasse um pouco do que gostaria...já me satisfaria por um momento...não...acho que o gosto do que quero mais, ficaria eternizado em meus sentidos e permaneceria com certeza inebriado por uma sensação de querer mais...
A consignação seria um círculo vicioso que nenhum cartão de crédito sem limites poderia arcar...com certeza...iria prejudicar as bolsas de valores de alguns países...e alguns setores da economia teriam que andar de acordo com as minhas vontades...
Vender...pelo que tenho noção de minhas faculdades mentais nunca ouvi ou espero que ninguém nunca faça isso...eu não faria...meio contraditório...pois compraria com certeza...mas não venderia algo tão desejado...
As grandes brigas se tornariam situações memoráveis gostosas de se lembrar, os intermináveis olhares...esses sim se tornaram e tornariam ainda mais, um espelho fiel da idealização com o idealizado...
...bom esse essas palavras não quero que se eternalizem aqui...ainda quero mais disso...não posso perder no momento, o agora...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Acreditar


Muitas coisas me compram...
Uma boa capa de um livro, uma música em um cd, um show em um festival, alguém em algum lugar...
Não me vendo fácil não, mas me considero muitas vezes ingênuo em acontecimentos que vivencio...
Confio muito nas minhas expectativas, geralmente elas não falham...sempre baseadas em um leque de informações fornecido das coisas que me cercam...
Não me vendo fácil...
Porém quem consegue captar minha atenção pode usufruir de todas as coisas boas que posso proporocionar...sim...dificilmente meço esforços...
Agora...essa minha suscetibilidade, me serve como minha própria forca...ainda procuro descobrir...se as coisas se extrapolam ao meu controle ou não delimito muito bem as fronteiras da minha liberdade de espaço...
Até onde esperar...acreditar...permitir...
...em um imenso rol de atitudes tudo o que não espero de vocês...é mentir...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Hummm...


Eu queria escrever hoje sobre algo quente...tão quente quanto esse novo clima que me atinge...
Uma mistura de coisas picantes e outras nem tanto...
Vocês pensam em sexo e eu também...mas é algo muito mais além...
Aqui não falo de amor e nem de paixão...por mais clichê que pareça ser...nada tem a ver com o coração...
Talvez seja algo invisível aos olhos que só a estação pode propocionar...essa sensação de quente e frio que por vezes nos faz transpirar...
Também não trato de doenças...isso nunca quis pensar, essa febre vem em tempos...não há como explicar...
Por vezes mudo as rotinas...mas acabo do mesmo jeito...uma troca de olhares...um tocar...um beijo...
Isso é mais que uma condição...falo de verdade...mesmo mesmo...
Uns falam que é tesão...eu falo que é desejo...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Pluviômetro



Aqui já demonstrei meu apreço pela lua...também a minha indignação aos dias gélidos...porém há algo que está me tirando a expectativa de entusiasmo há vários dias...a chuva...
Pois bem...não vejo um mal maior nisso contudo, ela, carrega algo de pesado...
Com os dias árduos vivido ao longo do ano, o ser humano (brasileiro) enxerga os dias bons sempre ao fim de cada ano...como se o natal e o reveillon fossem marcos históricos na linha do tempo de nossas grandes conquistas em vida...
Com eles, vêm o verão...quer dizer...até então só chuva...
Olhamos para aquele céu em vários tons de cinza e azul, em forma de cobertores que sempre em alguma hora inesperada nos cobre, sufocando todos nossos anseios em busca do contato humano...
Cada gota de chuva que percorre de cima a baixo de nossas janelas nos recorda cada lágrima violentamente projetada de nossos olhos...geralmente o impacto da gota na janela deve ter a mesma intensidade da lágrima que escorres por nossas faces...
Ao passo que vejo a chuva como uma onda sem direção que tem o intuito de nos preparar para dias melhores...
...aquela maré de boa sorte...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Minha Autoria


Eu sei...isso é tão piegas quanto uma canção de amor, mas é uma verdade...
Minha vida é livro aberto...da capa a contra-capa...
A capa eu não posso maquiá-la muito...nem que eu quisesse...os meus olhos trazem o título...bem explícito...
O enredo da minha história é marcada por diversos capítulos...algumas folhas amassadas...algumas orelhas em canto de página...e um marca-página que obedece a minha conveniência...
Há muitas anotações em cima dele...ele é rabiscado...por mais que eu acha um crime rabiscar um livro...tem suas páginas amareladas também pelo tempo...essas são as que eu mais gosto...são revisitadas de tempos em tempos no recordar de meus contos...as páginas em branco...são aquelas que sempre foram deixadas de lado...momentos tristes...situações difíceis...mas se encontram ali...cada uma em seu lugar...não tenho coragem e nem vontade de rasgá-las da minha obra inacabada...
Sempre que possível procuro ilustrá-las...muitas pessoas não entendem ou não acreditam no que está escrito e assim, preciso comprovar distribuindo inúmeros argumentos coloridos...porém nem sempre demonstram eficácia...
Pois é as palavras chaves e o sumário eu ia esquecendo de comentar...mas esse deixo para quem me ajudou a escrever...garanto que os que participaram tem idéias muito melhores que as minhas para entitulá-las...
Os meus agradecimentos são diversos...precisaria de uma enciclopédia para tal feito...porém me resta algo que até então, não obtive auxílio para realizar...o prefácio...
Os pensamento são muitos...diversos...contraditórios...inexplicáveis por vezes...
...acho que isso é a única coisa que me falta...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Um dia...


Um dia espero dar risada de tudo isso...agora não...mas por quê não!?
Bom...não consigo achar pessoas expontâneas no momento...
No momento só encontro pessoas precavidas...tais precauções me impedem de planejar surpresas...estranho...eu sei...
Me taxem de estranho...porém no esboço da minha vida tenho todo direito de realizar meus rascunhos...apagar os borrões...contornar as dificuldades...delinear as cores mais vivas...
Não tenho a pretensão de ser um Leonardo em projetos perfeitos sob alguma razão áurea...nem algo tão complexo como questionamento reflexivo de Rodin imortalizado em mármore...
Sempre tentei me cercar de todas as informações possíveis afim de pintar minhas telas de primeira mão...a vontade de rabiscar livremente com lápis, me é cerceada pela minha maestria da Vênus de Milo...
Juro que já tentei de tudo...
...mas me disseram que viver é desenhar sem borracha...

domingo, 28 de novembro de 2010

Conta-Gotas


Hoje tive preguiça...ela veio em paz dessa vez...não quis me matar...
Hoje tive desejo...consegui controlar a ansiedade e obter o que quero sem estar grávido...
Hoje tive inveja...consegui aumentar o leque dos meus objetivos sem transformá-los em ganância...
Hoje também tive raiva...consegui ter certa dose de ódio sobre algo sem chegar a cólera...
Hoje fui feliz...consegui aproveitar todos os momentos com um sorriso no rosto sem ao menos parecer um palhaço...
Tive êxito também em estar com o controle de tudo...não fui obrigado a fazer malabares na rua pra provar isso...
Consegui apertar a mão de todos que conhecia...sem parecer um político em busca de votos em eleições despretensiosas...
Escutei e toquei os diversos tipos de músicas que conhecia...não tive que comprar uma emissora de rádio para isso...
Muitas das coisas que fiz hoje foram assim...na medida certa...ninguém com uma simples moeda de cobre conseguiu transbordar a água do meu copo já estando no limite...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Esperanças II


Esperança me lembra sonho...
Sonho...bom os sonhadores são ótimos divagadores em exercício...
O exercício do sonhar é tão prazeroso quanto ao de torcer...
Sim...torcer...não há mais nada o que fazer...
Falta do que fazer...não, isso é um ultraje...
Ultrajante é não fazer nada a respeito...
Respeitar os devaneios de cada um como premissa, é um dever...
Devemos nos meter no imaginário dos outros?
O que os outros fazem com suas aspirações?
Aspirações são o início da vida para todos...
Todos precisam alimentar suas falsas utopias...
Utopia é não fantasiar o que se deseja...
Desejos concebidos se traduzem em poder...
Poder é o que não possuo para ter o que quero...
O não querer dos outros influencia a minha felicidade...
A minha feliz idade está prejudicada por isso...
Como isso pode ponderar o que penso?
Pensamentos devem ser livres...
Liberdade todo mundo tem a sua...
A tua que queria não tenho...
Ter consideração sobre tal suposição...
Só faz eu supor que tenho esperanças...
De novo...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Vamos?


Quero novidades...
Óbvio, quem não quer...
Estou começando a ficar farto de certas coisas...o mesmo clima, o mesmo roteiro de trabalho, as mesmas festas, até das mesmas piadas estou cansado...
Não estou pedindo novas temperaturas, trabalhos diferentes, festas únicas, ou novas piadas...não isso não...isso é muito simplório...
Não quero coisas novas...quero novidades...
Há sutil diferença entre as duas...
Quero experiências nas quais nunca ouvi falar...não nas que eu já vivi mas não lembro mais...ultimamente não estou em meu momento saudosista...
Quero pessoas que mesmo por um segundo em minha vida, deixem uma marca tão profunda quanto aos dos meus velhos amigos de andanças...
Quero novos sentidos...a sinestesia dos que já tenho já está perdendo a graça...
Quero conselhos estranhos...assim posso me sentir livre para criar outros...
Quero observar o mundo sobre um outra perspectiva...sem ter que viver como um morcego para isso...
Na verdade...estou querendo demais ultimamente...
...não sei se há pessoas que gostariam o mesmo...só assim vai ter graça...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Cobiça


Confesso que em toda a minha vida não fui capaz disso...não sei...de repente fui e não soube identificar...
Talvez por ser algo que me incomoda muito, por vezes me sinto boiando em uma piscina gélida de inveja...
Essa pertubação é controlada apenas quando consigo estar presente para observar...tanta contradição assim, passa a ser um círculo vicioso, no qual não me canso de fazer parte e nem me resguardo em contribuir para isso...porém invejo...
Pois é o sorriso das pessoas me deixa assim...
Algo tão contagiante, me permite essa ambiguidade de sentimentos...
Minhas preferências são as mais diversas...os despretensiosos...os hipnotizantes...os de agradecimento...os de cumplicidade...aqueles todos...
Invejo todos eles...sempre que estou frente a eles, me contenho a não fazer mais nada...não gostaria de arruiná-los...todos tão simétricos...fotogênicos...intencionais...
...talvez seja a intenção que faça alcançar a intesidade necessária afim de plagiá-los, assim podendo perpetuar no meu imaginário, qual a razão de cada um existir quando os presencio...

sábado, 20 de novembro de 2010

De Lado


Medidas desesperadas exigem....o que exatamente...não...não concordo com atitudes impensáveis...
Atos realizados frente à cenas deploráveis como desgosto, inveja, vingança...de nada servem...a não ser uma breve comparação como disparar projéteis sobre um vidro à prova de balas...
Talvez já tenha notificado a todos que a pior situação de se enfrentar é da indiferença em ser tratado...não há experiência mais sem defesas em que se possa passar...como se estivesse sendo asfixiado em um saco plástico pelo próprios gritos de súplica...em vão...
Uma mistura de anseios impossíveis podados por poucos e requerimentos incompreensíveis...
Porém não vejo outra solução do que devolver o que nos sempre foi censurado, o mínimo de atenção pelos seus próximos...da mesma forma...
Talvez seja a única oportunidade de perdoar os rancorosos de plantão...
...não sei...talvez seja assim...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Indefinições


Pois cá estava eu, procurando razões nos meses...
Razões para serem lembradas...momentos que são identificados ao longo do tempo...
Janeiro...é aquele das resoluções...onde planejamos tudo aquilo que não vamos realizar...pois é...ou quando nos acontece algo inesperado...tal como...um novo olhar sobre o tudo...
Fevereiro é o último para exorcisar todos nossos demônios e extravasar nossas angústias...melhor se preparar para o que vem...
Março se apresenta como cabeçalho do longo e extenso trabalho que devemos realizar durante esse ciclo...um simples despertador necessário sazonal...
Abril...um período de inúmeras comemorações por ínumeros motivos e objetivos...nessa época que caímos na realidade do que realizamos até então...
Maio...por mais egoísta que eu possa ser nessa minha redundância, só serve para mães e filhos...prenúncio de clausura...
Junho...corações à parte...nunca tirei proveito desta especificidade afetiva...triste não!?...pois é não sei...
Julho é um mês muito neutro...tem a data do rock para celebrar...mas pra mim é um cativeiro social...
Agosto é um mês amaldiçoado por muitas culturas ao redor...não é por menos que os cachorros enlouquecem...
Setembro...ah a Primavera...mais uma oportunidade de sorrisos, visões belas...apenas a expectativa da energia que nos devora internamente, se libertar...
Outubro...algumas festividades retornam mas, o que marca, são as últimas gotas de orvalho congeladas do que tivemos que passar por...
Novembro é a preparação para o fechamento...as últimas medidas desesperadas nos acometem...tempo de desisistir do que já não se conquista...discordo muito...
Dezembro...o desfecho de tudo...onde poderíamos nos tornar onipresentes, afim de, resgatar tudo aquilo que não conseguimos ao longo da peleia das estações...comemorações e conformidades a parte...é um mês extenso...interminável...tanto quanto à sua expectativa de utilizá-lo eficientemente...curto...tal como o ato de saborear um sorvete sob um calor de 50ºC antes que ele derreta...
Bendito ciclo sabido...mesmo conhecido por muitos...enganando a tudo e a todos...nos afaga vindo pela frente...porém parte sem nos deixar seu nome...intuito...razão...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Sentidos


Nesses dias que passaram me peguei por observar as coisas sob um aspecto diferente...
Comecei a reparar mais nas cores, identificar mais os sons, sentir mais os gostos...nada muito sinestésico, mas gostaria de ter nascido com tal associação...
Me dei o luxo de ao menos prestar atenção no que estava comendo em uma refeição...geralmente atribuída ao mais rápido, um tempo ilusóriamente otimizado...ignorância minha...
Os barulhos do meu dia-a-dia tentei ao máximo separá-los mentalmente, como um bom programa de edições de áudio...pude perceber muitas nuances que nem em um recado dito na minha frente em voz alta poderia ter a sensibilidade de assimilá-lo...
As cores, por vezes, tive que me desvincilhar de meus óculos escuros, para que mesmo com dificuldade em relação à luminosidade pudesse vê-las como elas realmente são...e não como dizem...
Os meus outros sentidos ainda tenho de aperfeiçoá-los, queria todos os dias poder repetir que sei mais sobre mãos, bocas e perfumes parafraseando Leoni...
Não sei se vou perdurar nesse intuito um tanto quanto utópico, para mim, mas se eu não puder reconhecer o Dó Ré Mi dos dias, não vou obter a trilha sonora necessária para que eu continue observando o mundo sobre outras perspectivas senão, o simples emaranhado de cores que me cerca poderá se fundir tornando tudo em branco a folha que uso como rascunho da minha vida...

domingo, 14 de novembro de 2010

Fracassos


A habilidade de dar palpites faz parte da personalidade de qualquer ser humano, geralmente tentamos aconselhar os outros justamente nas coisas que nos são falhas...e olha que eu já passei por isso hein...
Os conselhos são diversos e conscientemente, 99% da vezes, os damos querendo sempre o bem dos outros...e o engraçado é que boa parte das decisões que tomamos nunca obtemos o que gostaríamos, escutando ou não suas opiniões...
As pessoas, ao usar somente 5% de sua massa cinzenta, ficam ignorantes a aceitar palpites...o momento de fragilidade que nos consome nos deixam tão suscetíveis tão quanto a um boneco de argila sendo moldado...qualquer um pode nos modificar...e com uma leve brisa, fazer desmoronar o nosso castelo de cartas no qual nos sustentamos...
Ao meu ver, quando nos permitimos à opinião dos outros, desisitimos de toda uma luta com o qual até então chegamos somente com as nossas pegadas...lógico que não estou almadiçoando os conselheiros, até porque a maioria das pessoas que são deste ofício são os nossos melhores amigos...a arte de dar conselhos requer uma técnica precisa das palavras para tendenciar os outros...vendo assim isso parece um tanto ardiloso das pessoas que me cercam...
Pois eu mesmo faço isso deveras, sempre busco o melhor dos que andam ao meu lado...a lisura das palavras proferidas por mim aos meus amigos, são demonstradas através de seus desejos conquistados...
...só me questiono, porque o meu santo, que é de casa, não realiza meus milagres...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Reflexos


Que coisa engraçada a atitude do ser humano em relaçãos aos desejos...
Poucas vezes eu pude presenciar um ato explícito de desejo e vontade ter o seu êxito de forma sucinta e direta...
Simples como a vontade de saborear um quindim...eu quero um quindim...eu como o quindim...
A espera ou os que vão presenciar esta experiência minha, pouco vão mudar o gosto que ele tem...o máximo que pode me acontecer é eu ter mais fome ou uma indigestão frente à inveja dos que observam...
Arquitetamos planos tão elaborados para dizer um simples: "Oi!"...por vezes tentamos transmitir a mensagem do que queremos através dos outros...como se fôssemos espelho estrategicamente posicionados em um ângulo onde o objetivo apareça nele e o objetivo possa me ver...mas de um modo em que não posso ver meu rosto...fugimos disso...
Parece que constantemente vivemos na defensiva, como se fosse um menino travesso que joga uma bexiguinha d'água do último do andar de seu prédio...se cair e for engraçado...iremos dar boas risadas...se cair em alguém e não gostar...conseguimos ficar escondido por um bom tempo...
Longe de mim querer desmistificar a perspicácia de um olhar penetrante, de uma mensagem subliminar, de um verso cantado em grito para que todos possam ouvir...
...mas pode ser que já saibamos de cor não só o verso...o refrão também já é conhecido de todos...as mensagens por mais codificadas que possam ser...provavelmente já temos em mãos as senhas a se utilizar...o olhar...bom o olhar...
...tendo em vista que já sabemos o que queremos, o que nos falta talvez seja somente encarar nosso rosto no espelho frente às atitudes que tomamos...mesmo que esse reflexo venha dos olhos de outra pessoa...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Balaio de Cronos


Hoje eu queria só uma coisa...um pouco de paz de espiríto...
Sério...ta...na verdade eu queria duas...boas vibrações...isso...disso eu também quero um pouco...
Olha na verdade eu queria bem mais...queria inúmeras sensações de felicidade plena ao longo do dia...
Gostaria de ter várias surpresas agradáveis, pelo menos uma por hora, para eu poder dividir com todos cada notícia...
Queria me munir de lágrimas todos os dias...numa alternância de dez para lágrimas de alegria e um para de tristeza...sempre é bom renovar os sentimentos...
Poxa vida eu queria tantas manifestações expontâneas de gratidão...só para averiguar se sou realmente importante a alguém nesse mundo...até as de ironia estou contando...
Queria me apaixonar na mesma proporção que eu digo um : "Bom dia!" ou um: "Até amanha!"...queria desapontar as pessoas na mesma proporção que eu canto alguma música na língua grega...
Queria me arrepender muito mais das experiências que tive de menos...das que eu não tive...bom...essas ainda há tempo...mas eu queria pra hoje...
Ou como diria meu chefe quando questiono quando: "Pra ontem!!!"...
Essa avidez que gostaria que as pessos entendessem...não é algo como um orgasmo através do sexo...é como um chocolate que derrete na boca...perdura por vários segundos...inclusive seu aroma...mas eu quero já...
Queria estar num trem desgovernado em sua alta velocidade...passando pelas estações dos sentimentos...algumas passariam muito rápido, mas saberia que outra estaria por vir...e as ruins...existem as máquinas de desvio das linhas...
...o ruim é que ninguém se encoraja em subir nele...nem eu saberia se tenho o que é necessário pra suportar...a ansiedade é uma amiga da onça...queria alargar o gargalo da ampulheta...
...mas o que fazer se cada pessoa tem seu tempo...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Elos


O que nos aproxima do mundo?
O que nos distingue dos outros?
O que nos assemelha em nossas relações é o puro interesse do que tais pessoas podem nos propocionar...
Por mais pejorativo que esse pensamento possa se mostrar, não escrevo aqui nenhum mentira...
Pensamos sempre nos tipos de experiências que podem acontecer estando ao lado dos interessados...a escolha geralmente acontece em sua primeiríssima impressão que inconscientemente realizamos sem pudor do que nos é apresentado...
A idéia de que somos "obrigados" a ter comportamentos previamente mensurados afim de estar sempre aptos a ter boas relações, me parece o mesmo apego que temos à roupas novas que adquirimose não nos desfazemos por simples afeição...
Não quero dizer que não precisamos demonstrar o interesse necessário no que desejamos...
Sim vivemos "maquilados", e sem embaraço nenhum escondemos isso...sabemos que com o tempo não nos é mais necessário estar assim todo o tempo...os nossos elos já fazem esse papel...a favor ou contra...
...só espero não ter que conviver com pessoas de rostos borrados...e muito menos conviver num teatro de máscaras...

sábado, 6 de novembro de 2010

Maria das Dores


Cara...vou lhe dizer...como o ser humano adora causar...não consegue ficar parado um só minuto...é mais agitado que aquele tal de bicho carpinteiro, que na verdade, nunca existiu...
Talvez causar não seja a palavra correta...inventar quem sabe...é pode ser...
Nós (não posso me incluir fora dessa né!?) adoramos inventar "moda", sempre tentando provocar situações diferentes, uma espécie de mini caos a cada idéia genial que nos surge...mas o que adoramos inventar mesmo é dor...
Nunca vi ser vivo arranjar tanta sarna pra se coçar...
É dor de joanete, dor de joelho, dor no ciático, dor de barriga, dor de cotovelo, dor de garganta,dor no coração, dor de dente, dor de cabeça, dor de corno, dor de pessoa do gênero feminino que é desprovida de ato sexual de boa qualidade, dor na consciência, dores...infinitas...
Me questiono porque ganhamos um corpo que não sustenta todas essas auto-sabotagens...
Não posso acreditar que todas essas dores são oriundas de meros testes de limites...
Até hoje nunca vi alguém bater o recorde de dor de barriga de tanto dar gargalhadas...não lembro qual foi a última vez que tive dores nos músculos do maxilar de tanto sorrir para os outros...tão pouco conheço alguma pessoa que ficou com dores nas mãos de tanto bater palmas ovacionando algo tão belo de ser prestigiado...
...pois é escolham suas dores...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Quem Somos?


A tal realidade ilusória onde convivemos é mais entorpecente que estar sob um efeito de algum alucinógeno em um ambiente psicodélico por natureza...
Não sabemos mais o real sentido da máxima: Do que somos feitos, daonde viemos...para onde vamos...
Por mais que eu esteja proferindo alguma tolice, peço auxílio neste axioma reflexivo que me perturba...
Somos feito de um tecido, que é classificado como organismo vivo, portanto, pode sofrer danificações perante algumas interpéries que podemos nos defrontar...
Sofremos de algo tão psicológico e emocional, que nos faz corroer de dentro pra fora, nos levando à situações mais suscetíveis do que uma fagulha ao lado de um monte de palhas secas...
Viemos de um caminho já traçados por muitos outros que permeiam até certo ponto da vida nosso destino, podendo modificá-lo apenas se nos permitimos um pouco de insanidade às regalias politicamente corretas que a vida nos admite vivenciar...
E vamos literalmente pra onde todo mundo já cansou de ir e está cansado de saber...lugar nenhum...por mais que eu esteja proferindo um discurso caótico, não existe nada de utópico nessas palavras...
O ser-humano por mais individualista que possa ser, é sempre atraído pelo cheiro do próximo...somos meninos frente à um banca de revistas, ávidos por novos adesivos, assim colando em nossos álbuns de figurinhas de experiências marcadas...em situações comuns onde todo mundo tem a sua colagem básica e aquelas mais àrduas de se conseguir, exibindo um sorriso triunfante, em posse da tal feito...
O que há de mais orgulhoso em nós, do que completarmos o nosso àlbum de figurinhas e podê-lo mostrar a todos...
...hum o conteúdo...bom...cada um cola o que conseguiu...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Lembranças


Meu maior desejo é viajar...não tenho uma escolha melhor do que o meu fascínio por viagens...
A idéia de sumir do meu "mundo" e não voltar mais é tentadora... é de se pensar o que fazer, quando existe tal oportunidade...
Fico pensando onde andam as pessoas que se encontram fora do lugar onde eu vivo...penso no que fazem...
Penso muito mais no que seus olhos já descobriram e que por ventura algum dia poderão me relatar...
Sinto saudades desses que não estão mais comigo...queria poder dividir essas experiências com eles...
Saudades...bendita palavra nossa que não existe tradução...
Sinto arrependimento dos que não estão mais comigo...queria poder saber se vivi o suficiente com os que não poderei ter mais contato...
Penso muito mais nos que meus olhos me mostraram como recordações das experiências que compartilhamos e que um dia poderei contar a quem queira saber...
Fico pensando onde poderia ter ido com elas...o que poderíamos ter realizado e que não tivemos a oportunidade de executar...
A idéia de perder a oportunidade é avassaladora...é de se pensar constantemente de mãos atadas a tal situação...
Como um floricultor que semea seu futuro sem a ansiedade necessária para planejar a hora de seu cultivo...
...das sementes que foram plantadas...todas floresceram...algumas não perduraram ao rigor das intempéries do destino...as que resistiram...servem como um relicário de que uma vez ...existia um jardim!

domingo, 31 de outubro de 2010

De Ponta Cabeça


Os de peixes são assim, de cima pra baixo ou o contrário, um esquema...
De alguma forma entende-se como um círculo vicioso
É um meio termo entre a conquista e a decepção desinformada...
Para nós o andar da roda gigante é muito mais que um sobe e desce colorido
O mistério, ainda persiste como um oásis, para os que tentam de alguma forma me iludir...
De alguma forma, me expressar, faz sucumbir minha guarnição que prezo tanto
Não gosto que as pessoas descubram o que se passa na minha cabeça...
Sou meio egoísta em relação aos meus sentimentos...
Muitas das percepções que tenho, guardo para mim
Por isso me torno um questionador de tudo...
As maneiras de se lidar com os outros são muito ingênuas,
Apesar de homem, gosto de algumas coisas complexas da vida
Não dá pra entender tudo que mostro de forma acessível...
Está certo que geralmente somos incompreensíveis por natureza
Crêem que não tenho os pés no chão...
Sempre conotam meus anseios como de uma mente vivida nas nuvens...
Nossos interesses por mais que sejam divergentes, são puros
Mas sempre que tento convencê-los...pensam que eu os subestimem
Na verdade não consigo ter êxito para que todos andem ao meu lado
Talvez por isso ninguém concorde comigo...
Sou um pisciano...fazer o quê?
Talvez se eu ler isso de baixo pra cima...não...vai dar no mesmo...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

...


...aqui venho, exibir toda minha idolatria por algo tão sublime quanto a sua importância demonstrada por mim através destas palavras...
As pintinhas do corpo de uma mulher, são para mim, um fascínio de uma magnitude que transpõe as fronteiras da minha libido...emoldurando retratos, pinturas, que como em qualquer outro lugar do mundo, arte tão valiosa...só é permitido admirar...
Não venho aqui falar das famosas somente...essas...chefes de estado e magnatas do mundo da moda já tiveram sua oportunidade, deixando para mim, mero mortal, apenas a voz suave de um "Happy Birthday Mr. President", ou alguma capa de revista que eu tenha a chance de visualizar...
Esses sinais, são parte de uma cadeia de informações onde nunca consigo solucionar o propósito final...sempre acabo me perdendo entre eles...um labirinto de indícios no desenvolvimento da estratégia para me iludir...zombando do papel de bobo que faço...
Na verdade, eles servem como presságio...me previnindo de algo que talvez não possa suportar posteriormente...se fossem de alguma personagem da mitologia grega, provavelmente estaria petrificado ao olhá-las...
Aposto que nesse momento, algumas, pensam que não possuem tais virtudes de quais eu estimo tanto...mas essa é única certeza de que não posso corroborar...todas mulheres possuem suas pintinhas estratégicamente posicionadas...seus sinais que as identificam como únicas...suas sardas semeadas ao vento suavemente depositadas sobre a pele...entre as demais...
Sabiamente minha ignorância me inebria toda vez que deparo com elas...assim continuo como um tolo...observando essas armadilhas de sedução salpicadas sobre a pele...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Espelhos


Me desculpe os adoradores de rosas...amantes da música...dos escritores filósofos...
Daqueles que beijam incessantemente...daqueles que cumprem ordens...dos que degustam as peculiaridades...dos que sabem sentir...
Mas a minha decisão é irrevogável quanto a eficácia e a dimensão que um olhar pode causar...
O olhar pode ser compreendido nos lugares mais tumultuados existentes ao passo que pode ser ensurdecedor ao único par de olhos que o recebe...
Ele tem o poder de incriminar as maiores mágoas e decepções que um ser humano pode sofrer, coexistindo com o olhar de desprezo e indiferença na assimilação dos fatos...
O simples fato de acusar com tal ação, pode levantar a dúvida e a injustiça sem o franzir da testa ou arqueamento das sobrancelhas participando desta artimanha...
O olhar pode conotar a maior cumplicidade de alegria de um momento vivido a dois...três...principalmente a dois...a supresa e a expectativa simultaneamente podem ser transformados em puro êxtase a poucos momentos de um olhar fatal...
Não pense que estou com a visão fixa no olhar...as piscadelas, o encarar, as olhadas de canto de olho, as brincadeiras com olhos de fazer rir...todas...tem um espaço muito bem reservado, nas minhas intenções de escolha para os momentos exigidos que a vida nos faz aprender...
Porém, das janelas que transmitem o que a mente tem a dizer, apenas me resguardo atrás da muralha dos cílios que servem como último recurso...um embate por longos segundos facilmente pode me desarmar dos trajes coloridos das íris que me confortam...
...do aguardo que me resta, me surge apenas, a esperança das intenções deste olhar que me fita...
...do temor que me aflige...só não espero a derrota de uma lágrima concebida pelos olhos meus...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MonoDiálogo


Conversar sobres determinados temas com determinados seres humanos, requer uma certa sondagem a cerca dos tipos reações que vamos receber e retribuir...
O tempo certo de cada diálogo não tem a mesma validade que um bom duelo de olhares, certificando-se que a sinceridade vista no espelhos dos olhos de ambos seja um cancela erguida para um possível esclarecimento...
O momento exato para se decidir o início dessa troca de histórias, está fundado, nos resquícios fronteiriços dos laços de afinidade que ainda existem ou estão por se inaugurar...
A hora verdadeira de se abrir o jogo não é definido pela liberdade de aceitação do outro em ouvir ou não...a primeira tarefa a ser realizada é a de uma aceitação mútua entre a idéia e a ação que será concebida através do confrontamento da realidade...muitas vezes o que nos cerca não nos convém contar verdades...afinal...o mundo prefere viver sossegadamente na ilusão das omissões...
No entanto, exarcebar certas aflições, nos faz mudar as lentes de nossos óculos foscos, riscados, causados pelo encarceramento, muitas vezes visceral, de nossos impasses com a vida...
A ansiedade de nos libertar disso, compartilhando com a pessoa certa, nos faz seguir em frente, podendo vencer todos os buracos e curvas de nosso caminho sinuoso...
...a viagem não é apenas marcada somente pelo seu destino final...há muitas coisas pelo caminho que precisam ser verificadas...

sábado, 23 de outubro de 2010

Ambição Sem Fim


Estava eu assistindo um desenho animado, aquele dos dois ratos(ou camundongos), onde um é obcecado por dominar o mundo e é sempre cercado de finais fracassados, porém toda noite antes de dormir...ele lembra a todos que amanhã será um novo dia para trabalhar de um forma diferente acerca do mesmo objetivo...
Loucos!? Talvez...Einsten já dizia que louco é aquele que faz a mesma coisa todos os dias, sempre esperando um resultado diferente...não sei definir isso corretamente...
O que mais me intrigou nessa película, foi em que nenhum momento ele enfatiza o fracasso, não se deixa abalar por tal situação...
O ser humano por outro lado, não consegue vivenciar por um segundo se quer tal momento...o ato de falhar é sempre delineado por alguma interpérie que fuja seu alcance...se eximindo sempre...e logo esquece seu objetivo...focando diretamente em desculpas...
Se pegar em um momento onde as rédeas de nossa carruagem, não estão mais em nossas mãos, é uma aflição enorme...toda pessoa é, por natureza, despreparada para isso...não possuímos àquela capacidade de resiliência daonde os grandes emergem...afinal...Fênix é um mito, correto!?
A grande falha que nos faz tornar imóveis, estagnados em uma espécie de areia movediça, é que apenas salientamos nossas experiências fracassadas...de uma forma ou de outra emolduramos ela a cada diálogo, como uma medalha de honra do sofrimento passado...
Aliás o ser humano sobrevive em cima de seus sofrimentos, e quando há o outro envolvido, deveríamos ter um monumento póstumo, como soldados mortos em uma guerra por um amor...tema universal dos escritores que homenageiam seus "vilões" e "heróis"...
Para não termos aquele sentimento de impotência perante as pessoas, não nos basta fazer o outro entender o que desejamos...e sim dividir os mesmos anseios...afinal 1+1 é igual a 1+1...precisamos ser tão corajosos quanto o amor...Hendrix não poderia estar tão fora de suas faculdades mentais quando expressou isso...afinal é o que iremos fazer amanhã...a mesma coisa que fazemos todos os dias...
...tentar conquistar o "outro"...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O Que Impede...


Eu queria poder viajar...agora...sempre...de segunda à sexta...como eu queria...
Eu queria assistir vários concertos ao vivo...como numa escolha de um DVD...aqui na minha estante...a qualquer momento...
Eu queria contar as mais engraçadas anedotas...a todos...como num momento de stand-up...em qualquer lugar...
Eu queria degustar as comidas mais exóticas...as bebidas mais desejadas...as sobremesas...
Eu queria aproveitar muitos momentos com meus animais...cachorro...sagüi...girafa...iguana...
Eu queria brincar de várias brincadeiras...pega-pega...esconde-esconde...festa junina...
Eu queria ficar abraçado com as pessoas que gosto...irmão...avó...namorada...
Eu queria dar conselhos pra todos que precisassem...amigos...alunos...os reflexivos...
Eu queria aprender todas as formas de comunicação...línguas novas...libras...o toque...o olhar...
Eu queria ter as nuances mais aguçadas...o sexto sentido...o instinto...a sorte...
Olha...na verdade eu queria muito mais do que viajar...mas meus amigos só estão disponíveis em determinados horários...gostaria mesmo que eles fossem comigo aos diversos shows...mas o artistas também possuem suas escalas...com toda certeza divertiria eles com coisas engraçadas, mas alguns preferem não rir de algumas interpéries alheias...dividir com todos a minha gula, mas tenho receio que alguns passem mal, inclusive eu...
Os animais infelizmente nem todos posso possuir, também não sei se eles gostariam de estar ao meu lado...as brincadeiras, não encontro mais pessoas com o mesmo espírito que o meu...os momentos de afeto, uns já perdi a oportunidade de realizar, outros não tenho escusas por não fazer...o que desejo falar nem todos gostariam de ouvir...o meu modo de me fazer transparecer ninguém compreende...e todas àquelas habilidades que tenho excelência, de nada servem...
Mesmo assim....como eu queria...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Por Quê?


É uma coisa que aborrece muito mas tem comprovação de sua eficácia...
A indagação que ocorre a todos e de idades diferentes é a mais importante engrenagem do desenvolvimento do ser humano...
A questão das curiosidades move tudo e qualquer tipo de impasse frente a inércia que nos consome pela falta de um saber comum...
As respostas concebidas de forma não requisitada, pouco influi em nossos desejos...ao passo que nossos anseios dificilmente obtém as soluções advindas de algum tipo de esperança...
As informações constantemente são passadas, re-passadas, comercializadas...agora...até hoje ninguém me emprestou idéia alguma ou pediu aluguel sobre...
As pessoas se apropiam tanto do conhecimento, que chegam ao ponto de serem inversamente proporcional à sua aplicabilidade...
Até as questões mais árduas no pequeno grande mundo de meu irmão menor, são resolvidas quando os "porques" sim e os "porques" não, surgem afrontando sua inteligência...que me assombram ao passar dos dias...
Algumas respostas deveriam ser excluídas diante de algumas ingorâncias inexoráveis...
Nenhum conhecimento é inútil...mas a dor do desperdício intelectual, é o fardo que os sábios sofrem com a insipiência letárgica dos que a censuram...

domingo, 17 de outubro de 2010

Caciques


Nas minhas andanças pude observar algumas coisas, que me afligem de certo modo, principalmente na forma de conduta de certo tipo de relação com outrém...por exemplo...a subordinação...
A subordinação para mim, não pode ser vista como uma burocracia pejorativa...é simplesmente um entendimento de ambas as partes sobres quais funções cada um pode delegar e qual deve exercer...
Porém o perigo mora justamente nessa mesma burocracia...sobre a forma de comando do poder imposto...
Com isto em mãos, o poder de decidir, as pessoas promovem uma mudança de comportamento fácilmente identificada frente à alguns empecilhos...
A forma como lidam, ou como se comportam, se de forma depreciativa, transmite uma rede de maus pensamentos que atingem à todos que o cercam como num recuo rápido do mar prevendo um onda maior...
A delegação de poderes, se sucede no mínimo de forma do prestígio da confiança...a índole, também agrega essa escolha...
Contudo, não há verdade melhor de esclarecer isto, do que com aquela velha máxima...se desejas conhecer o homem...dê-lhe o poder....

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O Que Deseja Beber?


Os ideais das pessoas constantemente se confundem com os interesses dos outros...pois bem...
Os meus objetivos, minhas convicções, meus nortes...tudo aquilo que me direciona cegamente à minha proposta existencial, me serve como rascunho de uma grande obra separado por pequenos projetos que permeiam o meu dia-a-dia...
Obviamente, existe uma porcentagem desses pequenos projetos em que não há êxito, devido à algumas interpéries do tempo, tais como, pessoas, sentimentos, ocasiões, habilidades...
Tudo aquilo que me cativa, me prende a atenção, me faz concentrar, me estimula...são particularidades que são constantemente "plantadas" em nosso rumo, como minas terrestres, que nos deixam receosos sobre qual deveria pisar, tendo em vista que essas explosões, são nada além do que experiências já conhecidas de nosso córtex, e que estupidamente ou sabiamente pisamos em uma de nossa escolha...confesso que já me veio a mente passar correndo pisando sobre todas elas...
Esse pequeno equívoco que astuciamente cometemos, é literalmente aquela decisão entre o ser humano continuar em sua trilha sem nenhum desvio já conhecendo seu destino final...ou aquele que sempre vive sem controle de seus anseios...
Pra quem pensa constantemente sobre os reais interesses do seres humanos...ofereça um bebida...alguns beberão vinho...outros cerveja...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Prioridades...


A vida pelo que vejo de nada é difícil ou impossível de se realizar...
A sua participação depende muito mais do que estar ao lado...o simples fato de estar ao lado de algum afeto...pode não significar nada...o presente dado não reflete mais do que lembranças em forma de placebo...cápsulas sem efeito...
As pessoas hoje em dia se exigem de mais...penso, que por coisa óbvia, pelo menor tempo que passamos uns com os outros...
Nós não conseguimos comprar o tempo...e olha que muitos já tentaram e ainda tentam...nem as temperaturas mais baixas do mundo nos conservam do modo que gostaríamos...
Se pensarmos bem, nos contentamos muito bem, obrigado, por um número incálculavel de experiências, de tempo mínimo, com um público máximo para testemunhar...
Me pergunto se preciso de tantos cúmplices para minha vida...ou se preciso de mais vida para meus cúmplices...
Certamente ninguém me receitará a dosagem mínima correta para isso...existem vários pesos para várias medidas...
Ainda insisto...não concordo...que nesse momento vivemos muito para os outros, do que para nós...essa inversão de prioridades...tem um efeito incálculável para mim...e posso dizer que pífio...para os outros...por mais próximos eles dizem ser...
Prioridade não está mais agregada à uma habilidade de ser/estar...e sim de fazer acontecer....

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Que Há Dentro?


De vez enquando eu começo a fuçar nas coisas...
Começo nas coisas que possuo...vou mexendo, desmontando, montando...
Muitas das coisas não resistem aos testes...algumas coisas também me testam...e por vezes também fraquejo perante as mesmas...
As pessoas agem dessa forma...muitas vezes inconscientemente...
Ninguém aqui pode ser taxado de algo sem testá-lo correto!?
Muito me fascina descobrir o que há dentro de cada um...e sem testar!!! Apenas procurando descobrir as semelhanças, as diferenças, gostos, nuances...
O teste em si...não tem graça! Ou vai ver existe até...conheço inúmeros que vivem disso...mas a relevância de participar ingenuamente de um processo em que não pode conhecer o seu fim...não há preço!
Por esse e outros motivos...procuro sempre abrir as caixas de Pandora que possuímos...porque dos males não tenho medo...se o receio existir, o afastamento persiste...
Dos posters, das capas, desse entretenimento fácil...de utilidade...só aos olhos me agradam...
...o que realmente eu quero...bom...é testar vossas resistências...a validade de cada um ao meu lado é uma experiência que desejo viver...

domingo, 10 de outubro de 2010

O Homem


O bicho-homem é dotado de várias facetas...algumas adquirindo...ou descobrindo...
O homem (ser humano) é um bicho manhoso, ardiloso, que por muitas vezes arquiteta algo tão simples com comprar uma bala transformando em uma tática militar em detrimento de seus interesses...o doce vira projétil com endereço certo...
O homem (indivíduo), é aquele que quase sempre almeja que todas as vibrações positivas de sua vida o influencie de forma corriqueira...lógico não medindo esforços para isso...
O homem (sexo), é fétido! Não há química ou lance de pele que faça o homem (naipe) se vangloriar ou ter alguma rendição, de todas as armadilhas em que caiu...lógico...criadas por ele mesmo...
O homem (atencioso), é literalmente a falta do Macho Alfa da Alcatéia...a sensibilidade adquirida e desenvolvida por muitos, de nada adianta a uma olhar de desprezo...
O homem (o blefador), é o Ás no jogo...de alguma forma ele sempre acaba iludibriando o que e a quem deseja...mesmo omitindo a verdade verdadeira dos fatos...
O homem (sociável),é aquele desejado por muitos e odiado muitas vezes por quem os conhece...resumindo o imprestável de nossos sonhos...
O homem (precavido), é aquele chato, sem graça, onde não pode se esperar alguma coisa além do que ele consegue vender...um Prato Feito sem erros...geralmente, cava seu próprio buraco...todo mundo conhece o gosto dele...
A perspicácia desses que desenvolvem alguma habilidade utilizável, são podados em relação à alguns comportamentos...esses que demonstram algo subliminarmente original...
Sim é necessário ter esses tipos de comportamento arredios e objetivos, apesar de não serem sinônimos...
Às vezes me pego refletindo sobre a própria mostragem que o homem (ser humano) faz de si mesmo...
Nunca criei coragem em pôr minhas fichas nos rostos da pessoas...Jim Carey sentiria inveja das mutáveis faces que encontro no caminho...





DEVIDO A PROBLEMAS DE CONEXÃO DO GOOGLE, NÃO PUDE POSTAR O TEXTO DE SÁBADO COMO USUALMENTE FAÇO, PORTANTO, HOJE ESTAREI POSTANDO O TEXTO DE SÁBADO E SE OS PROBLEMAS TÉCNICOS DO GOOGLE NÃO VOLTAREM AMANHÃ ESTAREMOS DE VOLTA COM A POSTAGEM NORMAL DE 2 EM 2 DIAS.
OBRIGADO PELA COMPREENSÃO

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Desligue...leia um livro!


Quem aqui nunca se sentiu com a consciência pesada ao tomar banho logo após de um belo de um almoço?
Pois é, existem outras coisas, como não levar um casaco que a mãe pede, pra não ficar doente, ou não ler na obscuridade porque pode estragar a visão...entre outras coisas...
Geralmente são aqueles tipos de conselhos que não têm o intuito de nos rogar qualquer praga possível, mas apenas de nos alertar de uma "possível" infelicidade...
Esses tipos de "avisos" oriundos de todos os tipos de personalidades alheias, contêm sempre um certo "ar" de experiência ao nos repassar tais informações...informações essas que geralmente nos deixam algemados pelos olhos críticos das outras pessoas...ou alguém acha cabível uma pessoa não seguir essa cartilha de vida: Nascer...conhecer sua metade...constituir uma família padrão a de uma novela de horário nobre...ter seus filhos...seus "Bens" valiosos...etc...etc...e....Felizes para todo Sempre!?
Esse conceito deturpado de felicidade arcaico não consegue mais adquirir espaço em nossas vidas, ao passo também que observo que as pessoas não conseguem criar uma definição simples sobre a mesma...
Cada dia que passa assisto as pessoas mais estupefatas como baratas tontas, sob o efeito que de algum inseticida barato e fácil de inspirar...
Essas histórias muito menos me fascinam enquanto vou conhecendo mais as pessoas...hoje em dia percebo que seus anseios além de ser mais palpáveis, estão tomados de uma simplicidade que assombra muitos...todos aqueles que não desligaram a televisão...lógico...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Linha Do Tempo...


Algumas experiências que vivemos atualmente, nada mais são as mesmas que nossos pais viveram...porém de forma muito estranha...penso eu...
Lembro que sentávamos à mesa para almoçar ou jantar e assistir TV juntos...hoje continuamos assistir à TV...cada um com a sua...
O LP que rodava na vitrola era um acontecimento para que todos apreciassem...o som original continua...todo mundo tem um fone de ouvido...certo!?
As brincadeiras de antigamente nos exigiam habilidades, destreza, agilidade...hoje algumas horas de prática qualquer um manda bem na frente de um video-game...
Se discutia sobre quais grupos de música eram melhores...ou quais eram as melhores músicas...hoje se discute onde foram parar aqueles grupos...e a música de hoje...bem...
Uma vez se escolhia os melhores candidatos...hoje vota-se nos menos piores...ou nem isso...
O futebol de rua era o melhor lugar para a caça de talentos...hoje se escolhe qual o melhor lugar para aprender a jogar...
Meu pai me ensinava sobre as novas tecnologias e tudo que era novo...hoje meu irmão mais novo ensina
Uma vez na falta do que fazer, aprontando alguma, ou pra não encher o saco, Louça...Laço...Lenha...resolvia...hoje existem psicologias...pedagogias...e algumas manias...sempre amparado por algum tipo de estudo...
Antigamente era notório falar o português correto...hoje um inglês mentiroso já faz currículo...
Se contava os dias para não ficar para Tia...hoje é questionável se vale à pena permancer ao lado de alguém...
O amor era para sempre...hoje é descartável...
A vida passada não posso considerar melhor que essa...provavelmente vou viver mais vidas nesta mesma que me encontro...não sei o que me espera no futuro para comparar...

domingo, 3 de outubro de 2010

Partido do Fanático por Futebol do Senhor


Desde que me entendo por gente e comecei a refletir sobre as coisas no mundo, existiu três assuntos no mundo que sempre tive fascínio por obter informações e uma imensa aversão com a proximidade delas...sim aquelas mesmas que não se discute...bom...
Nessa semana que passou construiu-se uma fortaleza dentro de mim em relação à esses assuntos...mas com muros tão frágeis que não tive como não ser atingido...e criar mais repúdio em relação às mesmas...
Vamos lá...
1º Onde está o meu direito de andar livremente ou ter uma simples conversa sadia sobre um esporte que por mais que seja uma paixão nacional?...Poxa vida...eu fico analizando de fora, sim porque ainda me resta sanidade para não entrar de cabeça nisso, como as pessoas criam uma identificação tão forte com alguma insígnia que provavelmente "não dá a mínima" para a identidade de cada torcedor...não desenvolve nada em prol da comunidade...lógico que a política do pão e circo está aí e também desfruto dela, mas pessoas que levam seus problemas para "anfiteatros" pensando que estão em Coliseus, me dão medo ...não mesmo...comigo não...
2º Onde está o meu direito de dormir aos domingos em silêncio? Ou de não ter que escutar sinos e sons ecumênicos todo os dias aos mesmos horários... Aonde estão os órgãos tão competentes que todas as noites ou inclusive durante o dia, regularizam os decibéis de cada estabelecimento...Gostaria de ser algum militar ao comando de George W. Bush com missão...Eliminar SINOS e CAIXAS DE SONS...com algum daqueles mísseis teleguiados...isso sim seria um Amém...
3º Aonde está o meu direito de não ser amaldiçoado com palavras ríspidas por eu não concordar em receber um adesivo ou querer escutar as propostas de algum candidato? Aonde está o meu direito de Eu mesmo colocar as sujeiras que encontro no chão ou em cima das gramas, não importando a pessoa que se encontra em tal propaganda, sem ser ameaçado...
Vivendo em uma nação que prezo muito, parece que por momentos que acontecem todos anos, meus direitos são revogados por pessoas ricas, com contribuições duvidosas e amparadas por lei que apenas me permitem ouvir promessas, pagando um dízimo e torcendo fervorasamente com a esperança de que meu tive ganhe no final...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

À Espera de ...


Quando escuto que os ventos bons trarão notícias de meu agrado...espero com ansiedade...juro...não sou uma pessoa muito paciente...
Diríamos que por alguma razão oriunda da sociedade ou de meu próprio caráter (uma vez ou outra, moldado pela mesma) prego a existência do imediatismo comigo mesmo e de quem geralmente está ao meu redor...
Essa vontade exacerbada que construo e lapido a cada dia , provavelmente, surge da inquietação que me corrói quando me defronto com os esperançosos de carteirinha...
Sim essa lentidão frente à algumas atitudes, chega a ser mais lenta que a cena da corrida na praia de Carruagens de Fogo com Vangelis ao fundo...
Algumas outras escusas dessa inércia pessoal de cada um, como ouvir, o que é meu está guardado e logo após, estacionar os glúteos já deformados, em um sofá, preocupando-se com algo fictício de algo televisivo tipicamente brasileiro...ah...me tira dos eixos...
Apesar de eu estar bradando algo muito observável em dias como esses, me coloco por questionar em outro ponto...
Essa tal forma deturpada de esperança geralmente está condicionada por nossos atos...porém, quando não possuímos a influência que pensamos que temos...ou quando esse arremate final foge de nossas competências...que forma de comportamento devemos ter...
Ou ainda devo me customizar dançando frenéticamente em busca de alguns pingos que caem do céu?

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Do Que As Pessoas Gostam?


Estava eu refletindo com uma outra opinião sobre o segredo de ser convincente...
Sim, pois é, para conseguirmos nossos desejos e anseios precisamos realmente otimizar o nosso poder de persuasão...
Através de estratégias elaboramos todo um planejamento que fundamenta nossa vontade de alcançar tais objetivos...
E isso nada mais é que um trabalho àrduo em cima de nossas experiências e do trabalho amador de nossos instintos...
Nossa consciência até pondera esses instintos, sendo classificados como um "sentido aguçado" para as coisas...
Isso tudo seria facilmente adquirido por nós se entendêssemos melhor os sinais que as outras pessoas nos transmitem...ou melhor até...se pudéssemos ler os pensamentos alheios...
Assim provavelmente nos tornaríamos tão poderosos ao ponto que agradaríamos a todos...e sendo odiado também por todos...creio que não seja possível uma admiração generalizada...
Confesso que pelo menos gostaria de saber os que as pessoas não gostam...ao menos esse jogo ficaria interessante ainda...tendo que adivinhar mais cedo ou mais tarde do que mais lhe agrada...
A minha força de perseverar não aceita muito bem às recusas...me desmoraliza de certa forma...
Perseverança essa que se compara a de um estagiário convicto em poder realizar pelo menos em um dia, o trabalho sem equívocos, e lógico com o devido reconhecimento...
Não concordo com a idéia de que tudo que produzimos e executamos, não são nada além de nossas obrigações...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Até Onde Ir...


Garanto que todo mundo já se pegou por pensar na questão: Quais são meus limites?
Essa pergunta tão subjetiva norteia todos nossos princípios e nos caracteriza moldando nossa personalidade ao longo da existência na Terra...
As pessoas que nos cercam auxiliam diretamente impondo nossos limites...
Quem aqui nunca se pôs em dúvida em conquistar certos objetivos em troca da liberdade...nada tão fora da realidade e absurda quanto parece...mas diariamente estamos sucetíveis à essas situações...
Uma decisão mal pensada, algo feito por impulso, a vontade de fazer justiça com as próprias mãos, a vista grossa frente algumas cenas, a indiferença em forma de descaso à outras...
Mas de que forma conhecer esses extremos sem pôr em risco nossa integridade, evitando tanto os "acidentes" físicos ou psicólogicos...
Pois bem a idéia do planejado me deixa muito menos inseguro em relação a esses possíveis percalços...sim...menos inseguro...para que possamos tranpor nossas fronteira provavelmente nos sujeitaremos a algo que não estamos acostumados a realizar...de tal forma que isso não me deixa muito confiante à espera do resultado final...afinal...um simples: Não!, pode nos machucar muito mais que um tapa na cara...
Quando pensamos nas consequências, dificilmente evitamos sair do marasmo de nosso núcleo seguro, nos contentamos apenas em olhar pelo buraco da fechadura...imaginando como será estar do outro lado da porta...

sábado, 25 de setembro de 2010

Céu, Sol, Sul...


Apesar da semana de comemorações da principal tradição gaúcha estar acabando, me permito aqui prestar minhas considerações sobre...
Não pretendo aqui tecer críticas ou enaltecer algo sobre essa festividade, mas sim salientar algo muito presente no cotidiano do gaúcho como um todo, presente em qualquer estado ou proveninente de outros países fronteiriços...o bairrismo...
De tão forte e presente que isso existe por aqui, que percorre muitas vezes o caminho do cômico ao assunto sério...
De início gaúcho não gosta e nunca vai ter admiração em ser comparado a qualquer peão em algum piquete...por mais que as práticas se assemelhem, uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa...
Todo gaúcho é ator coadjuvante de algum fato importante da história, qualquer gaúcho que esteja em destaque mundial, é louvado demasiadamente podendo até ser beatificado...
Todo gaúcho esteve presente no maior frio de renguear cusco da história recente em São José dos Ausentes, já presenciou os mais fortes minuanos em algum lugar da fronteira, e com certeza deve ter registrado o maior calor da história na Grande Porto Alegre, sem esquecer de mencionar que possuímos a maior praia do mundo...err...bom..tudo bem...praia...
Na música, com muito respeito, a porcentagem de pessoas que não sabem cantar o Hino Rio-Grandense é menor em relação aos que não sabem o Hino Nacional...existe até um mínimo de conhecimento musical que todo gaúcho deve ter...se não conhecer alguma do Teixerinha então...
Mesmo tendo gosto diferente pela música como o punk, a única que é entoada em verso e prosa é aquela apresentada pela Graforréia...eu mesmo tenho um bairrismo enorme quando vejo algum guri tendo orgulho de si cantando Faroeste Caboclo...ora faça-me o favor...Joquim é muito mais música e com mais conteúdo...
E não adianta teimar, espernear, nos taxar como teimosos ou ironizando como separatistas eternos, esse sangue quente provavelmente arquitetado pelo nosso passado em um Tratado, nos torna ainda mais castelhanos que "brasileiros"...algum brasileiro gosta de "castelhanos"?
Antes que alguém insista mais nessa peleia...terminando essa proseada...como não posso negar minhas raízes...poderia ficar horas a fio argumentando mais e mais cevando um bom mate...concordando ou não...encerro por aqui...e tenho dito!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Soneto de Primavera


Mais uma vez chega a preferida
A temporada, estação, o momento
O momento da poesia ser lida
Tempo onde aflora o sentimento

Beijos, sussurros acontecem
E assim se tornam apaixonados
Beijos, sussurros se repetem
Como nada na vida acabado

Assim amores sempre aconteceram
Olhos encaram, fazem mil promessas
Porque assim sabem, nunca se perderam

Mas depois amores despedem-se
Acreditam apenas nos momentos
Não acontecendo, todos, esquecem